Drogas psicoativas no contexto de trabalho do professor de escola pública / Psychoactive drugs in the context of work of the teacher of public school / Drogas psicoactivas en el contexto de trabajo del profesor de escuela pública

Tatiane Xavier Bauer, Rosa Jacinto Volpato, Vagner Ferreira do Nascimento, Elias Marcelino Rocha, Pâmela Roberta Oliveira, Maria Aparecida Sousa Oliveira Almeida, Margarita Antonia Villar Luis, Alisséia Guimarães Lemes

Resumo


Objetivo: investigar a presença de drogas psicoativas no contexto de trabalho do professor. Método: trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa, realizado no primeiro semestre de 2015, com 30 professores que atuavam em escolas de ensino médio público no interior de Mato Grosso. Utilizou-se um roteiro para a realização da entrevista audiogravada. Os dados foram analisados por meio da análise temática. Resultados: o estudo revelou que os professores estão cotidianamente em contato com estudantes consomem drogas psicoativas. Esses profissionais acreditam que a adolescência contribui para o uso de drogas psicoativas e que este consumo compromete o desempenho escolar. O estudo ainda revelou que dentro da escola tem sido abordado a temática sobre drogas psicoativas de forma esporádica, e consequentemente pouco eficaz. Verificou-se também que os professores sentem-se impotentes diante da problemática, principalmente por desconhecerem formas adequadas de abordagem com os estudantes. Conclusão: o estudo demonstrou a carência dos professores para o enfrentamento de questões referentes às drogas psicoativas nesse cenário, o que indica a necessidade de incluir esse conteúdo em formações continuadas e investimentos em projetos interdisciplinares com vistas a promover a qualidade de vida dos estudantes. 


Palavras-chave


Adolescente; Drogas; Ensino Médio; Professores; Prevenção

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida RA, Anjos UU, Vianna RPT, Pequeno GA. Perfil dos usuários de substâncias psicoativas de João Pessoa. Saúde debate. 2014;38(102):626-38.

Henriques BD, Reinaldo AMS, Ayres LFA, Moreira TR, Lucca MS, Rocha RL. O uso de crack e outras drogas por crianças e adolescentes e suas repercussões no ambiente familiar. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2016; 20(4):3-8.

World Health Organization (WHO). Update and Revision Committee: Cumulative official updates to CID-10. Geneva: WHO; 2013.

Carlini ELA, Noto AR, Sanchez ZVDM, Carlini CMA, Locatelli DP, Abeid LR, et al. VI Levantamento Nacional sobre o Consumo de Drogas Psicotrópicas entre Estudantes do Ensino Fundamental e Médio das Redes Pública e Privada de Ensino nas 27 Capitais Brasileiras – 2010. São Paulo: CEBRID - Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas: UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo 2010. SENAD - Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, Brasília, 2010, 506p.

Madruga CS, Laranjeira R, Caetano R, Pinsky I, Zaleski M, Ferri CP. Use of licit and illicit substances among adolescents in Brazil - A national survey. Addict behav. 2012; 37:1171-5.

Reis LF, Sanchez ZM. A prática do sexo precoce e sexo inseguro entre escolares e sua associação com o uso de drogas e os estilos parentais. In: Anais do X Congresso Brasileiro de Epidemiologia; 2017 out. 7-11; Florianópolis; 2017. p. 18052.

Sanchez ZVDM, Nappo SA, Cruz JI, Carlini EA, Carlini CM, Martins SS. Sexual behavior among high school students in Brazil: alcohol consumption and legal and illegal drug use associated with unprotected sex. Clinics. 2013; 68(4):489-94.

Pechansky F, Szobot CM, Scivoletto S. Uso de álcool entre adolescentes: conceitos, características epidemiológicas e fatores etiopatogênicos. Rev bras Psiquiatr. 2004; 26(Supl I):14-7.

Clerget S. Adolescência: a crise necessária. Rio de Janeiro: Rocco; 2004.

Muza GM. Comportamento de risco na adolescência: a necessidade da interdisciplinaridade. Rev saúde Dist Fed. 2000;11(1-2):5-7.

Facundo FRG, Castillo MMA. Adquisición del uso de alcohol en un grupo de adolescentes mexicanos: el efecto de la relación con amigos. SMAD, Rev eletrônica saúde mental álcool drog. 2005; 1(2):1-13.

Barros BA, Lemes AG, Bauer TX, Moura AAM, Carrijo MVN, Siqueira MFC, et al. Desvelando o universo das drogas entre adolescentes. Rev eletronica interdisciplin. 2016; 15(1):189-94.

Guimarães AD, Vieira MJ, Palmeira JÁ. Informações dos adolescentes sobre métodos anticoncepcionais. Rev Latino-am Enfermagem. 2003; 11(3):293-8.

Sanchez ZVDM, Oliveira LG, Nappo AS. Razões para o não-uso de drogas ilícitas entre jovens em situação de risco. Rev saúde pública. 2005; 39(4):599-605.

Nicastri S, Ramos SP. Drug abuse is a preventable behavior. Drug addiction is a treatable disease. J Bras Depend Quím. 2001; 2(Supl. II):25-9.

Soares FRR, Xavier EL, Duarte KIS, Oliveira LC, Nunes MJM, Santos TLC, et al. Articulando sobre álcool e outras drogas: uma perspectiva acerca da prevenção em estudantes de uma escola pública de Mossoró-RN. Rev extendere. 2017; 5(1):44-56.

Coelho FJF, Monteiro S. Educação sobre Drogas: Possibilidades da EaD na Formação Continuada de Professores. EaD foco. 2017; 7(2):194–204.

