CONSTITUIÇÃO DE PRÁTICAS IDENTITÁRIAS DE PROFESSORES DE INGLÊS EM COMUNIDADES DIGITAIS

Autores

  • Dánie Marcelo Jesus Doutor pela PUC-SP

Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar as práticas identitárias de três comunidades virtuais do Orkut, direcionadas para professores de língua inglesa – English Language Teachers, English Teachers in Brazil, Sou professor(a) de inglês. A finalidade é compreender como a identidade profissional dos professores é construída no discurso dos participantes. O estudo se insere numa perspectiva crítica do discurso (FAIRCLOUGH, 2000). A metodologia de pesquisa é de caráter interpretativo, e a análise buscou apreender as representações identitárias que se materializam nas escolhas linguísticas dos usuários das comunidades. As conclusões apontam para uma tentativa de fixar uma identidade profissional tradicional do professor de língua estrangeira nessas comunidades.

Referências

ASSIS-PETERSON, A. A. & SILVA, E. M. N. Não tenho estoque de sonhos para me

manter em pé: construção de identidades de uma professora de inglês. In: BARROS,

S. M. & ASSIS-PETERSON, A. A. A formação crítica de professores de línguas:

desejos e possibilidades. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010. p.145-174.

ASSIS-PETERSON, A.A. & COX, M. I. P. Ser/estar professor de inglês no cenário da

escola pública: em busca de um contexto eficaz de ensino/aprendizagem. Polifonia,

n. 05, Cuiabá: EdUFMT, 2002, p. 1-26.

CELANI, M. A. A. & MAGALHÃES, M. C. Representações de professores de inglês como

língua estrangeira sobre suas identidades profissionais: uma proposta de reconstrução.

In: MOITA LOPES, L. P. & BASTOS, L. C. B. (Org.). Identidades recortes multi e

interdisciplinares. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2002. p.319-338.

CELANI, M. A. C. Culturas de Aprendizagem: Risco, Incerteza e Educação. In:

MAGALHÃES, M. C. C. (org.). A formação do professor como um profi ssional

Crítico: linguagem e reflexão. São Paulo: Mercado de Letras, 2004.

CORACINI, M. J. R. F. Subjetividade e identidade do (a) professor (a) de português.

In: CORACINI, M. J. R. F. (Org.). Identidade e discurso. Campinas, São Paulo:

Argos, 2003. p. 239-255.

CUNHA, A G. Dicionário Etimológico Nova Fronteira de Língua Portuguesa.

Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991.

DORFMAN, A & MATTELART, A. Para ler o pato Donald: comunicação de massa

e colonialismo. Tradução Álvaro de Moya, 2.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

ERICKSON, ERICKSON, Frederic. Qualitative methods in research on teaching.

handbook of the research on teaching. 3d edition. M. WITTROCK, 1986/1990

ed. New York: Macmillan. Also, quantitative methods; Qualitative Methods (with R.

Linn) AEREA, Research in Teaching and Learning, volume 2. New York : Macmillan.

FABRÍCIO, B. F. & MOITA LOPES, L. P. A dinâmica dos (re) posicionamentos de

sexualidade em práticas de letramento escolar. In: MOITA LOPES, L. P. & BASTOS,

L. C. B. (Org.). Para além da identidade: fluxos, movimentos e trânsitos. Belo

Horizonte: Editora da UFMG, 2010. p.283-314.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Tradução Izabel Guimarães, Brasília:

Editora da UNB, 2001.

FOUCAULT, M. A arqueologia do Saber. São Paulo: Vozes, 1971.

FULLAN, M. & HARGREAVES, A. A escola como organização aprendente: buscando

uma educação de qualidade. São Paulo: Artmed, 2000.

GRIGOLETTO, M. Leituras sobre a identidade: contingência, negatividade e

invenção. In: MAGALHÃES, I.; CORACINI, M. J. & GRIGOLETTO, M. (Org.). Práticas

identitárias: língua e discurso. São Carlos: Clara Luz, 2006. p.15-44.

