Mulher com câncer do colo do útero: trajetória terapêutica / Woman with cervical cancer: therapeutic trajectory / Mujer con cáncer de cuello de útero: trayectoria terapéutica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/25261010

Palavras-chave:

doença crônica, neoplasias do colo do útero, saúde da mulher, enfermagem.

Resumo

Objetivo: conhecer a trajetória terapêutica da mulher com câncer do colo do útero em um município no Sul do Rio Grande do Sul. Método: estudo qualitativo e descritivo, desenvolvido com três mulheres com câncer do colo do útero no mês de maio de 2014. A análise dos dados foi conforme proposta de Minayo. Resultados: as mulheres trilharam diferentes trajetos dentro do sistema de saúde, os quais foram envoltos por potencialidades e fragilidades. Também foi possível observar dimensões subjetivas das participantes, as quais foram expressas por sentimentos e perspectivas. A família e os profissionais da saúde foram considerados as principais fontes de apoio. Considerações Finais: desvelar a trajetória terapêutica, de mulheres com câncer do colo do útero, poderá contribuir para a qualificação da assistência, uma vez que a partir do conhecimento das facetas subjetivas dessa vivência, há possibilidades da elaboração de estratégias com vistas a atender as necessidades destas pessoas. 

Biografia do Autor

Sandy Alves Vasconcellos, Universidade Federal de Pelotas.Pelotas.

Enfermeira. Bacharel em Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas.

Rosani Manfrin Muniz, Universidade Federal de Pelotas

Docente em Enfermagem do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Doutora. Enfermeira.

Aline da Costa Viegas, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira do Programa Melhor em Casa do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas. Doutoranda do PPG Enfermagem Universidade Federal de Pelotas, Mestre em Ciências do PPG Enfermagem Universidade Federal de Pelotas.

Daniela Habekost Cardoso, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Doutoranda do PPG Enfermagem Universidade Federal de Pelotas, Mestre em Ciências do PPG Enfermagem Universidade Federal de Pelotas

Débora Eduarda Duarte do Amaral, Universidade Federal de Pelotas

Professora Substituta na Faculdade de Enfermagem- Universidade Federal de Pelotas. Doutoranda do PPG Enfermagem Universidade Federal de Pelotas, Mestre em Ciências do PPG Enfermagem Universidade Federal de Pelotas.

Michele Cristiene Nachtigall Barboza, Universidade Federal de Pelotas

Docente em Enfermagem do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Doutora. Enfermeira.

Referências

Pimentel AV, Panobianco MS, Almeida AM, Oliveira ISB. A percepção da vulnerabilidade entre mulheres com diagnóstico avançado do câncer do colo do útero. Texto & contexto enferm. 2011; 20(2): 255-62.

Shahid S, Durey A, Bessarab D, Aoun SM, Thompson S. Identifying barriers and improving communication between cancer service providers and Aboriginal patients and their families: the perspective of service providers. BMC health serv res. 2013; 13: 2-13.

Göttems LBD, Santos NRC, Souza SFO, Morais TCP, Santana JA, Pires MRGM. Análise da rede de atenção ao câncer de colo uterino a partir da trajetória de usuárias no Distrito Federal-BR. Revista Eletrônica Gestão & Saúde. 2012; 3(2): 630-46.

Sonobe HM, Buetto LS, Zago MMF. O conhecimento dos pacientes com câncer sobre seus direitos legais. Rev esc enferm USP. 2011; 45(2): 339-45.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 466/2012: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. [internet] 2012 [acesso em 2015 março22]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec; 2012.

Malta DC, Merhy EE. O percurso das linhas de cuidado sob a perspectiva das doenças crônicas não transmissíveis. Interface comunic saúde educ. 2010; 14(34): 593-05.

Arruda C, Silva DMGV. Acolhimento e vínculo na humanização do cuidado de enfermagem ao paciente com Diabetes Mellitus. Rev bras enferm. 2012; 65(3): 758-66.

Soares MC, Mishima SM, Silva RC, Ribeiro CV, Meincke SK, Corrêa ACL. Câncer de colo uterino: atenção integral as mulheres nos serviços de saúde. Rev gaúch enferm. 2011; 32(3):502-08.

Gyenwali DL, Khana G, Paudel R, Amatya A, Pariyar J, Onta SR. Estimates of delays in diagnosis of cervical cancer in Nepal. BMC womens health. 2012; 14(29): 1-9.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Andrade EM, Andrade EO. O SUS e o direito a saúde do brasileiro: leitura de seus princípios, com ênfase na universalidade da cobertura. Rev bioét (Impr). 2010; 18(1): 61-74.

Teixeira MF, Patrício RG. O fenômeno da “fila dupla” ou “segunda porta” no Sistema Único de saúde e a inobservância ao princípio da impessoalidade: um exercício de aproximação de conceitos. Rev direito sanit. 2011; 11(3): 50-62.

Alves RCP. Vivências de profissionais de saúde na assistência a crianças e adolescentes com câncer: um estudo fenomenológico. São Paulo: [s.n.], 2012. 207p. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras; 2012.

Mazor KM, Beard RL, Alexander GL; Arora NK, Firmeno C, Gaglio B et. al. Patients’ and Family Members’ Views on Patient-Centered Communication During Cancer Care. Psycho-oncol. 2013; 22(11): 2487-95.

Soares SGSC, Albuquerque JOL. Intervenção do enfermeiro no tratamento quimioterápico de mulheres com câncer de mama. Rev enferm UFPI. 2013; 2(4): 50-65.

Silva RS, Amaral JB, Malagutti W. Enfermagem em cuidados paliativos: cuidando para uma boa morte. São Paulo: Martinari; 2013.

Santichi EC, Benute GRG, Juhas TR, Peraro EC, Lucia, MCS. Rastreio de sintomas de ansiedade e depressão em mulheres em diferentes etapas do tratamento para o câncer de mama. Psicol hosp. 2012; 10(1): 42-67.

Rodrigues JSM, Ferreira NML. Estrutura e funcionalidade da rede de apoio social do adulto com câncer. Acta paul enferm. 2012; 25(5): 781-87.

Furtado SB, Lôbo AS, Santos MCL, Silva APS, Fernandes AFC. Compreendendo sentimento das enfermeiras acerca do câncer de mama. Rev RENE. 2009; 10(4): 45-51.

Downloads

Publicado

20/11/2016

Como Citar

Vasconcellos, S. A., Muniz, R. M., Viegas, A. da C., Cardoso, D. H., Amaral, D. E. D. do, & Barboza, M. C. N. (2016). Mulher com câncer do colo do útero: trajetória terapêutica / Woman with cervical cancer: therapeutic trajectory / Mujer con cáncer de cuello de útero: trayectoria terapéutica. Journal Health NPEPS, 1(1). https://doi.org/10.30681/25261010

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)