ENTRE O HUMANO, O OBJETO E O ABJETO: UM ESTUDO DO INSÓLITO EM “O PIANO”, DE ANÍBAL MACHADO, E EM A METAMORFOSE, DE FRANZ KAFKA

Autores

Resumo

A crítica literária, ao abordar o universo ficcional de Aníbal Monteiro Machado (1894-1964), de forma pontual em boa medida, tem apontado para uma presença ou herança relacionada ao universo de Franz Kafka (1883-1924). Na obra do escritor mineiro, nesse sentido, ganha relevância o conto “O piano”, publicado pela primeira vez em livro em 1944. O propósito deste estudo é realizar uma análise comparativa entre o conto “O piano”, de Aníbal Machado, e a novela A metamorfose, de Franz Kafka, levando-se em consideração os personagens o piano e Gregor Samsa e o tratamento que recebem ao longo das narrativas. De um lado temos um velho piano humanizado e elevado à condição superior, semelhante a um parente, e de outro, um ser humano metamorfoseado em estranho inseto, apartado do seio familiar ainda que se mantenha na própria casa. Espera-se, assim, contribuir para a investigação da obra do escritor brasileiro, que possui o insólito como uma característica recorrente, além de refletir sobre a novela de Kafka.

Palavras-chave: Aníbal Machado. Franz Kafka. O piano. A metamorfose.

Biografia do Autor

Edilaine Ortiz, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Graduanda do Curso de Letras da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - Jardim/MS. Membro do grupo de pesquisa Modernismo periférico: poéticas do século XX.

Marcos Vinícius Teixeira, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Marcos Vinícius Teixeira é graduado em Letras pela Universidade Federal de Ouro Preto, mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais e doutor em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo. Atua como professor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul desde 2015. Pesquisa, dentre outros assuntos, a obra de Aníbal Machado.

Referências

CAMUS, Albert. A esperança e o absurdo na obra de Franz Kafka. In: O Mito de Sísifo. Tradução de Mauro Gama. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989, p. 149-162.

CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: Vários escritos. 5. ed. Rio de Janeiro: ouro sobre azul, 2011, p. 171-193.

COELHO, Márcia Azevedo. Entre a Pedra e o Vento: uma análise dos contos de Aníbal Machado. 2009. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

KAFKA, Franz. A metamorfose. Tradução de Modesto Carone. 5. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

KAFKA, Franz. O Castelo. Tradução de Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

KAFKA, Franz. O Processo. Tradução de Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MACHADO, Aníbal. João Ternura. Rio de Janeiro: José Olympio, 1965.

MACHADO, Aníbal. Histórias Reunidas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1959.

PEREZ, Renard. Escritores Brasileiros Contemporâneos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1960, p.19-26.

PONTES, Mario. O iniciado do movimento. In: MACHADO, Aníbal. João Ternura. 10. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2004, p. 7-13.

PROENÇA, M Cavalcanti. Os Balões Cativos. In: MACHADO, Aníbal. A Morte da porta-estandarte, Tati, a Garota e outras histórias. 15. ed. Rio de Janeiro: José. Olympio, 1997, p. 13-32.

TEIXEIRA, Marcos Vinícius. Aníbal Machado: um escritor em preparativos. 2011. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. Tradução de Maria Clara Correa Castello. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992.

Downloads

Publicado

31/07/2019

Como Citar

Ortiz, E., & Teixeira, M. V. (2019). ENTRE O HUMANO, O OBJETO E O ABJETO: UM ESTUDO DO INSÓLITO EM “O PIANO”, DE ANÍBAL MACHADO, E EM A METAMORFOSE, DE FRANZ KAFKA. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 12(1), 90–104. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/reacl/article/view/3180