O FANTASMA FAZENDEIRO E OS SEM-TERRA: NARRATIVAS CRÍTICAS EM CONTEXTOS DE LUTA SOCIAL

Autores

  • Danilo Paiva Ramos

Resumo

Um fantasma assombra a sede de uma fazenda tomada por um grupo de pessoas sem terra. É o fantasma do último proprietário. As manifestações de alguns escravos que trabalharam e morreram nessa fazenda muitos anos antes
também assustam os novos moradores. Além disso, durante a noite, imagens de bolas de luz surgem em diferentes partes do assentamento Carlos Lamarca MST, deleitando alguns dos trabalhadores rurais que moram lá, enquanto outros ficam absolutamente assustados com essa visão. Esta pesquisa centra-se no estudo e análise das histórias de fantasmas e aparições contadas pelos trabalhadores rurais lá estabelecidos. Ao considerar essas histórias como performances orais, o pesquisador tenta entender e analisar como essas imagens, impregnadas de tensão e ansiedade enquanto são retratadas nos relatos, ajudam esses trabalhadores rurais a interpretar várias experiências difíceis que surgiram durante todo o curso de suas vidas, como a perda da terra, a migração, vida e trabalho nos centros urbanos, envolvimento com o MST, luta política e assentamento. O pesquisador pretende destacar como e em que medida esses trabalhadores pensam sobre si mesmos e suas experiências através dessas performances orais. Existem dois procedimentos analíticos de estudo que são apresentados simultaneamente neste trabalho para compreender essas histórias de fantasmas e aparições. A tentativa de estudar estas histórias deve ser um dos primeiros passos para elucidar como as dimensões políticas e econômicas envolvidas em sua luta pela terra são interpretadas e experimentadas pelos próprios trabalhadores rurais.

Downloads

Como Citar

Ramos, D. P. (2018). O FANTASMA FAZENDEIRO E OS SEM-TERRA: NARRATIVAS CRÍTICAS EM CONTEXTOS DE LUTA SOCIAL. Revista Alere, 16(2), 11–50. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/2975

Edição

Seção

ARTIGOS