LÍNGUA E ENSINO: UMA LEITURA DISCURSIVA

Autores

  • Eliana Almeida Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.

Resumo

Perguntamos pelas práticas metodológicas de leitura e ensino de leitura na sala de aula em relação à reprodução das práticas escolares, sem propiciar acessos dos sujeitos do conhecimento – sujeito-aluno e sujeito-professor – ao objeto de estudos. Pela Análise do Discurso (Pêcheux, 1988; 2001; Orlandi, 1993; 2007), teoria crítica da linguagem, propomo-nos a um exercício discursivo de leitura, buscando compreender pelos processos de desnaturalização de sentidos da relação língua/sujeito/história outros sentidos em jogo em nossa sociedade e, com isso, circunscrevendo a sala de aula enquanto espaço produtivo de leitura.

Referências

AUROUX, Sylvain. A Revolução Tecnológica da Gramatização. Campinas: Editora

da Unicamp, 1992.

ESTADÃO NOTÍCIAS INTERNACIONAL. Obama comete gafe sobre Jogos

Paraolímpicos. Disponível em: http://www.estadao.com.br/noticias/ internacional

Acesso em: 20/03/2009.

FEDATTO, Carolina P. & MACHADO, Carolina de P. O muro, o pátio e o coral ou os

sentidos no/do professor. In: BOLOGNINI, Carmen Zink (Org.). Discurso e Ensino:

O cinema na escola. Campinas, SP: Editora Mercado das Letras, 2007. p. 9 – 16.

FOLHA DA REGIÃO. Obama se desculpa por gafe sobre Paraolímpicos.

www.folhadaregiao.com.br/Materia.php?id=112485>. Acesso em: 21/03/2009.

MARIANI, Bethânia. Análise do Discurso no Brasil: Mapeando conceitos, confrontado

limites. São Carlos: Editora Claraluz, 2007.

_____. Colonização Linguística: Línguas, política e religião no Brasil (séculos XVI a

XVIII) e nos Estados Unidos da América (século XVIII). Campinas-SP: Editora Pontes,

MILNER, Jean Claude. O amor da língua. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

ORLANDI, Eni P. Análise de Discurso: princípio e procedimentos. Campinas, SP:

Pontes, 2007.

_____ _. Terra à vista: discurso do confronto, velho e novo mundo. Campinas, SP:

Cortez, 1990.

______. Do Sujeito na História e no Simbólico. In: Revista Escritos. Contextos Epistemológicos

da Análise de Discurso. Nº 4. Labeurb, Campinas, 1999.

_____. Interpretação: Autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis-RJ

Vozes, 1996.

______. Discurso e Leitura. 5ª edição. São Paulo: Cortez; Campinas-SP: Editora

da Unicamp, 2000.

______. Efeitos do verbal sobre o não-verbal. In: RUA, n.1, Campinas, SP, p. 47,

______. Discurso e Texto: Formulação e Circulação dos Sentidos. Campinas, SP:

Pontes, 2001.

PAYER, Maria Onice. Memória da língua: Imigração e Nacionalidade. São Paulo:

Ed. Escuta, 2006.

PÊCHEUX, Michel & GADET, Françoise. A língua inatingível: O discurso na história

da Lingüística. Campinas: Pontes Editora, 2004.

_____. Delimitações, inversões, deslocamentos. Cadernos de Estudos Lingüísticos.

n. 19, Campinas, 1990.

______. Semântica e discurso. Campinas: Ed. da Unicamp, 1988.

______. Ler o Arquivo hoje. (Org. Eni Orlandi). Gestos de Leitura: Da História no

Discurso. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

Downloads

Publicado

21/07/2015

Como Citar

Almeida, E. (2015). LÍNGUA E ENSINO: UMA LEITURA DISCURSIVA. Revista ECOS, 11(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/724

Edição

Seção

LINGUÍSTICA/ LÍNGUA PORTUGUESA