GLOSSÁRIO DUCROTIANO

Autores

  • Hélio Ferreira Mendes Júnior Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Solange Moreira dos Santos Velozo Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Wellington Marques Silveira Universidade do Estado de Mato Grosso

Resumo

Este glossário trata da Semântica Argumentativa no quadro geral dos estudos das significações linguísticas, com as filiações da Teoria da Semântica Argumentativa ou Teoria da Argumentação na Língua, as quais se iniciam com Platão, Saussure e Benveniste, e os conceitos, que a constituem, são discutidos a partir de três fases: 1ª) Forma Standard; 2ª) Teoria da Polifonia e Teoria dos Topoi; e 3ª) Teoria dos Blocos Semânticos, formulados por Anscombre, Ducrot e Carel.

Nesse sentido, propomos com este glossário apresentar um esboço dos principais conceitos da Teoria da Argumentação na Língua, a partir das três fases que a constituem. Desse modo, esperamos que este trabalho possa servir de auxilio aos alunos de Graduação, Pós-Graduação e Professores e a quem interessar-se por este estudo. Sendo assim, passaremos a apresentar: a Forma Standard; a Teoria da Polifonia e a Teoria dos Topoi, e a Teoria dos Blocos Semânticos (TBS).

Biografia do Autor

Hélio Ferreira Mendes Júnior, Universidade do Estado de Mato Grosso

Mestrando em Linguística - UNEMAT

Solange Moreira dos Santos Velozo, Universidade do Estado de Mato Grosso

Mestre em Linguística - UNEMAT

Wellington Marques Silveira, Universidade do Estado de Mato Grosso

Mestre em Linguística - UNEMAT

Referências

ANSCOMBRE, Jean Claude. (Or). Théorie des Topoi. Paris: Éditins Kimé, 1995.

______. Argumentação e topoi argumentativos”. In: GUIMARÃES, Eduardo. (ed.). História e sentido na linguagem. Campinas: Pontes, 1989.

______. A interpretação em semântica linguística: um ponto de partida imaginário. [Trad. bras. de L’interprétation en sémantique linguistique: un point de départ imaginaire]. Entremeios [Revista de Estudos do Discurso, on-line], Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL), Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS), Pouso Alegre (MG), v. 14, p. 111-134, jan. - jun. 2017. DOI: disponível em: http://dx.doi.org/10.20337/ISSN2179-3514revistaENTREMEIOSvol14pagina111a134 Acesso em: 02 ago. 2017

BARBISAN, Leci Borges; TEIXEIRA, Marlene. Polifonia: origem e evolução do conceito em Oswald Ducrot. Organon, v. 16, n. 32-33, 2002.

CAMPOS, Claudia Mendes. O percurso de Ducrot na teoria da argumentação na língua. In: Revista da ABRALIN, v. 6, n. 2, p. 139-169, jul./dez. 2007.

CAREL, Marion; DUCROT, Oswald. La semântica argumentativa. Una introducción a la teoría de los bloques semánticos. Trad. e edição Maria Marta Garcia Negroni e Alfredo M. Lescano. Buenos Aires, Ediciones Colihue, 2005.

COSTA, Anna Carolyna Melo Ferrer. A teoria dos blocos semânticos. 97 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Paraná – UFPR. Curitiba, 2013. Disponível em: http://www.acervodigital.ufpr.br/handle/1884/31772 Acesso em: 02 ago. 2017.

DALL'CORTIVO-LEBLER, Cristiane. A teoria da argumentação na língua e sua relação com Platão, Saussure e Benveniste: breve discussão epistemológica. Filologia e linguística portuguesa, v. 16, n. 2, p. 331-364, 2014.

DUCROT, Oswald. Provar e dizer. Leis lógicas argumentativas. São Paulo: Global, 1981.

DUCROT, Oswald. Polifonía y argumentación. Conferencias del seminario Teoria de la Argumentación y Análisis del Discurso. Cali: Universidad del Valle, 1988.

______. Os modificadores desrealizantes. Journal of Pragmatics 24, 1995, p. 145-165.

______. Os Topoi na Teoria da Argumentação na Língua. Revista Brasileira de Letras. 1999,1(1).

______. Prefácio. In: VOGT, Carlos. O intervalo semântico. 2. ed. São Paulo: Ateliê Editorial/Campinas: Editora da Unicamp, 2009b.

______. “Os internalizadores”. In: Letras de Hoje. Porto Alegre, v. 37, nº. 03, p. 7-26, setembro, 2002.

______. Polyfonia y argumentación. Conferencias del seminário Teoría de la Argumentación y Análisis del Discurso. Universidad del Valle. Cali, Colombia, 1988. Trad. Neuza Zattar (2017).

______. Esboço de uma teoria polifônica da enunciação. In: DUCROT, O. O dizer e o dito (1984). Campinas: Pontes, 1987b.

FLORES, Valdir do Nascimento. Dicionário de linguística da enunciação [et al.]. (Orgs.). Valdir do Nascimento Flores [et al.]. São Paulo: Contexto, 2017.

FREITAS, Ernani Cesar de. A teoria da argumentação na língua: blocos semânticos e a descrição do sentido no discurso. Tese (Doutorado em Letras). PUC/Porto Alegre, RS, 2006.

GRAEFF, Telisa Furlanetto; COSTENARO, Silvane. Análise de mal-entendidos em diálogos. In: Calidoscópio. V. 7, nº 2, p. 155-160, Unisinos-RS, mai/ago 2009.

SILVA, Carmem Luci da Costa. “A argumentatividade na fala infantil”. In: Organon, v. 32, n. 33, p. 117-118, 2015.

SILVÉRIO, Sandra Mara. A noção de modificadores na teoria da argumentação e uma análise de adjetivos no português. Working Papers em Linguística, n. 1, p. 109-122, 1997.

RÖRIG, Cristina; BARBISAN, Leci Borges. A Enunciação na Teoria da Argumentação na Língua. Anais do III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS. Porto Alegre: PURCRS, p. 1058-1060, 2008. Disponível em: Https://scholar.google.com.br// . Acesso em: 08/08/2017.

ZOPPI-FONTANA, Mônica. “Retórica e argumentação”. In: LAGAZZI-RODRIGUES, Suzy; ORLANDI, Eni P. (Orgs.). Discurso e Textualidade. Campinas: Pontes, 2006. p. 179-21.

Downloads

Publicado

03/02/2020

Como Citar

Mendes Júnior, H. F., Velozo, S. M. dos S., & Silveira, W. M. (2020). GLOSSÁRIO DUCROTIANO. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 12(3), 219–234. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/reacl/article/view/3818