Síndrome coronariana aguda associada a teoria do relógio biológico da medicina tradicional chinesa/ Acute coronary syndrome associated with the biological clock theory of traditional chinese medicine/ Síndrome coronario agudo asociado la teoría del reloj biológico de la medicina tradicional chino

Autores

  • Eleine Aparecida Penha Martins
  • Beatriz Maria dos Santos Santiago Ribeiro Universidade de Sâo Paulo
  • Denise Veloso Moreira
  • Sandra Silverio-lopes
  • Glaucia de Souza Onori Maier

DOI:

https://doi.org/10.30681/25261010

Palavras-chave:

Acupuntura, Doença das Coronárias, Enfermagem

Resumo

Objetivo: caracterizar o horário do agravo dos pacientes com síndrome coronariana aguda, correlacionando com a teoria do horário biológico segundo a medicina tradicional chinesa. Método: trata-se de uma pesquisa quantitativa e a coleta de dados foi realizada em um hospital público terciário no Sul do Brasil, por meio de busca ativa diária de todos os pacientes que foram admitidos com diagnóstico de síndrome coronariana aguda. A amostra foi de 94 pacientes, com média de idade de 54 anos, 52,1% do sexo masculino. Realizou-se entrevista no momento da admissão, busca de informações nos prontuários, comparação dos horários de início e piora da dor, da tomada de decisão para pedir ajuda e da chegada do paciente no hospital. Resultados: o horário com maior incidência de agravos foi entre 21:00h às 23:00h, horário do triplo aquecedor, seguido do horário entre 11:00h às 13:00h, horário do coração. Conclusão: houve aproximação entre o horário de agravo da síndrome coronariana aguda e da teoria do relógio biológico da medicina tradicional chinesa. Esses achados apontam novos conhecimentos para a enfermagem cardiológica e o planejamento da assistência.

Referências

Silva LCMA, Silva TTM, Costas ICS, Lima MSM, Dantas DV, Dantas RAN. Aspectos epidemiológicos, clínicos e angiográficos de pacientes submetidos a intervenção coronária percutânea primária. Ciênc cuid saúde. 2020; 19:e47408.

Cintra MER, Pereira PPG. Percepções de corpo identificadas entre pacientes e profissionais de medicina tradicional chinesa do centro de saúde escola do Butantã. Rev saúde soc. 2012; 21(1):193-205.

Macioccia G. Os fundamentos da medicina chinesa: um texto abrangente paraacupunturistas e fitoterapeutas. São Paulo: Editora Roca; 2007

Wembu X. Tratado de medicina chinesa. São Paulo: Editora Roca; 2011.

Diretriz de Telecardiologia no Cuidado de Pacientes com Síndrome Coronariana Aguda e Outras Doenças Cardíacas. Arq Bras Cardiol. 2015; 104(5);1-26.

Requena Y. Acuputura e Psicologia. São Paulo: Editora Andrei; 1990.

Cutolo M. Circadian rhythms and rheumatoid arthritis. Joint Bone Spine-Revue du Rumatisme. 2019; 86(3):327-333.

Silvério-Lopes S. Analgesia por acupuntura. Curitiba: Editora Omnipax; 2013.

Mendes DS, Moraes FS, Lima GO, Silva PR, Cunha TA, Crossetti MGO, et al. Benefícios das práticas integrativas e complementares no cuidado de enfermagem. J Health NPEPS. 2019; 4(1):302-318.

Correia LCL, Freitas R, Bittencourt AP, Souza AC, Almeida MC, Leal J, et al. Valor prognóstico do Escore de Risco GRACE versus Escore de Risco TIMI em síndromes coronarianas agudas. Arq Bras Cardiol. 2010; 94(5):613-619.

Brasil. Instituto Nacional de Meteorologia. Ministério da agricultura, pecuaria e abastamento. Brasília: INMET; 2016.

Silva AJS, Guimarães CSS, Reis JA. Perfil de pacientes internados com diagnóstico de síndrome coronariana. Rev Soc Bras Clin Med. 2018; 16(2):104-107.

Yun-Peng K, Li-Ying C, Tie-Duo K, Wen-Xian L. Características Clínicas e Eventos Adversos em Pacientes com Síndrome Coronariana Aguda e História de Doença Arterial Periférica. Arq Bras Cardiol. 2019; 113(3):367-372.

Oliveira LMSM, Costa IMNBC, Silva DG, Silva JRSS, Barreto-Filho JAS, Almeida-Santos MA. Reinternação de Pacientes com Síndrome Coronariana Aguda e seus Determinantes. Arq Bras Cardiol. 2019; 113(1):42-49.

Soeiro AM, Silva PGMB, Roque EAC, Bossa AS, Biselli B, Leal TCAT, et al. Diferenças Prognósticas entre Homens e Mulheres com Síndrome Coronariana Aguda. Dados de um Registro Brasileiro. Arq Bras Cardiol. 2018; 111(5):648-653.

Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Rede de atenção às urgências e emergências: avaliação da implantação e do desempenho das unidades de pronto atendimento. Brasília: CONASS; 2015.

Meier GSO, Dellaroza MSG, Martins EAP. Indicadores pré-hospitalares na avaliação da qualidade da assistência ao paciente com síndrome coronariana aguda. Rev Gauch Enferm. 2015; 36(3):49-55.

Amaral CS, Reck AZC, Souza DS, Nuñez ARG, Blatt CR, Weis AH, et al. Situações de urgência e emergência na atenção primária reguladas pelo SAMU. J Health NPEPS. 2018; 3(1):241-252.

Wen TS. Acupuntura Classica Chinesa. São Paulo: Cultrix; 2014.

Odoul M. Diga-me onde dói que eu ti direi por que. São Paulo: Elsevier; 2003.

Messa JBL, Garme-Leiza JR, Aguilar-Garcia MD, López CA, Fernández JA, et al. Factores de riesgo cardiovascular en el ritmo circadiano del infarto agudo de miocárdio. Rev Esp Cardio. 2004; 57(9):850-858.

Poutriel KT, López AJR, Pestana EN, Martinéz FG. Ritmo circadiano en el infarto agudo del miocardio. AMC. 2009; 13(1).

Cavalcante A, Santos ADAA, Braz DDS, Trindade LSD, Barros AMMS, Souza DS. Identificação precoce da síndrome coronariana aguda: uma revisão bibliográfica. Cad grad - ciênc bio saúde. 2017; 4(2):218.

Nunes FMP, Silva AB. Assistência ao paciente com síndrome coronariana aguda: revisão integrativa. Rev Ciênc Saúde Nova Esperança. 2020; 18(2):98-106.

Downloads

Publicado

04/12/2020

Como Citar

Martins, E. A. P., Ribeiro, B. M. dos S. S., Moreira, D. V., Silverio-lopes, S., & Onori Maier, G. de S. (2020). Síndrome coronariana aguda associada a teoria do relógio biológico da medicina tradicional chinesa/ Acute coronary syndrome associated with the biological clock theory of traditional chinese medicine/ Síndrome coronario agudo asociado la teoría del reloj biológico de la medicina tradicional chino. Journal Health NPEPS, 5(2). https://doi.org/10.30681/25261010

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale