EVAS E LILITHS: AS MULHERES DE JOSÉ DE ALENCAR

Autores

  • Soila Canam UFMT

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v9i2.1762

Resumo

Este trabalho apresenta análises de duas obras de José de Alencar, com o objetivo de estabelecer analogias e as relações entre as protagonistas e alguns mitos femininos. Dividido em três blocos, o estudo apresenta uma síntese do Romantismo e uma breve biografia do autor. Em seguida a paráfrase das obras Lucíola e Senhora, com o intuito de evidenciar as características das personagens. A terceira parte apresenta alguns mitos femininos, com destaque para Eva e Lilith, e suas relações com Lúcia e Aurélia. Com o estudo é possível compreender a essência da alma de suas heroínas, bem como os papéis que lhes eram impostos pela sociedade contemporânea aos romances. A leitura permite afirmar a existência de espaços cabíveis a homens e outros às mulheres.  Nesse sentido, Alencar desenvolve os enredos de Senhora e Lucíola numa relação adversa. Se por um lado, Lúcia percorre a obra habitando em todos os espaços, sem restrições, e isso somente é possível pela sua condição de cortesã. Por outro, Aurélia movimenta-se em locais pertinentes às moças e senhoras de respeito. Essas contradições e conflitos marcam essas obras, com a identidade própria de Alencar. Um autor genuinamente nacional, consciente de seu papel como escritor na sociedade da época. De modo geral, suas obras valorizavam o amor, a religiosidade e a natureza, na intenção de desenvolver uma literatura nacionalizada. Uma verdadeira expressão da alma brasileira, que possibilita aos seus interlocutores uma leitura de transição temporal, do Romantismo ao Realismo. 

Downloads

Publicado

31/12/2016

Como Citar

Canam, S. (2016). EVAS E LILITHS: AS MULHERES DE JOSÉ DE ALENCAR. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 9(2), 146–157. https://doi.org/10.30681/real.v9i2.1762