LIBERDADE E PODER EM "O QUE OS OLHOS NÃO VEEM", DE RUTH ROCHA/LIBERTY AND POWER IN “O QUE OS OLHOS NÃO VEEM”, BY RUTH ROCHA

Autores

  • Luciana Siqueira Ribeiro Instituto Federal Fluminense
  • Thiago Soares de Oliveira Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)

Resumo

O presente trabalho objetiva refletir criticamente acerca dos aspectos sociais e políticos presentes na obra infantojuvenil O que os olhos não veem (1981), escrita por Ruth Rocha, quando o Brasil ainda vivia sob o regime militar. Por se tratar de um trabalho de cunho bibliográfico e analítico, a abordagem escolhida é essencialmente qualitativa e justifica-se pela intencionalidade de lançar luz sobre a atualidade da obra em relação às questões sociais gerais e ao poder dominante, o qual se apresenta metaforicamente na obra, mas encontra reflexos na atual conjuntura político-social brasileira. Espera-se, assim, chamar a atenção para o debate sobre o lugar que a Literatura Infantojuvenil pode ter em sala de aula no sentido de aprimorar o olhar crítico do público-alvo a partir da temática relevante que pode ser vislumbrada na obra de Rocha.

Biografia do Autor

Luciana Siqueira Ribeiro, Instituto Federal Fluminense

Especialista em Literatura, Memória Cultural e Sociedade pelo Instituto Federal Fluminense. Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) e em Comunicação Social pelo Centro Universitário Fluminense (UNIFLU). Docente da Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes.

Thiago Soares de Oliveira, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)

Doutor em cognição e linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (uenf). Professor da licenciatura em letras e da especialização em literatura, memória cultural e sociedade do instituto federal fluminense (iff).

Referências

ANDRADE, T. C.. Saudade. São Paulo: Cia Editora Nacional, 64. edição, 1974.

BORGES, D. S. L.; OLIVEIRA, T. S. de. A Cena de enunciação e a construção do ethos: uma análise de trechos de O que os olhos não veem, de Ruth Rocha. Memento - Revista de Linguagem, Cultura e Discurso, v. 06, n .2, p.1-15, jul./dez. 2015. Disponível em: <http://periodicos.unincor.br/index.php/memento/article/view/2514/pdf_57>. Acesso em: 27 nov. 2017.

CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador. Tradução Reginaldo Carmello Corrêa de Moraes. São Paulo: Editora UNESP, 1981.

CIPOLINI, T. O. Tramas tramadas de um tapete: fios históricos nas histórias de Ruth Rocha. Campinas, SP: UNICAMP. 2007.

COELHO, N. N. Panorama histórico da literatura infantil/juvenil. 4. ed. São Paulo: Ática, 1991.

http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/FatosImagens/AI5. Acesso em 19 dez. 2017.

CORRÊA, Viriato. Arca de Noé. 1. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1930.

DAIBELLO, C. de O.. Ruth Rocha: produção, projetos gráficos e mercado editorial. Campinas, SP: UNICAMP. 2013.

GASPARI, É.. A ditadura envergonhada: as ilusões armadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

LAJOLO, M.; ZILBERMAN, R. Literatura infantil brasileira: histórias e histórias. 6. ed. São Paulo: Ática, 2007.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LOBATO, M. Narizinho Arrebitado. São Paulo: Monteiro Lobato&Cia, 1921.

MACHADO, A. M. Texturas: sobre leituras e escritos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

MACHIAVEL, N. O Príncipe: comentários de Napoleão I e Cristina da Suécia/Nicolau Maquiavel. Tradução de Fulvio Lubisco. São Paulo: Jardim dos livros, 2007.

MARIANO, J. C. A literatura e o autoritarismo no século XX: um estudo comparativo entre Ruth Rocha e José Cardoso Pires, São Paulo: USP, 2012.

MEIRELES, C. Rute e Alberto resolveram ser turistas. Porto Alegre: Livraria do Globo, 1938.

MIGUEL, M. A. de F. Ruth Rocha - página a página. Assis, SP: UNESP. 2006.

MORAES, C.; LAJOLO, M. A expansão da literatura infantil. In: BASTOS, Dau (org.). Ana & Ruth. Rio de Janeiro: Salamandra, 1995.

REIMÃO, S. “Proíbo a publicação e circulação...” – censura a livros na ditadura militar. Estudos Avançados. v. 28, n. 80, p. 75-90, jan./abr. 2014. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/79684/83686>. Acesso em: 27 nov. 2017.

RICHE, R. M. C. Histórias de reis e questionamento ideológico de Ruth Rocha. Perspectiva, v. 2, n. 4, p. 113-118, jan./dez. 1985. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/issue/view/706>. Acesso em: 27 nov. 2017.

ROCHA, R. O que os olhos não veem. Rio de Janeiro: Salamandra, 1981.

_______. Dois idiotas sentados cada qual em seu barril... São Paulo: Ática, 1996.

_______. O reizinho mandão. São Paulo: Pioneira, 1978.

_______. Marcelo, Marmelo, Martelo e outras histórias. São Paulo: Círculo do Livro, 1976.

_______. Palavras, muitas palavras... São Paulo: Quinteto Editorial, 1976.

_______. Romeu e Julieta. São Paulo: Círculo do Livro, 1977.

_______. Uma história de rabos presos. São Paulo: Salamandra, 1989.

______. Site oficial. Disponível em: . Acesso em 12 ago. 2017.

RODARI, G. Gramática da Fantasia. Tradução de Antonio Negrini. São Paulo: Summus, 1982.

SOUZA, J. A Parte de Baixo da Sociedade Brasileira. Revista Interesse Nacional, v. 14, p. 33-41, 2011. Disponível em: < https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4116583/mod_resource/content/2/A%20Parte%20de%20Baixo%20da%20Sociedade%20Brasileira%20Jess%C3%A9%20Souza%20%28A8%29.pdf>. Acesso em: 27 nov. 2017.

VARGAS, A. Q. de; SANTOS, E. dos. Tropical sol da liberdade, memórias de um espírito libertário. Literatura e Autoritarismo - Processos de identificação e políticas da (in)diferença, n. 18, 2008. Disponível em: < http://w3.ufsm.br/literaturaeautoritarismo/revista/num18/art_02.php>. Acesso em: 27 nov. 2017.

ZILBERMAN, R. A literatura infantil na escola. São Paulo: Global, 1987.

VERÍSSIMO, É. Meu ABC. Porto Alegre: Livraria do Globo, 1936.

Downloads

Publicado

30/12/2018

Como Citar

Ribeiro, L. S., & Oliveira, T. S. de. (2018). LIBERDADE E PODER EM "O QUE OS OLHOS NÃO VEEM", DE RUTH ROCHA/LIBERTY AND POWER IN “O QUE OS OLHOS NÃO VEEM”, BY RUTH ROCHA. Revista ECOS, 25(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/3312