Perfil epidemiológico e análise de Tendência de HIV/AIDS/ Epidemiological profile and trend analysis of HIV/AIDS/ Perfil epidemiológico y análisis de tendencia del HIV/SIDA

Autores

  • Felipe Ferraz Trindade Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).
  • Gizely Teixeira Fernandes Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).
  • Rubens Henrique Ferreira Nascimento Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).
  • Iann Fernando Gouvêa Jabbur Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).
  • Anamaria de Souza Cardoso Centro Universitário FIPMOC (UNIFIPMoc).

DOI:

https://doi.org/10.30681/25261010

Palavras-chave:

Infecções por HIV, Epidemiologia, Modelos Lineares.

Resumo

Objetivo: traçar perfil epidemiológico de HIV/AIDS em Montes Claros, Minas Gerais e analisar a linha de tendência de crescimento da doença. Método: trata-se de estudo epidemiológico, transversal, descritivo-analítico e com abordagem quantitativa. Os dados foram coletados através do DATASUS, no SINAN e SIM, referentes ao intervalo entre 1986 e 2016. A análise do modelo preditivo se deu por Regressão Linear Simples, cujos pressupostos de validação foram atendidos. Resultados: desde o primeiro diagnóstico notificado em 1986 ocorreu grande disseminação da doença, totalizando 523 casos confirmados. A distribuição foi de 59,8% (313) para homens; 31,9% (167) na faixa etária de 30-39 anos; 33,7% (176) na raça parda; e 48,4% (256) da exposição por contato sexual heterossexual. A mortalidade condiz com 71,9% (23) do sexo masculino; 43,8% (14) na faixa etária de 30-39 anos. A reta de tendência da epidemia denota aumento progressivo na incidência, segundo a função de -2227,779 + 1,122*(Ano). Conclusão: os dados avaliados permitem inferir que a epidemia de HIV/AIDS ainda se encontra em expansão. Não obstante, desde o surgimento, o perfil sociodemográfico da doença assume característica mutável, necessitando de vigilância constante para adequação de políticas de controle.

Biografia do Autor

Felipe Ferraz Trindade, Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).

Graduando em Medicina pelo Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc). Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Gizely Teixeira Fernandes, Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).

Graduanda em Medicina pelo Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc). Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Rubens Henrique Ferreira Nascimento, Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).

Graduando em Medicina pelo Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc). Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Iann Fernando Gouvêa Jabbur, Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).

Graduando em Medicina pelo Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc). Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Anamaria de Souza Cardoso, Centro Universitário FIPMOC (UNIFIPMoc).

Doutora em Ciências Biológicas. Professora dos Departamentos de Medicina e Psicologia do Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc). Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Referências

Neves JAC, Melo NS, Souza JC, Oliveira MM, Cerqueira TF. Processo saúde-doença: a sexualidade e a AIDS na terceira idade. Enferm rev. 2015; 18(1):121-135.

EUA. Department of Health & Human Services. Symptoms of HIV. Maio de 2017 [acesso em 2018 mai 12]. Disponível em: https://www.hiv.gov/hivbasics/overview/about-hiv-andaids/symptoms-of-hiv.

Barata GF. A primeira década da Aids no Brasil: o Fantástico apresenta a doença ao público (1983 a 1992). Dissertação [Mestrado em História]. Universidade de São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 2006 [acesso em 2018 mar 8]. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disp oniveis/8/8138/tde-07072006- 124258/pt-br.php.

Barros SG, Vieira-da-Silva LM. A gênese da política de luta contra a aids e o Es- paço Aids no Brasil (1981- 1989). Rev saúde pública. 2016; 50:43.

Waldvogel B, Morais LCC. Mortalidade por Aids em São Paulo: dezoito anos de história. In: Anais Encontro Nacional de Estudos Populacionais da ABEP; 2016. p. 2131- 2145. [acesso em 2018 mai 09]. Disponível em: http://www.abep.org.br/publicacoe s/index.php/anais/article/download /925/890.

Soares JP, Silva ACO, Silva DM, Freire MEM, Nogueira JA. Prevalência de fatores de risco para o HIV/AIDS em populações vulneráveis: uma revisão de literatura. Arq catarin med. 2017; 46(4):182-194.

