Imigrantes hispano-americanos, (inter)culturalidade crítica e língua portuguesa

Autores

  • Rubens Lacerda de Sá Universidade Federal de Lavras

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v10i1.1826

Resumo

Dada a a complexidade e a dinâmica da movimentação de/entre povos no afronteiriço mundo coevo, as práticas sociais de circulação e as novas relações entre nacionais e imigrantes também são cíclicas e continuamente (re)configuradas. Pesquisas recentes centradas nos imigrantes hispano-americanos e sua condição social enquanto cidadãos acolhidos no Brasil, apontam que os mesmos devem receber um trato equitativo e desprovido de paradigmas excludentes e xenofóbicos. Devem ser conduzidos, na terra que lhes oferece guarida, por um processo de emancipação social e empoderamento que possibilite a construção de novos sentidos e significados, de identidades sociais e de conhecimentos a serem compartilhados. Para tanto, partindo de uma visão sociohistórica e cultural, analiso neste ensaio, a relação estreita entre a condição dos imigrantes, a questão (inter)cultural e a língua portuguesa. A composição e entendimento holístico desse mosaico possibilitará sua formação integral como cidadãos críticos e protagonistas.

Biografia do Autor

Rubens Lacerda de Sá, Universidade Federal de Lavras

Professor Assistente do Departamento de Educação da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Doutorando em Linguística Aplicada (UNICAMP), Mestre em Linguística (UnB), Especialista no Ensino de Língua Estrangeira para Fins Específicos (UFMT) e Bacharel em Letras (UCCB). Líder do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Linguagem (GIEL/CNPq) na UFLA. Membro do Núcleo de Estudos em Linguagens e Políticas Públicas em Educação (NELPPE/CNPq) do IFTO. Projeto de pesquisa e de extensão atuais: Programa(s) de Internacionalização do Ensino Superior: Acolhimento a Imigrantes, Multilinguismo e (Inter)culturalidade Crítica. Interesses de pesquisa: Internacionalização da Educação, Linguística Aplicada Crítica, Translinguismo, Superdiversidade, (Inter)culturalidade, Heteroglossia, Políticas Linguísticas e de Acolhimento a Imigrantes, Estudos Discursivos, Educação e Tecnologias da Informação e Comunicação.

Referências

ALTHUSSER, L. Aparelhos Ideológicos de Estado: Notas Sobre os Aparelhos Ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Geral, 1985.

ANZALDÚA, G. Borderlands/ La Frontera: The New Mestiza. San Francisco: Aunt Lute Books, 1987.

AURÉLIO. Dicionário Eletrônico. Versão 2.2.1 (156). Apple Inc., © 2005-2011.

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara F. Vieira. 7a ed. São Paulo: Hucitec, 1995.

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BHABHA, H. K. O Local da Cultura. Trad. Myriam Ávila, Eliana Reis e Gláucia Gonçalves. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BOURDIEU, P. Sociologia: o Campo Científico. Coleção Grandes Cientistas Sociais. São Paulo: Ática, 1994.

CANAGARAJAH, A.S. The Ecology of Global English. International Multilingual Research Journal, v. 1/2, 2007, p. 89-100.

CANCLINI, N.G. Diferentes, Desiguais e Desconectados. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2007.

CELANI, M.A.A. Transdisciplinaridade na Linguística Aplicada no Brasil. In Signorini, I. & Cavalcanti, M.C. (Orgs.). Linguística Aplicada e Transdisciplinaridade. Campinas, SP: Mercado das Letras, 1998.

DESCARTES, R. Carta-Prefácio dos Princípios da Filosofia. Tradução Homero Santiago São Paulo: Martins Fontes, 2003.

DEWEY, J. Essays in Experimental Logic. Ed. Hester, Micah and Talisse, Robert. Carbondale: Southern Illinois University Press, 2007.

DIDEROT, D. Textos Escolhidos. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. Brasília: Universidade de Brasília, 2001.

LEFFA, V. J. O Ensino do Inglês no Futuro: Da Dicotomia Para a Convergência. In: STEVENS, C. M. T.; CUNHA, M. J. C. (Orgs.) Caminhos e Colheita: Ensino e Pesquisa na Área de Inglês no Brasil. Brasília: Editora UnB, 2003, p. 225-250.

ROCHA, C.H. Reflexões e Propostas sobre Língua Estrangeira no Ensino Fundamental I: Plurilinguismo, Multiletramentos e Transculturalidade. Campinas, SP: Pontes Editores, 2012.

MAHER, T.M. Do Casulo ao Movimento: A Suspensão das Certezas na Educação Bilíngue e Intercultural. In: CAVALCANTI, M. BORTONI-RICARDO, S.M. (Orgs.). Transculturalidade, Linguagem e Educação. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2007a, p. 67-94.

SÁ, R.L. A Imigração Boliviana em Mares Paulistanos Dantes Navegados: Inclusão dos (In)visíveis e (Des)construção Identitária. 186 f. Dissertação (Mestrado). Brasília: Universidade de Brasília, 2015.

SAHLINS, M. Ilhas de Histórias. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

SARLO, B. Cenas da Vida Pós-moderna: Intelectuais, Arte e Videocultura na Argentina. 3ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2004.

TODOROV, T. A Conquista da América: A Questão do Outro. São Paulo, Editora Martins Fontes, 1983.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

WILLIAMS, R. Marxismo e Literatura. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

Downloads

Publicado

08/08/2017

Como Citar

Sá, R. L. de. (2017). Imigrantes hispano-americanos, (inter)culturalidade crítica e língua portuguesa. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 10(1), 63–73. https://doi.org/10.30681/real.v10i1.1826