UMA ANÁLISE SEMIÓTICA DO POEMA BORBOLETAS DE MANOEL DE BARROS/A SEMIOTIC ANALYSIS OF THE POEM BUTTERFLIES BY MANOEL DE BARROS

Autores

  • Évelyn Coelho Paini Weber Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS
  • Maria Luceli Faria Batistote Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Palavras-chave:

Semiótica discursiva. Manoel de Barros. Percurso gerativo de sentido.

Resumo

A semiótica discursiva, como ciência da significação busca entender os mecanismos que compõem um texto e como os sentidos construídos nele. Nessa perspectiva, fundamentados nessa teoria este artigo tem por objetivo analisar o poema Borboletas de Manoel de Barros por meio do percurso gerativo de sentido, de modo não a esgotar a análise, mas sugerir direcionamentos de leituras possíveis. Como metodologia enfocamos o percurso gerativo de sentido. Apesar de diversos estudos sobre Manoel de Barros, nenhuma análise sobre o referido poema foi encontrada. Os resultados apontam que uma interpretação feita sob a ótica da semiótica permitiu a compreensão dos recursos utilizados pelo enunciador para convencer o enunciatário, além da visão de uma metamorfose semelhante a enfrentada pela borboleta possibilitada por meio da metodologia.

Biografia do Autor

Évelyn Coelho Paini Weber, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Possui graduação em Letras habilitação Português- Inglês pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS-2016) e mestrado em Letras pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS- 2019). Doutoranda em Estudos de Linguagens pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS- 2020). Participa como colaboradora do projeto de pesquisa: Memórias de professores: diálogos sobre o letramento e o ensino de língua portuguesa- ETAPA II.

Maria Luceli Faria Batistote, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Possui graduação em Letras (Português e Inglês) pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - UFMS (1988), habilitação em Língua e Literatura Hispano pela Universidade Estadual do Mato Grosso - UNEMAT (2002), especialização em Língua Portuguesa pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS (1995), mestrado em Letras (Estudos Linguísticos) pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (2004), doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP - Araraquara (2008) e estágio Pós-doutoral em Linguística pela UFSCAR (2015). Professora Associada da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; atua na graduação no curso de Letras (FAALC) e na pós-graduação no Mestrado e Doutorado em Estudos de Linguagens (FAALC).

Referências

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria semiótica do texto. São Paulo: Ática, 2005.

BARROS, Manoel de. Ensaios fotográficos. Rio de Janeiro: Record, 2000.

______________. Poemas concebidos sem pecado. 3. ed. Rio de Janeiro: Record, 1999.

______________. O guardador de águas. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2017.

CITELLI, Adilson. A poesia de Manoel de Barros: entre o regional e o universal. Revista Eca, ano XIV, n.03, set-dez.2009.

FIORIN, José Luiz. As astúcias da enunciação: as categorias de pessoa, espaço e tempo. São Paulo, Ática, 1996.

_____________. A noção de texto em semiótica. Organon – Reista do Insitituto de Letras da UFRGS, v.9, n.23. Porto Alegre: UFRGS, 1995.

FLOCH, Jean-Marie. Petites mythologies de l’oeil et de l’espirit: pour une sémiotique plastique. Paris/Amsterdan: Hadés/Benjamins, 1985.

GREIMAS, Algirdas Julien; COURTÉS, Joseph. Dicionário de semiótica. Tradução de Alceu Dias Lima. São Paulo: Cultrix, 1979.

GREIMAS, Algirdas Julien. Semântica Estrutural. Tradução de Haquira Osakabe e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix: Edusp,1973.

PIETROFORTE, Antônio Vicente. Semiótica visual: os percursos do olhar. São Paulo: Contexto, 2004.

Downloads

Publicado

30/06/2022

Como Citar

Weber, Évelyn C. P. ., & Batistote, M. L. F. . (2022). UMA ANÁLISE SEMIÓTICA DO POEMA BORBOLETAS DE MANOEL DE BARROS/A SEMIOTIC ANALYSIS OF THE POEM BUTTERFLIES BY MANOEL DE BARROS. Revista ECOS, 32(01), 103–114. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/6382

Edição

Seção

LITERATURA