Gúercio PMS. História da Aids no Brasil. Departamento de Epidemiologia em Serviços de saúde, 2008 [acesso em 2018 mar 08]. Disponível em: https://www.pjf.mg.gov.br/secretar ias/ss/aids_dst/arquivos/historia_br asil.pdf

Brasil, Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico – HIV/aids - 2015. Brasília, DF: 2014 [acesso em 2018 mar 08]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/ptbr/pub/2015/boletimepidemiologico-hivaids-2015.

Fonseca MGP, Barreira D. A evolução da mortalidade por AIDS no país, segundo sua distribuição geográfica. In: Boletim Epidemiológico aids; 2006 [acesso em 2018 mar 08]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/peri odicos/Boletim_jul_set_2000.pdf.

Szwarcwald C, Bastos F, Esteves M, Andrade C. A disseminação da epidemia da AIDS no Brasil, no período de 1987-1996: uma análise espacial. Cad saúde pública. 2000; 16(suppl 1):S07-S19.

Brasil, Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim epidemioló- gico HIV/Aids 2017. 2017;20(1). [acesso em 2018 mar 08]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/ptbr/pub/2017/boletimepidemiologico-hivaids-2017

Brito A, Castilho E, Szwarcwald C. AIDS e infecção pelo HIV no Brasil: uma epidemia multifacetada. Rev Soc Bras Med Trop. 2001; 34(2):207- 217.

Abreu SR, Pereira BM, Silva NM, Moura LRP, Brito CMS, Câmara JT. Estudo epidemiológico de pacientes com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana/síndrome da imunodeficiência adquirida (hiv/aids), Caxias-MA. Rev Interdiscip. 2016; 9(4):132-141.

Santos A, Assis M. Vulnerabilidade das idosas ao HIV/AIDS: despertar das políticas públicas e profissionais de saúde no contexto da atenção integral: revisão de literatura. Rev bras geriatr gerontol. 2011; 14(1):147-157.

Pereira JA, Marques RH, Fonseca LVL, Eleutério AM, Bonfim MLC, Dias OV. Infecção Pelo HIV e AIDS em Município do Norte de Minas Gerais. Rev APS. 2011; 14(1):39-49.

Gomes R, Ceccato M, Kerr L, Guimarães M. Fatores associados ao baixo conhecimento sobre HIV/AIDS entre homens que fazem sexo com homens no Brasil. Cad saúde pública. 2017 [acesso em 2018 mar 8]; 33(10):e00125515.

Reis A, Santos E, Cruz M. A mortalidade por aids no Brasil: um estudo exploratório de sua evolução temporal. Epidemiol serv saúde. 2007;16(3):195-205.

Bonolo P, Gomes R, Guimarães M. Adesão à terapia anti-retroviral(HIV/aids): fatores associados e medidas da adesão. Epidemiol serv saúde. 2007; 16(4):261-278.

Cunha A, Cruz M, Torres R, Cunha A, Cruz M, Torres R. Tendência da mortalidade por aids segundo características sociodemográficas no Rio Grande do Sul e em Porto Alegre: 2000-2011. Epidemiol serv saúde. 2016; 25(3):477-486.

Costa D, Zago M, Medeiros M. Experiência da adesão ao tratamento entre mulheres com Vírus da Imunodeficiência Humana/Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Acta paul enferm. 2009; 22(5):631-637.

Barbosa I, Costa Í. Estudo Epidemiológico da Coinfecção TuberculoseHIV no Nordeste do Brasil. Rev patol trop. 2014; 43(1):27-38.

Grangeiro A, Castanheira E, Nemes M. A re-emergência da epidemia de aids no Brasil: desafios e perspectivas para o seu enfrentamento. Interface (Botucatu). 2015; 19(52):5- 8.

Amaral RS, Carvalho STRF, Silva FMAM, Dias RS. Soropositividade para HIV/AIDS e características sociocomportamentais em adolescentes e adultos jovens. Rev pesq saúde. 2017; 18(2):108-113.

Downloads

Publicado

01/06/2019

Como Citar

Trindade, F. F., Fernandes, G. T., Nascimento, R. H. F., Jabbur, I. F. G., & Cardoso, A. de S. (2019). Perfil epidemiológico e análise de Tendência de HIV/AIDS/ Epidemiological profile and trend analysis of HIV/AIDS/ Perfil epidemiológico y análisis de tendencia del HIV/SIDA. Journal Health NPEPS, 4(1), 153–165. https://doi.org/10.30681/25261010

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale