GÊNEROS DISCURSIVOS E LETRAMENTOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO ENSINO MÉDIO EM CÁCERES-MT

Autores

  • Soeli Aparecida Rossi UNEMAT
  • Elizangela Patrícia Moreira da Costa UNEMAT

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v16.12113

Palavras-chave:

Ensino Médio, Leitura, Escrita, Letramentos

Resumo

Este artigo apresenta a metodologia de ensino de leitura e escrita na prática de sala de aula de professores atuantes na Educação de Jovens e Adultos do Ensino Médio, em Cáceres-MT. Assim, objetiva-se compreender as práticas escolares de professores de Língua Portuguesa durante o processo de ensino-aprendizagem em turmas da Educação de Jovens e Adultos do Ensino Médio, bem como, identificar as concepções de ensino que subjazem as práticas dos professores pesquisados, mais especificamente, na abordagem de leitura e produção de textos orais e escritos. A metodologia utilizada para o levantamento de dados é a pesquisa-ação, seguindo os procedimentos adequados para entrevistar um grupo de oito professores de Língua Portuguesa, estes compreendidos como locutores junto à pesquisadora. Vislumbramos, no decorrer da pesquisa, algumas possibilidades de ensino de leitura e produção de textos, tendo como parâmetro o processo dialógico que permeia a teoria e a prática de sala de aula. Os dados coletados foram descritos, analisados e avaliados à luz da teoria enunciativo-discursiva de Bakhtin (2011) e Volochínov (2018), além das contribuições de Brasil (1998, 1999, 2002, 2006, 2017), Mato Grosso (2018), Brait (2006, 2008, 2009), Brait e Pistori 2012), Geraldi (2003), Lopes-Rossi (2002), Marcuschi (2008), Menegassi (2008), Paes de Barros (2005), Petroni (2008), Rojo (2000), entre outros. Esperamos, tendo como base as análises desenvolvidas, que o resultado desta pesquisa possa contribuir com o planejamento dos professores, no sentido de reconhecer os gêneros discursivos como excelentes ferramentas para a inclusão dos jovens e adultos no processo de escolarização e letramento social, haja vista a possibilidade de dialogar com os conhecimentos prévios destes educandos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Soeli Aparecida Rossi, UNEMAT

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Linguística – UNEMAT. E-mail: soeli.rossi@unemat.br

Elizangela Patrícia Moreira da Costa, UNEMAT

É Professora Doutora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Linguística – UNEMAT. E-mail: ecosta@unemat.br

Referências

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 6ª ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011. p. 261-306.

BENTES, R. de N. S. O Papel Docente em Sala de Aula de Língua Portuguesa: as atitudes ético-discursivas face ao objeto de ensino. In: BRITO, P. A. de M; BRITO, J. R. de M; MIOTELLO, V. (eds.). O Espelho em Bakhtin. São Carlos: Pedro & João Editores, 2007. p. 115 - 124.

BRAIT, B; MELO, R. de. Enunciado/Enunciado Concreto/Enunciação. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin Conceitos-chave. 4ª. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

BRAIT, B; PISTORI, M. H.C. A Produtividade do Conceito de Gênero em Bakhtin e o Círculo. Alfa, São Paulo, v. 56, n. 2, p. 371 - 401, 2012.

BRASIL. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais - Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília, DF: MEC/SEMTEC, 2002.

______. Orientações curriculares para o ensino médio. V. 1, Brasília, DF: MEC/SEF, 2006.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: 3º e 4º ciclos do Ensino Fundamental – Língua Portuguesa. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília, DF: MEC/SEMTEC, 1999.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2018.

CARREON, R. de O. A Ambiguidade sob a Óptica de Três Concepções de Linguagem: um esboço sócio-interacionista. In: BRITO, P. A. de M; BRITO, J. R. de M; MIOTELLO, V. (eds.). O Espelho em Bakhtin. São Carlos: Pedro & João Editores, 2007. p. 105-114.

FUZA, Â. F; MENEGASSI, R. J. Concepções de Linguagem e de Leitura na Prova Brasil. Revista Línguas & Letras. Cascavel – Pr.: UNIOESTE, Vol. 10 nº 18 1º Sem. 2009. Disponível em:

http:////e-revista.unioeste.br/índex.php/línguaseletras/article/view/2244/1740> Acesso em 30/03/2010.

