A SOLIDÃO CATÁRTICA E O ÊXTASE ANTINÔMICO NOS CONTOS: “ESPIRAL” E “O RABISCO” DE GEOVANI MARTINS

Autores

  • Edinaldo Flauzino de Matos

Resumo

No presente artigo analisa-se nos contos “Espiral” e “O rabisco”, de Geovani Martins, a conjuntura da solidão que perpassa a condição psicológica e patológica
dos personagens principais. A análise encontra-se pautada nos pensamentos teóricos, sociológicos, filosóficos e psicanalíticos de autores que compreendem a solidão como um elemento essencial à vida, uma vez que, desse estado, pode-se adquirir certo nível de aprendizado. Nesse sentido, é concluso ponderar que a Solidão, descrita nos contos, em leitura, apreende os efeitos catárticos e antinômicos sucedidos de questões existenciais cujas circunstâncias de ausências
instauradas impetram judicioso estado de isolamento que resulta num comportamento humano socialmente ambíguo e doentio.

Downloads

Como Citar

Matos, E. F. de. (2019). A SOLIDÃO CATÁRTICA E O ÊXTASE ANTINÔMICO NOS CONTOS: “ESPIRAL” E “O RABISCO” DE GEOVANI MARTINS. Revista Alere, 18(2), 141–172. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/3533

Edição

Seção

ARTIGOS