A IDENTIDADE NO EU PÓS- MODERNO: FRAGMENTAÇÃO E BUSCA

Autores

  • EDILIANE GONÇALVES UNEMAT

Resumo

O artigo se dedica ao estudo dos romances As
horas nuas (2010) e As meninas (1998) de Lygia Fagundes Telles,
enfocando a constituição identitária das personagens Rosa
Ambrósio e mãezinha dentro do contexto pós-moderno. As
discussões se fazem à luz de Zygmunt Bauman (1998, 2001,
2005), Stuart Hall (2004), Linda Hutcheon (1991), Anthony
Giddens (2002), Ítalo Calvino (2005), entre outros. Na ficção
vemos um mundo em desencontro, desconhecido do homem;
contradições edificam e destroem a personalidade humana num 

contínuo reencontro com seus desejos e medos. Em Lygia
Fagundes Telles evidencia-se o olhar conturbado daquele que
busca viver para si e para o outro que o vê, dentro de uma
sociedade que exige do indivíduo máscaras sociais que o deixem
em conformidade com tudo aquilo que lhe é cobrado. As
personagens por meio de desencontros constroem sua identidade.
Rosa Ambrósio e mãezinha vêm falar da pós-modernidade num
mundo pleno de mudanças que escapam do controle humano
pela sua fluidez.

Referências

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Tradução de Antonio de

Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos.

Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2004. Disponível

em: http://amorliquidolivro.blogspot.com.br/. Acesso em 19 jul. 2012.

_____. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchio. Tradução de Carlos

Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

_____. Modernidade líquida. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro:

Zahar, 2001.

_____. O mal-estar da pós-modernidade. Tradução de Mauro Gama,

Cláudia Martinelli Gama; revisão técnica Luís Carlos Fridman. Rio de Janeiro:

Jorge Zahar Editora, 1998.

BERMAN, Marshal. Tudo que é sólido desmancha no ar – a aventura da

modernidade. Tradução de Carlos Felipe Moisés e Ana Maria L. Ioriatti. São

Paulo: Companhia das Letras, 1986.

CALVINO, Ítalo. Seis propostas para o próximo milênio: lições americanas.

Tradução de Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Tradução de Plínio

Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de

Tomaz Tadeu da silva, Guaracira Lopes Louro. 9 ed. Rio de Janeiro: DP&A,

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção.

Tradução de Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago , 1991.

JAMESON, Fredric. O pós-modernismo e a sociedade de consumo. In:

KAPLAN, E.A (Org.) O mal-estar no pós-modernismo: teorias e práticas.

Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

POLAN, Dana. O pós-modernismo e a análise cultural na atualidade In

KAPLAN, E.A (Org.) O mal-estar no pós-modernismo: teorias e práticas.

Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

SENNETT, Richard. O declínio do homem público: as tiranias da

intimidade. Tradução de Lygia Araujo Watanabe. São Paulo: Companhia das

Letras, 1988.

TELLES, Lygia Fagundes. As meninas. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

_____. As horas nuas. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

Downloads

Publicado

04/06/2016

Como Citar

GONÇALVES, E. (2016). A IDENTIDADE NO EU PÓS- MODERNO: FRAGMENTAÇÃO E BUSCA. Revista Alere, 11(1), 24. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/1326

Edição

Seção

ARTIGOS