GERALDI, J. W. (1984). Unidades Básicas do Ensino de Português. In:______. O Texto na Sala de Aula. 3ª. ed. São Paulo: Ática, 1996.

GRILLO, S. V. C. O Método Formal nos Estudos Literários: introdução crítica a uma poética sociológica. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin e o Círculo. São Paulo: Contexto, 2009. p. 73 - 96.

LOPES-ROSSI, M. A. G. A Produção Escrita a Partir de Gêneros Discursivos: da elaboração à realização de projetos pedagógicos. Disponível em: http://www.gel.org.br/estudoslinguisticos/volumes/32/htm/comunica/cc048.htm> Acesso em: 10 out. 2021.

MATO GROSSO. Documento de Referência Curricular para Mato Grosso: Concepções para a Educação Básica. Cuiabá: SEDUC-MT, 2018.

MENEGASSI, J. R. O aprender a ensinar a escrita no curso de letras. Atos de Pesquisa em Educação – PPGE/ME FURB. v. 2, n. 2, p. 230-256, maio-ago. 2007.

______. Interação e Escrita na Formação Inicial do Professor: alterando concepções. Artigo publicado nos Anais do Congresso Internacional Linguagem e Interação. Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo-RS, 22 a 25 de agosto de 2005.

______. Aspectos da responsividade na interação verbal. Revista Línguas & Letras. Cascavel – Pr.: UNIOESTE, Vol. 10 nº 18 1º Sem. 2009. p. 01-24 (texto cedido pelo autor).

PAES DE BARROS, C. G. Compreensão Ativa e Criadora: uma proposta de ensino-aprendizagem de leitura do jornal impresso. São Paulo, SP: PUC 2005. (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem), do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2005.

PETRONI, M. R. Gêneros do Discurso, Leitura e Escrita: experiências de sala de aula. In: PETRONI, M. R (Org.). Gêneros do Discurso, Leitura e Escrita: experiências de sala de aula. São Carlos: Pedro e João Editores/Cuiabá: EdUFMT, 2008.

ROJO, R. H. R. Práticas de Linguagem E(m) Formação do Professor de Língua Materna. In: Polifonia, Instituto de Linguagens [da] Universidade Federal de Mato Grosso, ano 17. n. 17. v. 1. Cuiabá: Editora Universitária, 2009, p. 225-38.

______. Ler e Escrever: da língua ao discurso, em gênero e prática de linguagem. In: BARONAS, R. L; COX, M. I. P; DIAS, M. F. Estudos em Ciências da Linguagem: diálogos, fronteiras, limites. Cáceres-MT: Editora da UNEMAT, 2008.

______ . Os PCNs, as Práticas de Linguagem (dentro e fora da sala de aula) e a Formação dos Professores: uma apresentação. In: _____. A Prática de Linguagem em Sala de Aula: praticando os PCNs. São Paulo: Educ; Campinas: Mercado de Letras, 2000. p. 09-14 (Coleção as Faces da Linguística Aplicada).

______. A Teoria dos Gêneros em Bakhtin: construindo uma perspectiva enunciativa para o ensino de compreensão e produção de textos na escola. In: BRAIT, B. (org.). Estudos Enunciativos no Brasil: histórias e perspectivas. Campinas, SP: Pontes: São Paulo: Fapesp, 2001. p. 163-186.

_______ (Org.). Escol@ Conectada: os multiletramentos e as TICs. 1ª ed. São Paulo: Parábola, 2013.

TRIPP, D. Action Research: a methodological introduction. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3. p. 443-66, set./dez. 2005.

VOLÓCHINOV, V. (Círculo de Bakhtin) Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina V. Américo. São Paulo: Editora 34, 2018 [1929-1930], 2ª ed. p. 376.

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

Rossi, S. A., & Costa, E. P. M. da. (2023). GÊNEROS DISCURSIVOS E LETRAMENTOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO ENSINO MÉDIO EM CÁCERES-MT. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 16(01). https://doi.org/10.30681/real.v16.12113