A CONSTRUÇÃO DO TRÁGICO

Autores

  • Dante Gatto UNEMAT
  • Demilson Moreira Rodrigues UNEMAT
  • Patrícia Almeida da Silva UNEMAT

Resumo

Este  artigo  pretende,  de  forma  concisa, circunscrever  a  condição  trágica do  homem. Deu-se andamento às reflexões por meio das evidências míticas do princípio, em um mundo homogêneo, e como se conquistou a solidão da individualidade pela produtividade do espírito. Tendo em vista que a religião é sintoma do trágico, pensou-se  a  transformação  operada  na  religiosidade do mundo arcaico  ao  domínio  cristão,  bem  como  a  necessidade  do surgimento das demais instituições: a palavra, a cidadania e a democracia como  básicas  a  tal  reformulação, fundamentalmente a ideia que se tem de Deus. A questão crucial que permeou as reflexões foi o avanço da racionalidade até ao racionalismo em detrimento, como se defendeu, a nossa natureza irracional. Por fim, refletiu-se o retorno do trágico na pós-modernidade, conforme vicejava no mundo arcaico, por meio de um enfoque na sabedoria trágica, tal como se identificou na filosofia nietzschiana.

Referências

BARBUY, H. Nota para esta edição. In: SCHOPENHAUER, A. O mundo

como vontade e representação. Rio de Janeiro: Tecnoprint, s.d.

BIBLIA SAGRADA. Traduzida por João Ferreira de Almeida 2. ed. São Paulo: Sociedade Bíblica da Brasil, 1993.

CASADO, Tiago Souza Machado. Sabedoria trágica no último Nietzsche: o impulso dionisíaco para a vida. Kínesis, Vol. II, n° 03, Abril-2010,

p. 60 ? 71. Disponível em: http://www.marilia.unesp.br/Home/Revistas

Eletronicas/Kinesis/5_TiagoSouzaMachadoCasado.pdf Acesso em: 30 out. 2014.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. Tradução de Rogério Fernandes.

São Paulo: Martins Fontes, 1992.

GUINSBURG J. O resgate do espírito trágico. Folha de São Paulo, 13 set.

, p.5.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico. 2.

ed. Tradução de José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Duas

Cidades, 2009.

MAFFESOLI, Michel. O eterno instante: o Retorno do Trágico nas

sociedades Pós-Modernas. Lisboa: Instituto Piaget, 2000.

NIETZSCHE, F. W. Crepúsculo dos Ídolos ou filosofia a golpes de

martelo. Trad. Edson Bini e Márcio Pugliesi. São Paulo: Hemus, 1984.

NIETZSCHE, F. W. Genealogia da moral. Trad. de Paulo Cesar Souza.

São Paulo: Brasiliense, 1987b.

NIETZSCHE, F. W. Obras incompletas. Trad. Rubens Rodrigues Torres

Filho. São Paulo: nova cultural, 1987a. 2v. (Os pensadores).

NIETZSCHE, Friedrich. Ecce homo: como se chega a ser o que é.

Tradução de Artur Morão. Covilhã: 2008.

ORTEGA Y GASSET, José. A ideia do Teatro. São Paulo: Perspectiva,

SANTOS, M. D. A correspondência de Mário e a ?felicidade? no credo

modernista. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n.36,

p.95-107, 1994.

UNAMUNO, Miguel. Do sentimento trágico da vida. São Paulo: Hedra,

WILLIAMS, Raymond. Tragédia Moderna. São Paulo: Cosac & Naify,

WISNIK, J. M. A paixão dionisíaca em Tristão e Isolda. In: CARDOSO, S. et al. Os sentidos da paixão. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

p.195-228.

Downloads

Como Citar

Gatto, D., Moreira Rodrigues, D., & Almeida da Silva, P. (2017). A CONSTRUÇÃO DO TRÁGICO. Revista Alere, 12(2), 93–112. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/1680

Edição

Seção

ARTIGOS