LETRAMENTO(S) NA CONTEMPORANEIDADE: DESENVOLVENDO HABILIDADES DE LEITURA CRÍTICA PARA A INCLUSÃO DIGITAL

Autores

  • Elisa Mattos Universidade NOVA de Lisboa, Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Este artigo discute o conceito de letramento, associando-o ao letramento crítico (FREIRE, 1979, 1980, 1987, 2011, 2014). Nosso principal pressuposto é que simplesmente aprender a ler e escrever não resulta necessariamente na aquisição de conhecimentos e/ou estratégias para participar da sociedade de forma crítica. Portanto, o letramento é o resultado de estar imerso nas práticas da língua(gem) (SOARES, 1998), centrada, mas não restritas ao código escrito, isto é, outros modos semióticos, como a fala e (outras) formas multimodais de expressão (KRESS, 2003; 2010) devem ser considerados. Assim, ser letrado significa usar a língua(gem) efetivamente para entender e transformar a realidade, o que implica uma visão de língua(gem) como processo/produto sócio-histórico (BAKHTIN/VOLOSHINOV, 2006). A noção de letramento preconizada neste artigo também dialoga com os letramentos digitais (DUDENEY; HOCKLY; PEGRUM, 2014), dada a predominância das tecnologias digitais na comunicação contemporânea. Nosso objetivo final com este artigo é oferecer aos professores um plano didático para desenvolver a leitura crítica e promover a inclusão digital. Dessa forma, o plano ancora-se em uma visão da leitura engajada, com foco em aprender a ler e ler para aprender (ALEXANDER, FOX, 2013).

Referências

ALEXANDER, P. A.; FOX, E. A historical perspective on reading research and practice. In ALVERMANN, D. E.; UNRAU, N. J.; RUDDELL, R. B. (Eds.) Theoretical models and processes of reading. International Reading Association, 2013, p. 1-46.

ASSUMPÇÃO, R.; MORI, C. Inclusão digital: discursos, práticas e um longo caminho a percorrer. In KNIGHT, P.; FERNANDES, C.; CUNHA, M. A. (Orgs.) E-Desenvolvimento no Brasil e no mundo: subsídios e programas e-Brasil. São Paulo: Yendis, 2007.

BAKHTIN/VOLOCHINOV, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. SP: Hucitec, 2006.

BRASIL. PISA 2015. Resultados da avaliação. Brasília: INEP/MEC, 2016. Disponível em: http://inep.gov.br/web/guest/acoes-internacionais/pisa/resultados. Acesso: 5 out 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/CNE, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso: 5 out 2019.

BUCKINGHAM, D. Cultura digital, educação midiática e o lugar da escolarização. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 35, n. 3, p. 37-58, 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/13077. Acesso: 5 out 2019

CARIBÉ, J. C. R. A inclusão digital e a construção do e-cidadão. Revista Fórum, 09/02/12. https://revistaforum.com.br/revista/100/a-inclusao-digital-e-a-construcao-do-e-cidadao/. Acesso: 4 abril 2018.

CONOLE, G.; DYKE, M. What are the affordances of information and communication technologies? Research in Learning and Technology, v. 12, n. 2, 2004. Disponível em: 10.1080/0968776042000216183. Acesso: 15 ago 2018.

CERVETTI, G.; PARDALES, M. J.; DAMICO, J. S. A tale of differences: comparing the traditions, perspectives, and educational goals of Critical Reading and Critical Literacy. Reading Online, v. 4, n. 9, 2001.

COSTA, E. G. M. Práticas de letramento crítico na formação de professores de línguas estrangeiras. Revista Brasileira de Linguística Aplicada – RBLA, v. 12, n. 4, p. 911-932, 2012. Disponível em: 10.1590/S1984-63982012000400012. Acesso: 5 out 2019.

DUDENEY, G.; HOCKLY, N.; PEGRUM, M. Digital Literacies. New York: Routledge, 2014.

FREIRE, P. Educação e mudança. 12 ed., Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1979.

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação. 3 ed. São Paulo: Moraes, 1980.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17 ed., Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1987.

FREIRE, P. Educação como Prática de Liberdade. 14 ed., São Paulo: Paz & Terra, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 51 ed., São Paulo: Paz & Terra, 2014.

KLEIMAN, A. B. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. Campinas: Pontes, 1995.

KRESS, G. Multimodality. A social semiotic approach to contemporary communication. New York: Routledge, 2010.

KRESS, G. Literacy in the New Media Age. New York: Routledge, 2003.

LEU, D. J. et al. New literacies: A dual-level theory of the changing nature of literacy, instruction, and assessment. Journal of Education, v. 197, n. 2, p. 1-18, 2017. Disponível em: 10.1177/002205741719700202. Acesso 25 ago 2019.