Hudelson PM. Qualitative research for health programmes. World Health Organization. Geneva: WHO; 1994.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Silva OG, Navarro EC. A relação professor-aluno no processo ensino-aprendizagem. Rev eletrônica interdisciplin. 2012; 8(3):95-100.

Moreira A, Vóvio CL, Micheli D. Prevenção ao consumo abusivo de drogas na escola: desafios e possibilidades para a atuação do educador. Rev Educ Pesqui. 2015; 41(1):119-35.

Ruzzi-pereira A. Prevalência do uso de álcool e outras drogas entre escolares da rede pública de ensino de Uberaba-MG: fatores de risco e de proteção [tese]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina; 2015. 124p.

Tuttle J, Melnyk BM, Loveland-cherry C. Adolescent drug and alcohol use: strategies for assessment, intervention, and prevention. Nursing Clin North Am. 2002; 37:443-60.

Schenker M, Minayo MCS. Fatores de risco e de Proteção para o uso de Drogas na adolescência. Ciênc Saúde Colet. 2005;10(3):707-17.

Santos MA, Pratta EMM. Adolescência e uso de drogas à luz da psicanálise: sofrimento e êxtase na passagem. Tempo psicanál. 2012; 44(1):167-82.

Elicker E, Palazzo LS, Aerts DRGC, Alves GG, Câmara S. Uso de álcool, tabaco e outras drogas por adolescentes escolares de Porto Velho-RO, Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(3):399-410.

Sanchez ZVDM, Oliveira LG, Ribeiro LA, Nappo SA. O papel da informação como medida preventiva ao uso de drogas entre jovens em situação de risco. Ciênc Saúde Colet. 2011; 16(supl 1):1257-66.

Weber LND. Relações entre práticas educativas parentais percebidas e a autoestima, sinais de depressão e ouso de substâncias por adolescentes. INFAD Rev Psicol. 2017; 2(1):157-68.

Valente JY, Cogo-moreira H, Sanchez ZVDM. Gradient of association between parenting styles and patterns of drug use in adolescence: a latent class analysis. Drug alcohol depend. 2017; (180):272-8.

Mendez-Ruiz MD, Alonso-Castilho MTJ, Alonso-Castilho MM, Uribe-Alvarado JI, Armendáriz-García NA. Relación de percepción de riesgo y consumo de alcohol em adolescentes. SMAD, Rev. eletrônica saúde mental álcool drog. 2015; 11(3):161-7.

Andrade SSCA. Relação entre violência física, consumo de álcool e outras drogas e bullying entre adolescentes escolares brasileiros. Cad saúde pública. 2012; 28(9):1725-36.

Cardoso LRD, Malbergier A. Problemas escolares e o consumo de álcool e outras drogas entre adolescentes. Psicol esc educ. 2014; 18(1):27-34.

Stone AL, Becker LG, Huber AM, Catalano RF. Review of risk and protective factors of substance use and problem use in emerging adulthood. Addict behav. 2012; 37(7):747-75.

Reveles CC, Segria NJ, Botelho C. Fatores Associados à Experimentação do Narguilé entre Adolescentes. J pediatr. 2013; 89(6):583-7.

Arrioja-morales G. Factores de riesgo para el consumo de alcohol en adolescentes estudiantes. SMAD, Rev. eletrônica saúde mental álcool drog. 2017; 13(1):22-9.

Laranjeira R, Madruga CS, Pinsky I, Caetano R, Ribeiro M, Mitsuhiro S. II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas – Consumo de Álcool no Brasil: Tendências entre 2006/2012. São Paulo: Inpad; 2013.

Medeiros PFP, Cruz JI, Schneider DR, Sanudo A, Sanchez ZVDM. Process evaluation of the implementation of the Unplugged Program for drug use prevention in Brazilian schools. Subst abuse treat prev policy. 2016; 11(2):1-11.

Malta DC. Exposure to alcohol among adolescent students and associated factors. Rev saúde pública. 2014; 48(1):52-62.

Sodelli M. A prevenção em nova perspectiva: ações redutoras de vulnerabilidade ao uso nocivo de drogas. Rev portug int saude mental. 2007; 9(2):3-58.

Ferreira TCD, Sanchez ZVDM, Ribeiro LA, Nappo AS. Percepções e atitudes de professores de escolas públicas e privadas perante o tema drogas. Interface Comunic Saúde Educ. 2010; 14(34):551-62.

Okulicz-Kozaryn K. School as a risk fator for psychoactive substance use by middle school students. Procedia Soc Behav Sci. 2010; 2(2):1620-24.

Nóvoa A. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Rev Educ Pesqui. 1999; 25(1):11-20.

Chagas JC, Marques RHB, Pedroza RLS, Pulino LHCZ, Silva SFL, Siqueira IB, Sousa TR, Sudbrack MFO. Concepções de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental sobre prevenção do uso indevido de drogas. Rev bras educ 2017; 22(71):1-20.

Moreira FG, Silveira DX, Andreoli SB. Redução de danos do uso indevido de drogas no contexto da escola promotora de saúde. Ciênc Saúde Colet. 2006; 11(3):807-16.

Santiago LM, Rodrigues MTP, Oliveira Junior AD, Moreira TMM. Implantação do Programa Saúde na escola em Fortaleza-CE: atuação de equipe da Estratégia Saúde da Família. Rev bras enferm. 2012; 65(6):1026-29.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 JOURNAL HEALTH NPEPS



ISSN 2526-1010