DESDOBRAMENTOS DE MEMÓRIAS: LUGARES PROTETORES EM DENTRO DA NOITE VELOZ e POEMA SUJO, DE FERREIRA GULLAR

Autores

  • Silvana Maria Pantoja dos Santos

Resumo

A memória povoa o cenário da vida, servindo como sustentáculo para configuração da existência. É considerada o fio condutor das relações socais e afetivas. Assim, objetivamos com este trabalho analisar os espaços de atravessamento de memórias em Poema sujo e Dentro da noite veloz, de Ferreira Gullar, em particular aqueles de intimidade, que evocam a imagem da morada. Para tanto, as discussões se efetivarão sob a orientação do método topoanalítico de Bachelard (1993). A linguagem poética memorialística irrompe em uma teia de sentidos, possibilitando o surgimento de novos significados que desembocam em lembranças de cenas protetoras, constructos de um passado que não passa.

Downloads

Como Citar

Santos, S. M. P. dos. (2018). DESDOBRAMENTOS DE MEMÓRIAS: LUGARES PROTETORES EM DENTRO DA NOITE VELOZ e POEMA SUJO, DE FERREIRA GULLAR. Revista Alere, 16(2), 85–98. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/2978

Edição

Seção

ARTIGOS