PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM (OU NÃO) DA LETRA CURSIVA NO CONTEXTO ESCOLAR

Autores

  • Vanessa Rafaela Trierweiler Cargnin UERGS
  • Veronice Camargo da Silva UERGS

Resumo

As concepções divergentes que ocorrem, atualmente, a respeito do ensino e aprendizagem (ou não) da letra cursiva, motivaram a proposição da presente discussão, a fim de compreender como os processos de alfabetização e letramentos acontecem, especificamente, no uso de todos os tipos de letras no contexto escolar. A pesquisa foi aplicada através de questionários a professores da Rede Municipal de Ensino de Novo Hamburgo/RS e, para a análise dos dados produzidos, utilizou-se a perspectiva bakhtiana sobre o ensino da língua de forma reflexiva, a legislação e os documentos orientadores para embasar a defesa da garantia do processo de alfabetização no uso social da escrita e leitura.

Biografia do Autor

Vanessa Rafaela Trierweiler Cargnin, UERGS

Professora na Rede Municipal de Novo Hamburgo. Mestranda em Educação na UERGS.

Veronice Camargo da Silva, UERGS

Doutora em Linguística Aplicada. Docente do Mestrado Profissional em Educação- UERGS.

Referências

BAKHTIN, Mikhael. Estética da criação verbal: Os gêneros do discurso. 2ªed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BAKHTIN, Mikhael (VOLOSHINOV). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 9 ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. Paulo Bezerra (Organização, Tradução, Posfácio e Notas); Notas da edição russa: Seguei Botcharov. São Paulo: Editora 34, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Terceira versão revista. Disponível em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf.

BRASIL. Ministério da Educação. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: a apropriação do sistema de escrita alfabética e a consolidação do processo de alfabetização - Ano 2, Unidade 3. Brasília: 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa de formação continuada de professores dos anos/séries iniciais do Ensino Fundamental: alfabetização e linguagem. MEC, Secretaria de Educação Básica: Brasília, 2007.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização e Lingüística. São Paulo: Scipione, 1989.

CAMINI, Patrícia. Das ortopedias (cali)gráficas: um estudo sobre modos de disciplinamento e normalização da escrita. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2010.

CAMINI, Patrícia. Escrita à mão, letra cursiva e caligrafia. Presença Pedagógica, v.19, n.113, p.26-32, set/ out, 2013.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo: Editora Atlas S.A, 2008.

MASSINI-CAGLIARI, Gladis; CAGLIARI, Luiz Carlos. Categorização gráfica e funcional na aquisição da escrita e da leitura em língua materna. Vol. 02 N. 01v, jan/jun 2004.

PIAGET, Jean. Para onde vai a educação? 8 ed. Rio de Janeiro: José Olímpio, 1984.

PICOLLI, Luciana. Prática pedagógica nos processos de alfabetização e letramento: análises a partir dos campos da sociologia da linguagem [manuscrito]. Tese (Doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2009.

PICOLLI, Luciana; CAMINI, Patricia. Práticas pedagógicas em alfabetização: espaço, tempo e corporeidade. Erechim: Edelbra, 2012.

ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo (orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

SCHWARTSMAN, Hélio. Entrevista realizada com Carlos Alberto Faraco. Ensino da letra cursiva para crianças em alfabetização divide a opinião de educadores. Entrevista em Jornal Folha de São Paulo. Artigo publicado em 17/05/2010. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2010/05/736314-ensino-da-letra-cursiva-para-criancas-em-alfabetizacao-divide-a-opiniao-de-educadores.shtml Acesso em 29 jul. 2019.

TARDIF, Maurice. Saberes Docentes e Formação Profissional. Petrópolis: Vozes, 2004.

Downloads

Publicado

25/01/2021

Como Citar

Trierweiler Cargnin, V. R., & Silva, V. C. da. (2021). PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM (OU NÃO) DA LETRA CURSIVA NO CONTEXTO ESCOLAR. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 13(2), 33–45. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/reacl/article/view/4382