Caracterização dos resultados de exames citopatológicos do colo do útero entre 2014 e 2016 / Characterization of the results of citopatological examinations of the uterus coloss between 2014 and 2016 / Caracterización de los resultados de examenes...

Autores

  • Gustavo Henrique Pimentel Matos Secretaria Municipal de Saúde de Barra do Garças.
  • Carmen Angela Guimarães Leal Fundação Educacional Dom André Arcoverde
  • Débora Aparecida da Silva Santos Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Felipe Rubin Ferrari Secretaria Municipal de Saúde de Barra do Garças.
  • Luciana Martins Frassetto de Freitas Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Liliam Carla Vieira Gimenes Silva Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

DOI:

https://doi.org/10.30681/25261010

Palavras-chave:

Neoplasias do Colo do Útero, Teste de Papanicolaou, Colposcopia

Resumo

Objetivo: analisar resultados dos exames citopatológicos de colo do útero alterados de mulheres submetidas à colposcopia. Método: pesquisa descritiva, exploratória, com abordagem quantitativa e de cunho documental, realizada no periodo de 2014 a 2016 em Barra do Garças, Mato Grosso. A análise de dados foi realizada por meio da estatística descritiva simples. Resultados: foram analisados 218 registros, prevalecendo entre as mulheres abaixo de 25 anos e entre 25 a 35 anos lesão de baixo grau, 65,85%, e 38,46% respectivamente; 36 a 45 anos, 35,71% lesão de alto grau; 46 a 55 anos, 39,39% células escamosas atípicas de significado indeterminado, não podendo afastar lesão de alto grau; entre 56 a 64 anos, 27,77% células escamosas atípicas de significado indeterminado, possivelmente não neoplásicas e 27,77% lesão de alto grau e e entre 65 anos ou mais, 26, 31% células escamosas atípicas de significado indeterminado, não podendo afastar lesão de alto grau. Conclusão: a faixa etária de 25 a 35 anos foi a que mais apresentou número de alterações. Em todas as faixas etárias investigadas no estudo, notou-se que ocorreram encaminhamentos indevidos à colposcopia, pois muitos desses encaminhamentos não requeriam o seguimento imediato, contrariando os critérios e condutas  preconizadas.

Biografia do Autor

Gustavo Henrique Pimentel Matos, Secretaria Municipal de Saúde de Barra do Garças.

Enfermeiro. Especialista em Docência no Ensino Superior e Gestão de Redes de Atenção à Saúde (FIOCRUZ). Secretaria Municipal de Saúde de Barra do Garças.

Carmen Angela Guimarães Leal, Fundação Educacional Dom André Arcoverde

Odontóloga. Mestre em Biossegurança em Saúde pelo Instituto de Pesquisas Clínicas Evandro Chagas (FIOCRUZ). Fundação Educacional Dom André Arcoverde.

Débora Aparecida da Silva Santos, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Enfermeira. Doutora. Docente Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Universitário de Rondonópolis, Curso de Enfermagem.

Felipe Rubin Ferrari, Secretaria Municipal de Saúde de Barra do Garças.

Farmacêutico. Especialista em Gestão de Redes de Atenção à Saúde (FIOCRUZ). Secretaria Municipal de Saúde de Barra do Garças.

Luciana Martins Frassetto de Freitas, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

5Bacharel em Saúde Coletiva. Mestre em Saúde Coletiva. Residente em Gestão hospitalar para o Sistema Único de Saúde pelo Hospital Universitário Júlio Muller (UFMT).

Liliam Carla Vieira Gimenes Silva, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Enfermeira. Mestre. Docente Assistente da Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Universitário de Rondonópolis, Curso de Enfermagem.

Referências

Vale DBAP, Morais SS, Pimenta AL, Zeferino LC. Avaliação do rastreamento do câncer do colo do útero na Estratégia Saúde da Família no Município de Amparo, São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2010; 26(2):383-90.

Nascimento GWC, Pereira CCA, Nascimento DIC, Lourenço GC, Machado CJ. Cervical cancer screening coverage in the state of Minas Gerais, Brazil between 2000-2010: a study using data from the Cervical Cancer Information System (SISCOLO). Cad Saúde Colet. 2015; 23(3):253-60.

