LÍNGUA E IDENTIDADE: ADAPTAÇÃO LINGUÍSTICA NA FRONTEIRA BRASIL/BOLÍVIA

Autores

  • Edenilson Jacinto Araújo universidade Federal de Rondônia.

Resumo

O presente artigo é um estudo de caso cujo objetivo foi analisar, demonstrar e compreender como o contato linguístico afetou na fala dos indivíduos que são submetidos a diversas situações de interação com línguas diferentes. A pesquisa é qualitativa e apresenta qual a adaptação linguística de um migrante boliviano que reside no Brasil há mais de cinquenta anos e como ele mantém vivo traços de sua língua materna mesmo convivendo em um país com diferenças culturais e sociais. Como norteadores para esta pesquisa, foram utilizados os seguintes autores: SILVA (2007), TARALLO & ALKMÍN (1987), CALVET (2002). A abordagem feita revela as consequências do contato linguístico na região de fronteira Brasil/Bolívia, na cidade de Guajará-Mirim/RO, no bairro do Triângulo. Ao decorrer das análises, serão notados, na ótica das fundamentações teóricas, os fenômenos linguísticos que surgiram na fala, trazendo do particular para o geral.

Referências

CALVET, Louis-Jean. Sociolinguística: uma visão crítica. Trad. Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2002.

SILVA, Thaïs Cristofaro. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. São Paulo: Contexto, 2007.

TARALLO, F. & ALKMIN, T. Falares crioulos: línguas em contato. São Paulo: Ática, 1987.

Downloads

Publicado

03/02/2020

Como Citar

Araújo, E. J. (2020). LÍNGUA E IDENTIDADE: ADAPTAÇÃO LINGUÍSTICA NA FRONTEIRA BRASIL/BOLÍVIA. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 12(3), 25–37. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/reacl/article/view/2945