PROPOSTA DE MATERIAL DIDÁTICO ESPECÍFICO PARA AS AULAS DE MATEMÁTICA NAS ESCOLAS DO POVO INDÍGENA CINTA LARGA

Autores

  • Augusto CINTA LARGA Secretaria de Estado da Educação de Rondônia (SEDUC/RO)
  • Carma Maria Martini Professora do Departamento de Educação Intercultural (DEINTER) da UNIR, Campus de Ji-Paraná.

Resumo

O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida no Curso de Especialização em Educação Escolar Indígena, da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Campus de Ji-Paraná, na linha de pesquisa Produção de Material Didático, no período de 2018 a 2019. A qual foi um desdobramento do Trabalho de Conclusão de Curso da Licenciatura em Educação Básica Intercultural e teve como objetivo elaborar uma proposta de material didático específico para servir de apoio às aulas de matemática nas escolas do Povo Indígena Cinta Larga de Rondônia e Mato Grosso. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com a utilização de procedimentos metodológicos da pesquisa-ação na sua execução e fundamentada em autores na área da Educação Escolar Indígena e da Etnomatemática. O resultado foi a apresentação de uma proposta de material didático específico no formato de um livreto, com o tema “termos numéricos do Povo Cinta Larga”. No processo de elaboração contamos com a participação, colaboração e avaliação dos professores e sabedores Cinta Larga e, além disso, realizamos aulas experimentais com estudantes do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental da Escola Indígena Estadual de Ensino Fundamental Pichuvy Cinta Larga, da aldeia 14 abril, em Espigão do Oeste (RO), com o propósito de aprimorar o material didático. Avaliamos a experiência como exitosa, pois a proposta elaborada de forma coletiva contemplou o contexto social e cultural do Povo Cinta Larga e tem potencial para fortalecer a identidade indígena dos estudantes e contribuir na promoção de uma educação matemática significativa e intercultural.

Palavras-chave: Educação escolar indígena; Formação de professores indígenas; Etnomatemática; Material didático específico.

Biografia do Autor

Augusto CINTA LARGA, Secretaria de Estado da Educação de Rondônia (SEDUC/RO)

Professor indígena da Secretaria de Estado da Educação de Rondônia (SEDUC/RO). Especialista em Educação Escolar Indígena pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Licenciado em Educação Básica Intercultural na área específica de Ciências da Natureza e Matemática Intercultural. E-mail: augustocintalarga@gmail.com.

Carma Maria Martini, Professora do Departamento de Educação Intercultural (DEINTER) da UNIR, Campus de Ji-Paraná.

Professora do Departamento de Educação Intercultural (DEINTER) da UNIR, Campus de Ji-Paraná. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Vice-líder do Grupo de Pesquisa em Etnoconhecimento e Pesquisa em Educação (GPEPE/UNIR). Orientadora do presente trabalho. E-mail: carmamartini@unir.br.

Referências

BANIWA, G. Educação escolar indígena no Brasil: avanços, limites e novas perspectivas. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 36., 2013, Goiânia. Anais [...]. Goiânia: ANPEd, 2013. n. p.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 20 jan. 2021.

BRASIL. Resolução nº 1/CNE/CP, de 7 de janeiro de 2015. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores Indígenas em cursos de Educação Superior e de Ensino Médio e dá outras providências. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php? option=com_docman&view=download&alias=16870-res-cne-cp-001-07012015&category slug=janeiro-2015-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 21 jan. 2021.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, [2009]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 jan. 2021.

BRASIL. Referencial curricular nacional para as escolas indígenas. Brasília: MEC, 1998.

CARDOZO, Ivaneide Bandeira. Diagnóstico etnoambiental participativo, etnozoneamento e plano de gestão em terras indígenas: Terra Indígena Roosevelt. Porto Velho, RO: ECAM, 2016.

CINTA LARGA, Augusto. Saberes e fazeres matemáticos do Povo Cinta Larga. 2015. 59 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Básica Intercultural) – Universidade Federal de Rondônia, Ji-Paraná, 2015.

CORTESÃO, L.; STOER, S. R. A interface da educação intercultural e a gestão da diversidade na sala de aula. In: GARCIA, R. L.; MOREIRA, A. F. Currículo na contemporaneidade. São Paulo: Cortez, 2003, p. 189-208.

COSTA, Marisa Vorraber; SILVEIRA, Rosa Hessel; SOMMER, Luis Henrique. Estudos culturais, educação e pedagogia. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 23, p. 36-61, maio/ago. 2003. ISSN 1809-449X. DOI https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000200004.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática. Um enfoque antropológico da matemática e do ensino. In: FERREIRA, M. K. L. (org.). Idéias matemáticas de povos culturalmente distintos. São Paulo: Global, 2002.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática e Educação. In: KNIJNIK, G.; WANDERER, F.; OLIVEIRA, C. J. (org.). Etnomatemática: currículo e formação de professores. 2. ed. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Transdisciplinaridade. 2. ed. São Paulo: Palas Atenas, 2012.

DAL POZ NETO, João. No país dos Cinta Larga: uma etnografia do ritual. 1991. 408 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 1991.

