DESIGNAÇÃO DE (C) SERTÃO, INTEGRADA AO TEXTO: HISTORIA DA AMERICA PORTUGUEZA, DESDE O ANNO DE MIL E QUINHENTOS DO SEU DESCOBRIMENTO, ATÉ O DE MIL E SETECENTOS E VINTE E QUATRO - 1730

Autores

  • Solange Moreira dos Santos Velozo UNEMAT
  • Taisir Mahmudo Karim

Resumo

Este trabalho, inscrito na linha de pesquisa Estudos de Processos de Significação do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), propõe sondar e refletir, especificamente, como é construído, na história enunciativa, o sentido da palavra (c)sertão. A base teórico-metodológica deste trabalho funda-se a partir dos estudos desenvolvidos por Eduardo Guimarães (2002), em que “o sentido se dá no acontecimento do dizer”. Trazemos algumas considerações da noção de “o que é texto? ” do ponto de vista da Semântica do Acontecimento de Eduardo Guimarães, um caminho que se mostrou motivador para o desenvolvimento desta pesquisa. Nessa perspectiva, apresentamos uma breve abordagem dos fundamentos teórico-metodológicos formulados por Guimarães (1987, 2002, 2005, 2007, 2009, 2011, 2012, 2017, 2018), estudados durante anos pelo semanticista, além de suas reflexões recente, apresentadas em Semântica Enunciação e Sentido (2018). O corpus deste trabalho formado constitui-se de oito recortesque integram a expressão (c)sertão tomados no acontecimento de linguagem que constitui a obra:Historia da America Portugueza, desde o anno de mil e quinhentos do seu descobrimento, até o de mil e setecentos e vinte e quatro composta por Sebastião da Rocha Pitta, &. Lisboa Occidental, na Officina de Joseph Antonh da Sylva, 1730”, e que constitui o corpusdeste trabalho, configurado no espaço político das línguas e falantes que enunciam a colonização do Brasil de 1730.

Downloads

Publicado

24/10/2019

Como Citar

Velozo, S. M. dos S., & Karim, T. M. (2019). DESIGNAÇÃO DE (C) SERTÃO, INTEGRADA AO TEXTO: HISTORIA DA AMERICA PORTUGUEZA, DESDE O ANNO DE MIL E QUINHENTOS DO SEU DESCOBRIMENTO, ATÉ O DE MIL E SETECENTOS E VINTE E QUATRO - 1730. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 12(2), 142–164. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/reacl/article/view/4117