MACHADO, J. B. M. Exclusão digital no Brasil. Blogue Consumidor Cidadão. 30/07/18. https://consumidorcidadao.wordpress.com/2018/07/30/exclusao-digital-no-brasil/. Acesso: 10 ago 2018.

MATTOS, A. M. A.; VALÉRIO, K. M. Letramento crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções. Revista Brasileira de Linguística Aplicada – RBLA, v. 10, n. 1, p. 135-158, 2010. Disponpivel em: http://www.scielo.br/pdf/rbla/v10n1/08.pdf. Acesso: 22 jul 2018.

MATTOS, E.; BRASIL, V.; GARCIA, G.; OLIVEIRA, N. Emojis e Hashflags: uma análise sóciorretórica da linguagem multissemiótica do Twitter. Leitura, Maceió, n. 63, p. 47-69, jul./dez, 2019. Disponível em: 10.28998/2317-9945.2019n63p47-69. Acesso: 5 out 2019.

MATTOS, E.; ECHENIQUE, M. T.; OLIVEIRA, N. O uso do padlet em um curso de licenciatura em letras. IV Congresso de Inovação e Metodologias no Ensino Superior, 2019. Disponível em: https://congressos.ufmg.br/index.php/congressogiz/IVCIM/paper/view/882. Acesso: 5 out 2019.

OCDE. Brasil – Resumo de resultados nacionais do PISA 2015. 2016. Disponível em: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/resultados/2015/pisa_2015_brazil_prt.pdf. Acesso: 12 out 2019.

PÉREZ GÓMEZ, Á. Educação na era digital: a escola educativa. Porto Alegre: Penso, 2015.

PRENSKY, M. From digital natives to digital wisdom. California: Corwin, 2012.

RUMELHART, D. E. The Building Blocks of Cognition. In SPIRO, R. J.; BRUCE, B. C.; BREWER, W. (Orgs.) Theoretical Issues in Reading Comprehension. Hillsdale: Lawrence Erlbaum Assoc, 1980, p. 33-58.

SÁ, E. M. Netspeak e emojis na formação continuada de professores de inglês. In ORLANDI, E. et al. (Orgs.) ENELIN 2017 – textos completos. Pouso Alegre: Univás, 2018. Disponível em: http://pos.univas.edu.br/ppgcl/docs/2017/anais-2017.pdf. Acesso: 1 ago 2018.

SÁ, E. M.; COSTA, E. J. PLAc, abordagem comunicativa e letramento crítico: pontos de convergência para a inclusão de práticas digitais no contexto brasileiro de ensino-aprendizagem. Letras & Letras, v. 34, n. 1, p. 95-121, 2 jul. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.14393/LL63-v34n1a2018-5. Acesso: 12 out 2019.

SIGNORINI, I. Letramento e (in)flexibilidade comunicativa. In KLEIMAN, A. (Org.) Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995, p. 161-199.

SILVA, F. A. B.; ZIVIANI, P.; GHEZZI, D. As tecnologias digitais e seus usos. Texto para discussão. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA. Brasília/Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_uuu2470.pdf.

SILVA, W. R. Polêmica da alfabetização no Brasil de Paulo Freire. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 58, n. 1, p. 219-240, 17 abr. 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8654598. Acesso: 5 out 2019.

SINGER, L. M.; ALEXANDER, P. A. Reading Across Mediums: Effects of Reading Digital and Print Texts on Comprehension and Calibration. The Journal of Experimental Education, v. 85, n. 1, p. 155-172, 2016. Disponível em: 10.1080/00220973.2016.1143794. Acesso: 5 out 2019.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 1998.

STREET, B. What’s “new” in New Literacy Studies? Critical approaches to literacy in theory and practice. Current Issues in Comparative Education, v. 5, n. 2, p. 77-91, 2003. Disponível em: https://www.tc.columbia.edu/cice/pdf/25734_5_2_Street.pdf. Acesso em: 21 ago 2019.

STREET, B. Literacy in theory and practice. New York: Cambridge University Press, 1995 [1984].

TFOUNI, L. V. Adultos não alfabetizados: o avesso do avesso. Campinas: Pontes, 1988.

Downloads

Publicado

03/02/2020

Como Citar

Mattos, E. (2020). LETRAMENTO(S) NA CONTEMPORANEIDADE: DESENVOLVENDO HABILIDADES DE LEITURA CRÍTICA PARA A INCLUSÃO DIGITAL. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 12(3), 141–155. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/reacl/article/view/4105

Edição

Seção

Artigos - Linguística Aplicada