SOBRE MOMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO EM MATERIAIS DIDÁTICOS BRASILEIROS PARA O ENSINO DE LÍNGUA ESPANHOLA

Autores

  • Flavia Braga Krauss Vilhena Docente da Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT. Mestre.

Resumo

Consideramos que o trabalho com a constante construção da identidade a partir da exposição à alteridade, conforme preconizado pelos documentos educacionais oficiais, estaria potencializado a partir do contato formal com o espanhol. Entretanto, os livros didáticos produzidos no Brasil nem sempre propiciam o desenvolvimento deste aspecto. De acordo com nossa argumentação, não podemos corroborar com uma posição discursiva que se sustente no estancamento de estereótipos culturais; sob pena de propiciarmos construções identitárias que se pretendem homogêneas, hegemônicas. Assim, cabe aos professores de língua espanhola para brasileiros, conjuntamente pensar e construir metodologias alternativas de ensino que reconheçam e saibam se aproveitar do processo de relativização e conscientização do político inerente às línguas, à cultura que esta abarca e ao processo educativo.

Referências

AGUILAR, C. Interculturalisme. llenguatge i Literatura Infantil i Juvenil. In: SALES, A. La

diversitat cultural a l´escola: propostes pràctiques per a un curículum intercultural.

Castelló: Universitat Jaume I, 2005. p.29-49,

ALTHUSSER. L. P. Aparelhos Ideológicos de Estado. 7. ed. Rio de Janeiro: Graal,

ALVES, A. M. & MELO, A. Mucho: Español para Brasileños. São Paulo: Moderna,

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofi a da Linguagem. São Paulo: Hucitec, 2006.

BARROS, M. Livro sobre o Nada. Rio de Janeito: Editora Record, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.

Parâmetros curriculares nacionais terceiro e quarto ciclos do ensino

fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília, DF: MEC/

SEF, 1998.

______. Ministério da Educação e do Desporto. Orientações Curriculares Nacionais

para o Ensino Médio: Língua Espanhola. Brasília, 2006.

BRIONES, A. I; FLAVIAN, E. & FERNÁNDEZ, G.E. Español Ahora. Volume Único.

São Paulo: Moderna, 2005.

BRUNO, F. A. T. C. & MENDOZA, M. A. C. L. Hacia el español: curso de lengua y

cultura hispánica. São Paulo: Saraiva, 1999.

CELADA, M. T. Pasando en limpio algunas cuestiones. Revista de la APEESP. Año

II/número 4/ Julio-Diciembre, 1992.

________. O espanhol para brasileiros: uma língua singularmente estrangeira.

Tese (Doutorado). Instituto de Linguística, Unicamp, Campinas, 2005.

CELADA, M. T. & GONZÁLEZ, N. T. M. Anuario Brasileño de Estudios Hispánicos.

Embajada de España en Brasil. Consejería de Educación y Ciencia. n. 1, Thesaurus

Editora de Brasília: Brasília, 1990.

CELADA, M. T. & RODRIGUES, F. S. C. El español en Brasil: actualidad y memoria.

Publicado no site do Real Instituto Elcano de Estudios Internacionales y Estratégicos.

Sección “Lengua y Cultura”, 2004. Disponível em: http://www.realinstitutoelcano.

org/zonasanalisis.asp?zona=12&version=1&publicado=1

COLAS, P. Género, interculturalidad e identidad. Teoría y práctica. In: REBOLLO,

M.A.(coord.,): Género e interculturalidad: educar para la igualdad. Madrid: La

Muralla. 2006. p.27-55,

CORACINI. M. J. R. F. Subjetividade e identidade do(a) professor(a) de portugués. In: CORACINI. M. J. R. F. (org.) Identidade e Discurso: (des)construindo identidades.

Campinas: Editora da Unicamp; Chapecó: Argos Editora Universitária, 2003.

______. Língua estrangeira e língua materna: uma questão de sujeito e identidade.

CORACINI. M. J. R. F. (org.) Identidade e Discurso: (des)construindo identidades.

Campinas: Editora da Unicamp; Chapecó: Argos Editora Universitária, 2003b.

________. A celebração do outro: arquivo, memória e identidade: línguas

(materna e estrangeira), plurilingüismo e tradução. Campinas, SP: Mercado de

Letras, 2007.

Diccionario de la Real Academia Española. 22 edición. 2001. Disponible em

www.rae.es

FORBES, J. As quatro posições subjetivas na produção do saber psicanalítico.

Disponível em www.jorgeforbes.com.br. Acessado em 14 de outubro de 2008.

GIROUX, H. Estudios Culturales, Pedagogía Crítica y Democracia Radical.

Madrid: Popular, 2005

GRIGOLETTO, Marisa. Leitura e Funcionamento do Livro Didático. IN: CORACINI,

Maria José (org.) Interpretação, Autoria e Legitimação do Livro Didático.

Campinas, SP: Pontes, 1999.

HALL, S. A Identidade Cultural na pós-modernidade. 9. ed. Rio de Janeiro:

DP&A, 2004.

JULIANO, D. Perspectiva de la antropología para estudiar construcciones de género en

FERNÁNDEZ, A. (coord.). Las mujeres en la enseñanza de las ciencias sociales.

Madrid: Sínteses, 2001.

LACAN, J. La instancia de la letra. Escritos. 1945. Disponível em: http://www.esnips.

com/_t_/lacan?to=120&gen=Any+Gender&t=1&sort=0&cnt=Any+Country&uf=

&page=1&st=0&from=13&pp=10&q=lacan Acessado em 21/09/2008.

ORLANDI, E. As Formas do Silêncio. Campinas: Editora da Unicamp, 1993.

______. Discurso Fundador. Campinas: Editora Pontes, 1993b.

______. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. Campinas, SP: Pontes,

________. Interpretação; autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico.

Campinas, SP: Pontes, 2004.

______. Terra à Vista: discurso do confronto - velho e novo mundo. São Paulo:

Cortez, 1990.

PÊCHEUX, M. & FUCHS, C. A propósito da Análise Automática do Discurso:

Atualização e perspectivas. GADET, F. & HAK, T. (org.) Por uma análise automática

do discurso. Uma introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da

Unicamp, 1997.

______. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas, SP: Editora da Unicamp, s/d.

REVUZ, C. A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco de exílio.

In: SIGNORINI, I. (org) Língua(gem) e identidade: elementos para uma discussão

no campo aplicado. Campinas, SP: Mercado de Letras; São Paulo: Fapesp, 1998.

SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix & Edusp, 1969.

SEÑAS: Diccionario para la Enseñanza de la Lengua Española para los

Brasileños. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

SERRANI-INFANTE, S. Identidade e segundas línguas: as identificações no discurso.

In: SIGNORINI, I. (org) Língua(gem) e identidade: elementos para uma discussão

no campo aplicado. Campinas, SP: Mercado de Letras; São Paulo: Fapesp, 1998.

________. Formações discursivas e processos identificatórios na aquisição de línguas.

DELTA, nº1, vol. 13, 1997. p. 63-81.

SILVA, O. L. A diversidade léxica em livros didáticos de língua espanhola:

descrição e análise. 2003. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Ciências e Letras,

Universidade Estadual Paulista –FCLAR/UNESP – Araraquara, 2003.

Downloads

Publicado

21/07/2015

Como Citar

Vilhena, F. B. K. (2015). SOBRE MOMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO EM MATERIAIS DIDÁTICOS BRASILEIROS PARA O ENSINO DE LÍNGUA ESPANHOLA. Revista ECOS, 11(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/726

Edição

Seção

LINGUÍSTICA/ LÍNGUA PORTUGUESA