FERREIRA, M. K. L. (org.). Idéias matemáticas de povos culturalmente distintos. São Paulo: Global, 2002.

FUNAI. Fundação Nacional do Índio. Mapa das terras indígenas: situação fundiária. ago. 2020. 1 mapa, color. Escala 1:5.000.000. Base Cartográfica: Malha Digital do Brasil, IBGE, 2015. Disponível em: http://mapas2.funai.gov.br/portal_mapas/pdf/terra_indigena.pdf. Acesso em: 20 jan. 2021.

GERDES, P. Etnomatemática: cultura, matemática, educação. Moçambique: Instituto Superior de Tecnologia e Gestão (ISTEG), 2012. (Colectânea de Textos 1979-1991).

HALL, Stuart. Identidade cultural na pós-modernidade. 12. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Base de informações sobre os povos indígenas e quilombolas: indígenas e quilombolas 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/tipologias-do-territorio/27480-base-de-informacoes-sobre-os-povos-indigenas-e-quilombolas.html?edicao=27481&t=acesso-ao-produto. Acesso em: 21 jan. 2021,

ISA. Instituto Socioambiental. Cinta Larga. In: Povos indígenas no Brasil. Disponível em: https://pib.socioambiental.org/pt/Povo:Cinta_larga. Acesso em 20 jan. 2021.

KNIJNIK, G., et al. Etnomatemática em movimento. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

MAHER, T. M. A formação de professores indígenas: uma discussão introdutória. In: GRUPIONI, L. D. B. (org.). Formação de professores indígenas: repensando trajetórias. Brasília, DF: MEC : SECAD, 2006.

MANCINI, Ana Paula Gomes; TROQUEZ, Marta Coelho Castro. Desconstruindo estereótipos: apontamentos em prol de uma prática educativa comprometida eticamente com a temática indígena. Revista Tellus, Campo Grande, ano 9, n. 16, p. 181-208, jan./jun. 2009.

MINAYO, M. C. S. O desafio da pesquisa social. In: DESLANDES, S. F.; NETO, O. C.; GOMES, R.; MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 9-30.

MONTE, N. L. E agora, cara pálida? Educação e povos indígenas, 500 anos depois. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 15, p. 118-133, set./dez. 2000. ISSN 1413-2478.

OLIVEIRA, Carolina Miranda de; VECCHIA, Anna Beatriz Albuquerque. A produção de material didático em audiovisual para educação escolar indígena Guarani Mbya. Revista Labor, Fortaleza, v. 2, n. 21, p. 24-33, jan./jun. 2019. ISSN 1983-5000. DOI https://doi.org/10.29148/labor.v2i21.41023.

RONDÔNIA. Portal do Governo do Estado de Rondônia. Edital de Concurso Público n. 131/GDRH/GAB/SEARH, de 22 de maio de 2015. Concurso Público para provimento de 130 (cento e trinta) vagas de cargos efetivos [...] pertencentes ao Quadro de Pessoal Efetivo da Secretaria de Educação de Rondônia, para atender as Escolas Indígenas da Rede Estadual de Ensino [...]. Porto Velho: Superintendência Estadual de Administração e Recursos Humanos, 2015. Disponível em: http://www.rondonia.ro.gov.br/publicacao/131-edital-concurso-publico-seduc-indigena. Acesso em: 3 mar. 2019.

SURUÍ, A. P.; LEITE, K. G. Etnomatemática e educação escolar indígena no contexto do povo Paiter. Zetetiké, Campinas, v. 26, n. 1, jan./abr. 2018, p. 94-112. ISSN 2176-1744. DOI https://doi.org/10.20396/zet.v26i1.8650870.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 10. ed. São Paulo: Cortez : Autores Associados, 2000.

TROQUEZ, M. C. C. Materiais didáticos para a/na educação escolar indígena. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO, 16., 2012, Campinas. Anais [...]. Campinas: FE/UNICAMP, 2012. Disponível em: http://endipe.pro.br/ebooks-2012/2996p.pdf. Acesso em: 22 jan. 2021.

UNIR. Universidade Federal de Rondônia. Projeto político pedagógico do curso: Licenciatura em Educação Básica Intercultural. Ji-Paraná (RO): UNIR, 2008.

UNIR. Universidade Federal de Rondônia. Curso de Especialização em Educação Escolar Indígena. Ji-Paraná (RO): UNIR, 2016. Disponível em: http://www.ppgei.unir.br/uploads/ 22236604/arquivos/Projeto_de_Especializa__o_Final_1210193003.pdf. Acesso em: 22 jan. 2021.

VENERE, Mario Roberto. Projeto Açaí: uma contribuição à formação dos professores indígenas no Estado de Rondônia. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2018.

Downloads

Publicado

07/06/2021

Como Citar

CINTA LARGA, A., & Martini, C. M. (2021). PROPOSTA DE MATERIAL DIDÁTICO ESPECÍFICO PARA AS AULAS DE MATEMÁTICA NAS ESCOLAS DO POVO INDÍGENA CINTA LARGA. Revista De Educação Do Vale Do Arinos - RELVA, 8(1), 60–77. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/relva/article/view/5523