HALL, S. Quem precisa de identidade? In: SILVA, T.T.; HALL, S. & WOODWARD, K.

(Orgs.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Tradução:

Tomáz Tadeu da Silva. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2000. p.103-133.

JESUS, D.M. “Eu amo a língua portuguesa!”: o discurso de usuários do Orkut. Revista

Polifonia, n. 17, GELCO, Cuiabá: Editora da UFMT, 2009. p.239-253.

KLEIMAN, A. B. & SILVIA, E. MORAES. Leitura e interdisciplinaridade: Tecendo

Redes nos Projetos da Escola. Campinas, S P: Mercado de Letras, 1999.

KRESS, G & LEEUWEN, T.V. Reading images: the grammar of visual design. 2. ed.

London/New York:Routledge, 2007.

MACHADO, R.O.A. A Fala do Professor de Inglês como Língua Estrangeira:

Alguns Subsídios para a Formação do Professor. 1995. Dissertação (Mestrado), IEL,

UNICAMP, Campinas, 1995.

MAGALHÃES, I. Discurso, ética e identidade de gênero. In: MAGALHÃES, I.;

CORACINI M. J. & GRIGOLETTO, M. (Org.). Práticas Identitárias: língua e discurso.

São Carlos: Clara Luz, 2006. p.71-96.

MOITA LOPES, L. P. (Org.). Discursos de identidades: discurso como espaço de

construção de gênero, sexualidade, raça e profissão na escola e na família. Campinas,

SP: Mercado de Letras, 2003.

NASIO, J. D. Os 7 conceitos cruciais da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.

OLIVEIRA, E.S.G. Trabalho de professor – trabalho de Sísifo? a heróica dimensão

da docência. In: VIELLA, M. A. (org.) Tempos e Espaços de Formação. Chapecó:

Argos, 2003. p. 197- 218.

PASSOS, L.A Currículo, Tempo e Cultura. 2003. Tese (Doutorado) Educação e

Currículo, PUC-SP, São Paulo, 2003.

PONCE, B. J. O Tempo na Construção da Docência. 1997. Tese (Doutorado),

Educação e Currículo, São Paulo, 1997.

REVUZ, C. A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco do exílio,

Tradução: S. Serrani-Infante. In: I. Signorini (Org.). Lingua(gem) e identidade.

Campinas: Mercado de Letras, 1998. p. 213-230.

SANTIAGO, M. E. V. EFL teachers’ discourse at Orkut: agency from the perspective of

systemic functional linguistics and structuration theory. Revista Intercâmbio, volume

XVII, São Paulo: LAEL/PUC-SP, 2008, pp. 322-343.

SANTOS, M. L.P. Mulheres e a constituição da leitura em um evento de letramento:

intertextualidade e identidade social. In: MOITA LOPES, L.P. (Org.). Discursos de identidades. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003. p. 157-180.

UCHÔA-FERNANDES, J.A. Jogos de se mostrar/dizer: o sujeito e os discursos de

língua inglesa na rede social Orkut. 2008. Dissertação (Mestrado), USP, FFCH, São

Paulo, 2008.

VEREZA, S.C. Quem fala por mim?: identidade na produção discursiva em língua

estrangeira. In: MOITA LOPES, L. P. & BASTOS, L. C. B. (Org.). Identidades, recortes

multi e interdisciplinares. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2002. p.351-361.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual.

In: SILVA, T.T.; HALL, S & WOODWARD, K. (Org.). Identidade e Diferença: a

perspectiva dos estudos culturais. Tradução: Tomáz Tadeu da Silva. Petrópolis, RJ:

Editora Vozes, 2000.

Downloads

Publicado

21/07/2015

Como Citar

Jesus, D. M. (2015). CONSTITUIÇÃO DE PRÁTICAS IDENTITÁRIAS DE PROFESSORES DE INGLÊS EM COMUNIDADES DIGITAIS. Revista ECOS, 11(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/723

Edição

Seção

LINGUÍSTICA/ LÍNGUA PORTUGUESA