Perfil de comportamento e características sexuais de caminhoneiros/ Profile of behavior and sexual characteristics of truck drivers/ Perfil de comportamiento y características sexuales de conductores de camiones

Rodrigo da Silva Busanello, Edson Antônio Silva Lima, Andre Cantarelli Vilela, Mariana Rodrigues Santana, Fernando Riegel, Alisséia Guimarães Lemes, Elias Marcelino da Rocha

Resumo


Objetivo: descrever o comportamento e os aspectos da sexualidade de caminhoneiros. Método: estudo transversal e com abordagem quantitativa junto a 177 caminhoneiros em 2018, em um município do leste de Mato Grosso. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista semiestruturada. Para a análise e tabulação dos dados, utilizou-se a estatística descritiva e o software Epi Info. Resultados: verificou-se que os caminhoneiros não cuidam de sua saúde de forma adequada, associada a uma alimentação de má qualidade; uso de tabaco, álcool e rebite; e prática sexual insegura. Para a maioria dos caminhoneiros, o desempenho sexual foi considerado como satisfatório, embora de forma contraditória reportaram ejaculação precoce, dificuldade de manter a ereção e necessidade do uso de estimulantes sexuais. Conclusão: a sexualidade dos caminhoneiros pode estar comprometida devido a construção social da masculinidade. Por ser um tema permeado por preconceitos e tabus, os motoristas podem ter omitido aspectos em relação a sua sexualidade.


Palavras-chave


Sexualidade; Saúde do Homem; Vulnerabilidade em Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


Masson VA, Monteiro MI. Estilo de vida, aspectos de saúde e trabalho de motoristas de caminhão. Rev Bras Enferm. 2010; 63(4):533-540.

Silva AL, Maia ACCO. A evolução da sexualidade masculina através do tratamento da ejaculação precoce sob a luz da terapia cognitivo-comportamental. Cad UniFOA. 2017; 3(1):87-96.

Sastry S. Long distance truck drivers and the structural context of health: a culture-centered investigation of indian truckers’ health narratives. Health Commun. 2016; 31(2):230-241.

Sastry S, Dutta MJ. Global health interventions and the “common sense” of neoliberalism: a dialectical analysis of pepfar. J Int Intercult Commun. 2013; 6:21–39.

Juneja S, Rao Tirumalasetti V, Mishra RM, Sethu S, Singh IR. Impact of an HIV prevention intervention on condom use among long distance truckers in India. AIDS Behav. 2013; 17:1040.

Araújo TME, Rocha DRF, Silva AAS, Souza KAA, Chaib NL. Comportamentos sexuais e fatores associados entre caminhoneiros de rota longa. Rev Enferm UFPI. 2015; 4(2):25-32.

Rocha EM, Lemes AG, Santos BLM. Exposição de caminhoneiros à infecções sexualmente transmissíveis. J Health NPEPS. 2017; 2(1):230-240.

Rocha EM, Siqueira MFC, Santos BLM, Silva MHP. Prevalência de obesidade e sedentarismo em caminhoneiros. Rev Elet Inter. 2015; 13(1):165-169.

Alessi A, Alves MK. Hábitos de vida e condições de saúde dos caminhoneiros do Brasil: uma revisão da literatura. Ciênc Saúde. 2015; 8(3):129-136.

Costa PF, Cerqueira-Santos E. Fatores associados ao uso de preservativo e relações com prostitutas entre caminhoneiros do Brasil. Psicol saúde doenças. 2018; 19 (3):617-627.

Rohden F. Diferenças de gênero e medicalização da sexualidade na criação do diagnóstico das disfunções sexuais. Rev estud fem. 2009; 17(1):1-21.

Sobrinho-Santos CK, Silva AV, Malheiros AF, Trindade RA, Pagan AA. Relatos de caminhoneiros sobre a prevenção do HIV e o material educacional impresso: reflexões para educação em saúde. Ciênc educ. 2015; 21(4):1011-1030.

Sousa LMS, Silva LS, Palmeira AT. Representações sociais de caminhoneiros de rota curta sobre HIV/AIDS. Psicol Soc. 2014; 26(2):346-355.

Kohli A, Kohli A, Kerrigan D, Brahmbhatt H, Likindikoki S, Beckham J, Mwampashi A, et al. Social and structural factors related to HIV risk among truck drivers passing through the Iringa region of Tanzania. AIDS Care. 2017; 29(8):957-960.

Nascimento NS, Leitão LNO, Santos MWS, Silva AKC, Pereira LM, Teles FA. Ejaculação precoce: existe tratamento? Rev saúde desen. 2014; 5(3):180-195.

Reis MMF, Glina S, Abdo CHN. Percepções sobre o tamanho do pênis em homens brasileiros supostamente saudáveis de 40 a 60 anos: um estudo piloto transversal. Sao Paulo Med J. 2015; 133(2):84-90.

Duarte DV, Restrepo-Méndez MC, Silveira MF. Prevalence of erectile dysfunction oral drugs use in a city of southern Brazil. Ciênc Saúde Colet. 2017; 22(8):2763-2770.

Sawal N, Hans GDR, Verma G. Sexual practices, myths and misconceptions among long distance truck drivers in North India. QJM: Int J Med. 2016; 109:467–472.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 JOURNAL HEALTH NPEPS



ISSN 2526-1010