MITOLOGIA INDÍGENA: UMA ANÁLISE DO CONTO “A ORIGEM DO FOGO”, DE ANTÔNIO BRANDÃO DE AMORIM/INDIGENOUS MYTHOLOGY: AN ANALYSIS OF THE MYTH "A ORIGEM DO FOGO”, BY ANTÔNIO BRANDÃO DE AMORIM

Autores

  • Francisco Bezerra dos Santos Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Marcos Frederico Krüger Aleixo Universidade do Estado do Amazonas -UEA.

Palavras-chave:

Mito. Amazônia. Literatura. Povos indígenas. Brandão de Amorim.

Resumo

A obra póstuma Lendas em nheengatu e em português, publicada originalmente em 1926, de Antônio Brandão de Amorim, é repleta de descrições e características do imaginário indígena. A publicação dessas narrativas é uma forma de registro da tradição oral, da língua e da mitologia cultuada pelos indígenas da região do Alto Rio Negro. Nesse viés, o referido trabalho analisa o conto “A origem do fogo” sob a perspectiva do mito. Na narrativa escolhida, o mito preserva seu sentido original ao apresentar uma versão do surgimento do fogo e de como a humanidade se beneficiou com ele. Nossas considerações se afirmam no conceito de mito como um gênero típico das culturas orais com características do sagrado e de realidades que passaram a existir em tempos longínquos. A leitura da narrativa nos possibilitou visualizar algumas características da organização social desses povos, bem como a importância do mito como elemento norteador e significativo para as populações indígenas.

Biografia do Autor

Francisco Bezerra dos Santos, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Doutorando em Letras pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Marcos Frederico Krüger Aleixo, Universidade do Estado do Amazonas -UEA.

Doutor em Letras. Professor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Referências

AMORIM, Antônio Brandão de. Lendas em Nheengatu e em Português. Manaus: Fundo Editoria, 1987.

AMORIM, Antônio Brandão de. Lendas em nheengatú em Portuguez. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brasileiro, v. 100, n. 154, p. 3-475, 1928.

CAMPBELL, Joseph, com Bill Moyers. O poder do mito. Organizado por Betty Sue Flowers. Tradução: Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Editora Palas Athena, 1990.

CAMPOI, Juliana Flávia de Assis Lorenção. A literatura brasileira em nheengatu: uma construção de narrativas no século XIX. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo, 2015.

CHEVALIER, Jean, GHEERBRANT, Alain. Diccionario de los símbolos. Barcelona; Editorial Herder, 1986.

ELIADE, Mircea. Mito e realidade. São Paulo: Perspectiva, 2016.

GOODY, Jack. O mito, o ritual e o oral. Trad. Vera Joscelyne. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

KRÜGER, Marcos Frederico. Amazônia: mito e literatura. 2.ª ed. Manaus: Valer / Governo do Estado do Amazonas, 2005.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O pensamento selvagem. Tradução: Tânia Pellegrini. Campinas-SP, Papirus, 1989.

LOUREIRO, João de Jesus de Paes. A etnocenologia poética do mito. Revista Ensaio Geral, Belém, v1, n.2 Jul/dez, p. 152-158, 2009.

MIELIETINSKI, Eleazar, M. A poética do mito. Tradução. Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense – Universitária, 1987.

MINDLIN, Betty. O fogo e as chamas dos mitos. Estudos Avançados, v. 16, n. 44, p. 149-169, 2002.

NAVARRO, Eduardo de Almeida. Curso de Língua Geral (Nheengatu ou Tupi Moderno). São Paulo: Edição do Autor, 2011.

POSSEBON, Fabricio. Iuáka Sesá-Iykysy–Lágrimas do Céu: Uma Lenda Indígena Tariana. Numen, v. 18, n. 1, 2015.

SOUZA, Márcio. Teatro I. São Paulo, Marco Zero, 1997.

Downloads

Publicado

27/06/2022

Como Citar

Santos, F. B. dos ., & Aleixo, M. F. K. . (2022). MITOLOGIA INDÍGENA: UMA ANÁLISE DO CONTO “A ORIGEM DO FOGO”, DE ANTÔNIO BRANDÃO DE AMORIM/INDIGENOUS MYTHOLOGY: AN ANALYSIS OF THE MYTH "A ORIGEM DO FOGO”, BY ANTÔNIO BRANDÃO DE AMORIM. Revista ECOS, 32(01), 73–90. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/6355

Edição

Seção

LITERATURA