Barreiras encontradas por mães adolescentes para adesão precoce ao pré-natal/ Barriers found by adolescent moms for early adherence to prenatal care/ Barreras encontradas por madres adolescentes para la adhesión temprana a la atención prenatal

Ernandes Gonçalves Dias, Carlos Kéliton Nunes de Oliveira, Erleiane Lucinária Santos Souza

Resumo


Objetivo: verificar as barreiras encontradas por mães adolescentes para adesão precoce ao pré-natal. Método: trata-se de estudo descritivo, retrospectivo e qualitativo, realizado com 10 mães adolescentes que iniciaram o pré-natal tardiamente em uma unidade de saúde da cidade de Serranópolis de Minas, Minas Gerais. Os dados foram coletados entre novembro e dezembro de 2016 e analisados de acordo a técnica de análise temática. Resultados: as participantes possuíam pouca renda e baixa escolaridade. O medo, por diversos motivos, e o desconhecimento associado a variáveis socioeconômicas apareceram como barreiras que podem justificar o início tardio do pré-natal. Conclusão: é importante o desenvolvimento de ações de identificação de adolescentes mais vulneráveis a comportamentos de risco para a gravidez, e programas de educação em saúde nos espaços ocupados por este público, a fim de orientar os adolescentes em relação a sexualidade e gravidez na adolescência.


Palavras-chave


Adolescente; Gravidez; Gravidez na Adolescência; Comportamento do Adolescente.

Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Saúde (BR). Saúde do adolescente e a saúde da família: o papel do médico nas ações de atenção integral à saúde do adolescente. São Luiz (MA): UNA-SUS; 2014.

Nass EMA, Lopes MCL, Alves BD, Marcolino E, Serafim D, Higarashi IH, et al. Vivências da maternidade e paternidade na adolescência. Rev baiana enferm. 2017; 31(2):e16629.

Dias EG, Alves JCS, Viana JM, Santos IM, Silva JP. Percepções sobre a gravidez em um grupo de adolescentes grávidas do município de Janaúba-MG. Rev Gest Saúde. 2015; 6(2):1239-53.

Almeida RAAS, Corrêa RGCF, Rolim ILTP, Hora JM, Linard AG, Coutinho NPS, et al. Knowledge of adolescents regarding sexually transmitted infections and pregnancy. Rev Bras Enferm. 2017; 70(5):1033-9.

Costa GF, Siqueira DD, Rocha FAA, Costa FBC, Branco JGO. Fatores psicossociais enfrentados por grávidas na fase final da adolescência. Rev Bras Promoç Saúde. 2018; 31(2):1-8.

Demori CC, Prates LA, Alves CN, Wilhelm LA, Cremonese L, Castiglioni CM. O significado cultural da maternidade para mães adolescentes. RIES, 2016; 5(1):47-56.

Dias ACG, Teixeira MAP. Gravidez na adolescência: um olhar sobre um fenômeno complexo. Paidéia. 2010; 20(45):123-131.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Braun V, Clarke V. Using thematic analysis in psychology. Qual res psychol. 2006; 3(2):77-101.

Rodrigues ARS, Barros WM, Soares PDFL. Reincidência da gravidez na adolescência: Percepções das adolescentes. Enferm Foco. 2016; 7(3/4):66-70.

Maranhão TA, Sales SS, Pereira MLD, Cordeiro LI, Sousa CSP. Atitudes e Reações Familiares e Sociais Diante da Gravidez na Adolescência. Rev enferm UFPE on line. 2018; 12(4):840-8.

Munslinger IM, Silva SM, Bortoli CFC, Guimarães KB. A Maternidade na Perspectiva de Mães Adolescentes. Rev Bras Promoç Saúde. 2016; 29(3):357-363.

Santos NLB, Guimarães DA, Gama CAP. A percepção de mães adolescentes sobre seu processo de gravidez. Rev Psicol Saúde. 2016; 8(2):83-96.

Viellas EF, Domingues RMSM, Dias MAB, Gama SGN, Theme Filha MM, Costa JV, et al. Assistência pré-natal no Brasil. Cad Saúde Pública. 2014; 30(Suppl 1):S85-S100.

Fossa AM, Silva TI, Oliveira TS, Rocha MCP, Horibe TM. O perfil de adolescentes grávidas em Piracicaba. Saúde Rev. 2015; 15(40):97-109.

Araújo RLD, Rodrigues ESRC, Oliveira GG, Sousa KMO. Gravidez na adolescência: consequências centralizadas para a mulher. Temas saúde. 2016; 16(2):567-587.

Araújo AJS, Oliveira JF, Porto PN. Gestação, abandono escolar e dependência financeira demarcando situações de vulnerabilidades para mulheres. REAS. 2018; 10(3):1634-1640.

Ogido R, Schor N. A jovem mãe e o mercado de trabalho. Saúde Soc. 2012; 21(4):1044-1055.

Taborda JA, Silva FC, Ulbricht L, Neves EB. Consequências da gravidez na adolescência para as meninas considerando-se as diferenças socioeconômicas entre elas. Cad Saúde Colet. 2014; 22(1):16-24.

Nery IS, Gomes KRO, Barros IC, Gomes IS, Fernandes ACN, Viana LMM. Fatores associados à reincidência de gravidez após gestação na adolescência no Piauí, Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(4):671-680.

Coelho ACL, Bagata LCB, Oliveira SMS, Lima YMS. “E se fosse comigo?” Representação social de adolescentes sobre gravidez. Interdiscip J Health Educ. 2016; 1(2):73-82.

Santos RCAN, Silva RM, Queiroz MVO, Jorge HMF, Brilhante AVM. Realidades e perspectivas de mães adolescentes acerca da primeira gravidez. Rev Bras Enferm. 2018; 71(1):73-80.

Peres S, González E. Adolescência e saúde sexual e reprodutiva no Chile. Desidades. 2018; 19(6):48-54.

Bertoncello D. O adolescente hoje, o adulto amanhã: desafios para seu bom futuro. J Health NPEPS. 2020; 5(1):9-13.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Proteger e cuidar da saúde de adolescentes na atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 JOURNAL HEALTH NPEPS



ISSN 2526-1010