Índios e civilização na Capitania de Mato Grosso sob a perspectiva do directório

Autores

  • Loiva Canova

Resumo

Este artigo analisa o conceito de civilização no contexto da filosofia Iluminista, discutido pelos filósofos do
período, e que deveria ser aplicado aos índios da América portuguesa e às práticas sociais indígenas. Uma
lei publicada no Setecentos, denominada Directório, cujas resoluções se destinavam aos índios, inicialmente
foi aplicada aos índios do Grão-Pará e Maranhão, para depois ser dirigida aos índios de Mato Grosso. Enten-
de-se que o Directório foi um instrumento jurídico empregado aos índios por meio da regulamentação das
ações dos agentes da colonização portuguesa e os colonos, entre os anos de 1757 e 1798, e também repre-
senta o resultado da política Iluminista destinada aos índios. Os discursos a propósito de civilizar os índios
promoveram práticas sociais capazes de interferir na vida de muitos que viviam nas terras da capitania de
Mato Grosso. Uma parte mínima do discurso a propósito desse assunto é apresentada neste texto.

Downloads

Publicado

22/12/2016

Como Citar

Canova, L. (2016). Índios e civilização na Capitania de Mato Grosso sob a perspectiva do directório. História E Diversidade, 8(1), 126–143. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/historiaediversidade/article/view/1624