O ENSINO DA LITERATURA, ENGESSADO POR LEIS E DECRETOS

Autores

  • Irene Severina Rezende Doutorado em Letras (Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa) pela Universidade de São Paulo: USP (2008).

Resumo

Nesse artigo, procurou-se pontuar alguns dos perigos, para o ensino da literatura, gerados pelas mudanças em Leis e decretos. Enfocou-se a importância do aprendizado da Literatura enquanto objeto estético e não como objeto histórico ou moral. O estudo realçou a ideia de que é preciso promover o ensino da Literatura focalizando-a enquanto produção estética, e não enquanto retratos históricos articulados por uma linguagem bem elaborada; e, ainda evidenciou que sua função é a de promover, antes da formação moral, a experiência estética.

Referências

CEREJA, William Roberto. Ensino de Literatura- uma proposta dialógica para o trabalho

com literatura. São Paulo: Atual, 2005.

COELHO, Nelly Novaes. O ensino da Literatura. São Paulo: FTD, 1966.

______. Literatura: arte, conhecimento e vida. São Paulo: Peirópolis, 2000.

GERALDI, João Wanderley et al. O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 2001.

LEITE, Ligia Chiappini de Moraes. “Ensino de Gramática e ensino de literatura”. In:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA (MEC) (1968) Diretrizes e bases da educação

nacional. 3. ed. Rio de Janeiro: MEC/Colted. Coleção A.E.C., nº 12.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA (MEC) (1971). Reforma do ensino – 1º e 2º graus. Brasília: CFE.

Diário Ofi cial da União, Brasília, 12 ago. 1971. Disponível em: http://www.planalto.gov.

br/ccivil_03/LEIS/QUADRO/1960-1980.htm.>

(Acesso em: 20 de Fevereiro de 2011).

VYGOTSKI, L. S. Psicologia Pedagógica. Trad. Claudia Schileing. Porto Alegre: Artmed,

Downloads

Publicado

21/07/2015

Como Citar

Rezende, I. S. (2015). O ENSINO DA LITERATURA, ENGESSADO POR LEIS E DECRETOS. Revista ECOS, 11(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/712