Souza AF, Costa LHR. Conhecimento de Mulheres sobre HPV e Câncer do Colo do Útero após Consulta de Enfermagem. Rev brasil cancerol. 2015; 61(4):343-50.

Stofler MACW, Dias Nunes RD, Brum Rojas PFB, Trapani Junior A, Schneider IJC. Avaliação do desempenho da citologia e colposcopia comparados com a histopatologia no rastreamento e diagnóstico das lesões do colo uterino. ACM arq catarin med. 2011; 40(3):30-36.

Kuschnir R, Silva LB. Enfrentando o câncer o colo do útero. In: _____. Kuschnir R, Fausto MCR (orgs). Gestão de Redes de Atenção à Saúde. Rio de Janeiro: ENSP; 2014.

Inca. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Informativo detecção precoce. Rio de Janeiro: INCA; 2015.

Tuon FFB, Bittencourt MS, Panichi MA, Pinto AP. Avaliação da sensibilidade e especificidade dos exames citopatológico e colposcópico em relação ao exame histológico na identificação de lesões intra-epiteliais cervicais. Rev Assoc Med Bras. 2002; 48(2):140-4.

Ibge. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=510180&idtema=130&search=mato-grosso|barra-do-garcas|estimativa-da-populacao-2017-. Acesso em 30 set. 2017.

Mato Grosso. Estado de Mato Grosso. Secretaria de Estado de Saúde. Distribuição espacial dos municípios de Mato Grosso conforme região de saúde. Disponível em: https:// www.saude.mt.gov.br/arquivo/4524 . Acesso em 30 set. 2017.

Brasil. Portaria nº 466/2012 de outubro de 2012. Dispõe sobre diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa com seres humanos. Brasília (DF), Conselho Nacional de Saúde, Publicada no Diário Oficial da União de 13 de junho de 2013, Seção 1, p.59.

Inca. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero. Rio de Janeiro, 2016, 2.ed. Disponível em:http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/DDiretrizes_para_o_Rastreamento_do_cancerdo_colo_do_utero_2016_corrigido.pdf. Acesso em 12 out. 2017.

Dell’Agnolo CM, Brischiliarib, SCR, Saldanc G, França Gravenab AAF, Lopesb TCR, Demittoa MO, et al. Avaliação dos exames citológicos de papanicolau em usuárias do sistema único de saúde. Rev baiana saúde pública. 2014;38(4):854-64

Reis AAA, Franco TLB, Cordeiro LAM, Ana Angélica Lima Dias AAL, Gradim CVC. Exame citopatológico do colo do útero: diagnóstico situacional de um Centro de Referência. Ciência et Praxis. 2015;8(16):33-8.

Oliveira ES de, Barbosa KKV, Chagas ACF, Ivo ML, Carvalho DPSRP, Ferreira Júnior MA. Citopatologia cervical e perfil epidemiológico de mulheres com vida sexual ativa. Rev enferm UFPE on line. 2015; 9(Supl. 7):8985-92.

Bedin R, Gasparin VA, Pitilin EB. Factors associated to uterine-cervix changes in women assisted in a pole town in western Santa Catarina. Rev pesq cuid fundam. 2017; 9(1):167-74.

Gandra AS, Gonçalves FF, Pereira FG, Brito TC, Amariz AA, Miranda RL. Rastreamento do câncer do colo do útero em Montes Claros, Minas Gerais: análise de dados do Siscolo no período de 2004 a 2013. Rev Montes Claros. 2017; 19(1):130-40.

Massmann PF, Oliveira AC, Silva SMC, Franco SEJ, Lima JM, França FAZ, et al. Cobertura do exame citopatológico em unidades de saúde no interior de Mato Grosso. J Health NPEPS. 2017; 2(2):407-17.

Downloads

Publicado

03/07/2018

Como Citar

Pimentel Matos, G. H., Guimarães Leal, C. A., da Silva Santos, D. A., Rubin Ferrari, F., Martins Frassetto de Freitas, L., & Vieira Gimenes Silva, L. C. (2018). Caracterização dos resultados de exames citopatológicos do colo do útero entre 2014 e 2016 / Characterization of the results of citopatological examinations of the uterus coloss between 2014 and 2016 / Caracterización de los resultados de examenes. Journal Health NPEPS, 3(1), 153–165. https://doi.org/10.30681/25261010

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale