O PAPEL DA INSTRUÇÃO EXPLÍCITA E IMPLÍCITA NO PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM DE L2/THE ROLE OF EXPLICIT AND IMPLICIT INSTRUCTION IN THE L2 TEACHING/LEARNING PROCESS

Autores

  • Laís Caroline S. Cruz Universidade de Brasília -UnB
  • Jéssica de Lima Fernandes Universidade de Brasília - UnB
  • Joara Martin Bergsleithner Universidade de Brasília - UnB

Palavras-chave:

Instrução explícita. Instrução implícita. Ensino/aprendizagem de L2. Futuro perfeito.

Resumo

O objetivo central desta pesquisa é investigar que tipo de instrução pode ser mais benéfica no processo de ensino/aprendizagem de L2, a instrução explícita ou a instrução implícita. O estudo conduz uma pesquisa quantitativa com 31 alunos do Ensino Médio de uma escola pública da região Centro-Oeste do Brasil, com o intuito de verificar qual tipo de instrução é mais benéfica em aulas de inglês/L2 ao se ensinar uma estrutura gramatical complexa, o Futuro Perfeito. Esses alunos foram divididos em dois grupos, sendo que um recebeu a instrução explícita e o outro recebeu a instrução implícita. Ambos os grupos fizeram um pré-teste, duas semanas depois receberam uma instrução e fizeram um teste imediato, isto é, imediatamente após a instrução, e, duas semanas após a instrução, fizeram um teste posterior. Os resultados mostraram que houve um aumento na média do teste imediato em relação ao pré-teste; no entanto, houve uma queda nas médias dos grupos no teste posterior, indicando que não houve aprendizado a longo prazo. Com base nos resultados, nenhuma das instruções, implícita ou explícita, se mostrou ser estatisticamente mais benéfica que a outra para o processo de ensino/aprendizagem de estrutura alvo na L2. Entretanto, a instrução explícita se mostrou ser ligeiramente mais benéfica a curto prazo. Sugere-se, para futuras pesquisas, que a instrução seja investigada em estudos longitudinais e com uma amostra maior de participantes para se obter mais validade nos resultados estatísticos.

Biografia do Autor

Laís Caroline S. Cruz, Universidade de Brasília -UnB

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade de Brasília (PGLA/UnB), Licenciada em Letras/Inglês e Respectiva Literatura pela Universidade de Brasília (UnB).

Jéssica de Lima Fernandes, Universidade de Brasília - UnB

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade de Brasília (POSLIT/UnB), Bacharel em Jornalismo pelo Centro Universitário ICESP de Brasília e Licenciada em Letras/Inglês pela UnB.

Joara Martin Bergsleithner, Universidade de Brasília - UnB

Doutora em Letras/Inglês e Literatura Correspondente pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, 2007); Realizou seu estágio de Pós-Doutoramento, na Georgetown University, Washington, DC (2015-2016); é Professora Associada III do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução da Universidade de Brasília (LET/UNB), do Instituto de Letras - Graduação e Pós-Graduação, e Vice-Coordenadora do Programa de Mestrado (PGLA/UnB).

Referências

Andrews, K. (2007). The effects of implicit and explicit instruction on simple and complex grammatical structures for adult English language learners. Journal of TESL-EJ, 11(2).

Celce-Murcia, M. (1991). Grammar pedagogy in second and foreign language teaching. TESOL Quarterly, 25, 459-480.

Doughty, C. (1991). Second language instruction does make a difference: Evidence from an empirical study of SL relativization. Studies in Second Language Acquisition, 13, 431-469.

Ellis, R. (1993). The structural syllabus and second language acquisition. TESOL Quartely, 27 (1), 91-112.

Ellis, R. (1994). The Study of Second Language Acquisition. Oxford: Oxford University Press.

Ellis, R (2008). Explicit Form-Focused Instruction and Second Language Acquisition. In: The handbook of educational linguistics. Edited by Bernard Spolsky and Francis M. Hult. Ed. Blackwell Publishing Ltd, 2008, Chapter 31, pp. 437-455.

Ellis, R. (2015a). The importance of focus on form in communicative language teaching. EJAL Eurasian Journal of Applied Linguistics 1(2) (2015) 1–12

Ellis, R. (2015b). Grammar Teaching for Language Learning. Auckland/Shanghai Babylonia 02/14 |babylonia.ch. pp. 10-15.

Khamesipour, M. (2015). The effects of explicit and implicit instruction of vocabulary through reading on EFL learners' vocabulary development. Theory and Practice in Language Studies, 5(8), 1620-1627

Long, M. H. (1991a). The design and psycholinguistic motivation of research on foreign language learning. In B. F. Freed (Ed.), Foreign language acquisition research and the classroom (pp. 309–320). Lexington, MA: D. C. Heath.

Long, M. H. (1991b). Focus on form: A design feature in language teaching methodology. In

K. de Bot, R. Ginsberg, & C. Kramsch (Eds.), Foreign language research in cross-cultural perspective (pp. 39–52). Amsterdam: John Benjamins.

Long, M. H. (1997, March). Focus on form in task-based language teaching. Presentation at the Fourth Annual McGraw-Hill Teleconference in Second Language Teaching.

Long, M. H.; Robinson, P. (1998). Focus on form: Theory, research, and practice. In C. Doughty & J. Williams (Eds.), Focus on form in classroom second language acquisition (pp. 15–41). Cambridge: Cambridge University Press.

Norris, J. M.; Ortega, L. (2000), Effectiveness of L2 Instruction: A Research Synthesis and Quantitative Meta‐analysis. Language Learning, 50: 417-528.

Skehan, P. (1989). Individual differences in second-language learning. London: Edward Arnold.

Spada, N. (1997). Form-focused instruction and second language acquisition: A review and classroom and laboratory research. Language Teaching, 30, 73-87.

http://www.bbc.co.uk/learningenglish/english/course/intermediate/unit-26/session-4

Downloads

Publicado

30/06/2022

Como Citar

Cruz, L. C. S., Fernandes, J. de L., & Bergsleithner, J. M. . (2022). O PAPEL DA INSTRUÇÃO EXPLÍCITA E IMPLÍCITA NO PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM DE L2/THE ROLE OF EXPLICIT AND IMPLICIT INSTRUCTION IN THE L2 TEACHING/LEARNING PROCESS. Revista ECOS, 32(01), 187–210. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/6389

Edição

Seção

LINGUÍSTICA