GOZO ATEMPORAL: TRANBORDAMENTO TRANSCENDENTE EM DO DESEJO DE HILDA HILST

Autores

  • RAFFAELLA ANDRÉ FERNANDEZ Departamento de História e Teoria Literária – IEL – Instituto de Estudos da Linguagem- UNICAMP

Resumo

No livro poemas Do desejo de Hilda Hilst acompanhamos o devir-atemporal que marca a tessitura dessa poética dilacerada, transbordante, poesia capaz de vivenciar o
transcendente. Sorte de infinitude que faz parte do sentimento de finitude, uma sensação angustiosa que percorre este livro-corpo. Nesse processo de atemporalidades, a palavra não consegue sustentar o instante vivido, realiza o que Deleuze (2005) considera como percepto imanente aos autores in devires, de modoa escapar do conceito agarrando-se ao devaneio poético decodificado por Bachelard (1988) como o exercício inerenteao poeta. Em sua poesia-Deus o desejo intenta apreender o “instante interminável” do delírio poético que petrifica: “o desejo é eternidade

Referências

ARTAUD, Antonin. O teatro e o seu duplo. São Paulo: Max Limonad,

Abeìceìdaire de Gilles Deleuze (avec C. Parnet), Paris: Montparnasse, 2001. ASIN: 6030007599 [reìalisation: P.-A. Boutang; distribution: Buena Vista Home Entertainment].

BATAILLE, Georges. La littérature et le mal. Paris:Gallimard, 1990.

______. L’érotisme. Paris: Minuit, 1957. BACHELARD,

Gaston. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes,

CINTRA, Elaine (org). Roteiro poético de Hilda Hilst. Uberlândia: UDUFU, 2009.

COELHO, Nelly Novaes. Poesia obscura/ luminosa de Hilda Hilst. Disponívelem: http://www.hildahilst.com.br/separata.php?categoria=10&id=12. Acessoem 12/09/2011.

DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? São Paulo:Ed. 34, 2005.

HILST, Hilda. Do desejo. São Paulo: Pontes, 1992.

______. Do desejo. São Paulo: Globo, 2004.

______. Amavisse. São Paulo: Massao Ohno, 1989.

______. Tu não te moves de ti. São Paulo: Cultura, 1980.

______. A obscena senhora D. São Paulo: Globo, 2001.

______. Obra completa reunida (1950-1996). Casa do sol: Editora da Universidade, 1998. Disponível em: http://www.faroldoconhecimento.com.br/livros/Literatura/Poesia/HILST,%20Hilda%20-%20Poesia%20completa.pdf (Acesso em 04/02/2013).

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance. São Paulo: Duas Cidades, 2000.

OLIVEIRA, Ester A. V. Dossiê Hilda Hilst. Contexto: Revista Semestral do Programa de pós-graduação em Letras. N. 18, V. 2. Vitória: Edufes, 2010.

PÉCORA, Alcir. Por que ler Hilda Hilst. São Paulo: Globo, 2010.

Downloads

Publicado

2015-06-07

Como Citar

FERNANDEZ, R. A. (2015). GOZO ATEMPORAL: TRANBORDAMENTO TRANSCENDENTE EM DO DESEJO DE HILDA HILST. Revista Alere, 9(1), 15. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/454

Edição

Seção

ARTIGOS