UNEMAT: RENOMEAÇÃO E NOVOS SENTIDOS EM UMA PERSPECTIVA ENUNCIATIVA

Autores

Resumo

Neste artigo analisamos à luz da Semântica do Acontecimento, teoria desenvolvida por Guimarães (2002, 2004, 2017, 2018), o processo de renomeação da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) por Universidade Estadual de Mato Grosso Carlos Alberto Reyes Maldonado. Este estudo analisa de forma semântico-enunciativa o acontecimento que ao instituir a sua própria temporalidade, coloca em disputa o político no processo de renomeação de uma instituição de ensino superior instalada a partir de uma cidade do interior de Mato Grosso em uma Universidade do Estado. No processo da última renomeação da universidade, ao renomear a instituição com o objetivo de prestar uma homenagem a um de seus idealizadores, instala-se um litigio entre formas de nomear e designar (a da proposta da Unemat, de um lado, e a que foi aprovada pela assembleia legislativa de Mato Grosso), afetando o próprio sentido da homenagem pretendida pela Universidade

 

Palavras-chave: Unemat, Nomeação, Renomeação, litigio, Semântica do Acontecimento.

 

Biografia do Autor

Lygia Cristina Menezes Lima, Universidade do Estado de Mato Grosso

Possui graduação em Licenciatura em História pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2009) e graduação em Jornalismo pela Universidade Federal de Mato Grosso (1997). Possui especialização em Gestão Universitária pela Unemat e Administração de Marketing - Publicidade e Propaganda pelo Centro de Ensino Superior de Rondonópolis. Atualmente é técnico universitário - jornalista da Universidade do Estado de Mato Grosso. Concluinte do mestrado em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso.

Eduardo Guimarães, Universidade do Estado de Mato Grosso

ossui graduação em Letras pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Santo Tomás de Aquino de Uberaba (1969) e mestrado (1976) e doutorado (1979) em Letras pela Universidade de São Paulo. É professor titular da Universidade Estadual de Campinas; é Professor Visitante da Unemat; Foi professor visitante na Universidade de Paris III e da Universidade de Buenos Aires; Foi Diretor da Editora da Unicamp. Atua e desenvolve pesquisas nas áreas de semântica da enunciação, história das idéias lingüísticas, e Saber Urbano e Linguagem. Em semântica dedica-se ao estudo da designação e dos nomes, com atenção particular para os nomes próprios; ao estudo da argumentação; e à caracterização do espaço de enunciação. Em História das Idéias Linguísticas tem trabalhado com a história dos estudos do Português, com a análise de noções e conceitos como civilização, empréstimo e história, com a política de línguas e com a análise histórica do estruturalismo. Dedica-se, também, a pensar a análise de textos a partir da semântica. É autor de grande número de artigos em periódicos brasileiros e estrangeiros e publicou livros como Texto e Argumentação; Os Limites do Sentido; História e Sentido na Linguagem (org.); Semântica do Acontecimento; História da Semântica: Sujeito, sentido e Gramática no Brasil; Análise de Texto; Semântica: Enunciação e Sentido; Un dialogue Atlantique (co-org.); History of linguistics 2002. Selected Papers from the Ninth International Conference on the History of the Language Sciences (co-org). É membro de conselho editorial de vários periódicos especializados da área de Linguística. Foi Presidente e Tesoureiro da ANPOLL e membro do Conselho da ABRALIN.

Referências

BENFICA, Tiago Alinor Hoissa. História e universidade : a institucionalização do campo histórico na Universidade Estadual de Mato Grosso/Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1968-1990). (Tese Doutorado em História) Dourados, MS : UFGD, 2016.

______, História do ensino superior em Mato Grosso: das iniciativas frustradas à criação de um sistema universitário. Revista Brasileira de História da Educação, Volume 19, e052, Maringá – PR, 2019. https://doi.org/10.4025/rbhe.v19.2019.e052

GUIMARÃES, E. Os limites do sentido: um estudo histórico e enunciativo da linguagem. Campinas, SP: Pontes Editores, 1995.

______, Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017. 4ª edição

______, Semântica Enunciação e Sentido. Campinas, SP: Pontes Editores, 2018.

______, Análise de texto – procedimentos, análises, ensino. 2º ed. São Paulo: Hucitec, 2012. 1ª reimpressão 2017.

______, A palavra: Forma e Sentido. Pontes. Campinas, 2007.

______, Semântica e Pragmática. IN: GUIMARÃES, Eduardo e ZOPPI-FONTANA, Mônica. Introdução às Ciências da Linguagem – A Palavra e a Frase. Campinas – SP: Pontes Editores, 2010: 2ª edição.

ZATTAR, Neuza Benedita da Silva. Do IESC à Unemat: uma história plural 1978-2008. Cáceres – MT, Editora Unemat, 2008.

______, et al. Unemat: Uma história que faz parte de muitas outras. Cáceres – MT, Editora Unemat, 2018.

Fontes:

CÁCERES – MT, Decreto nº 190 do município de Cáceres de 20 de julho de 1978

ESTATO DE MATO GROSSO, Lei Estadual nº 4.960 de 19 de dezembro de 1985

______, Lei Estadual nº 5.495 de 17 de julho de 1989

______, Lei Complementar nº 14 de 16 de janeiro de 1992

______, Lei Complementar n° 30 de 15 de dezembro de 1993

______, Lei Complementar nº 611, de 28 de janeiro de 2019,

______, Projeto de lei complementar nº 3/2016, protocolo nº 364/2016, processo nº 111/2016. Secretaria de serviços legislativos 18/02/2016.

JORNAL DE MATO GROSSO, “Na festa do bicentenário, Cáceres ganha uma faculdade”, edição de 23 a 30 de julho de 1978

UNEMAT, portal. “Definitivo – Unemat passa a ser Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reyes Maldonado”, de 16 de janeiro de 2019, (www.unemat.br )

UFMS, portal. Histórico, (www.ufms.br )

Downloads

Publicado

25/01/2021

Como Citar

Lima, L. C. M., & Guimarães, E. (2021). UNEMAT: RENOMEAÇÃO E NOVOS SENTIDOS EM UMA PERSPECTIVA ENUNCIATIVA. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 13(2), 4–17. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/reacl/article/view/4857