A NARRATIVA PICTÓRICA COMO UMA FRONTEIRA DESLIZANTE EM THE MADONNA OF EXCELSIOR DE ZAKES MDA

Autores

  • DIVANIZE CARBONIERI UFMT

Resumo

No romance The Madonna of Excelsior (2002), o sul-africano Zakes Mda insere a descrição de pinturas no início de cada capítulo, criando um espaço de trânsito para o leitor antes dos eventos ficcionais. Essa estratégia dá um novo sentido à criação de uma metaficção historiográfica particular, que retrata um momento nevrálgico da história da África do Sul: justamente a travessia entre o período do apartheid e aquele que caracterizou o seu fim. O objetivo deste artigo é analisar a relação entre a representação dessas narrativas pictóricas como fronteiras textuais e metafóricas e o deslizamento entre violência e reconciliação realizado pelo todo da obra.

Referências

BHABHA, H. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2001.

BRAH, A. Cartographies of diaspora. London; New York: Routledge, 1996.

CANCLINI, N. Culturas híbridas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013.

FANON, F. The wretched of the earth. London: Penguin Books, 1990.

GILROY, P. O Atlântico negro. São Paulo: Editora 34; Rio de Janeiro: Universidade Cândido Mendes, 2001.

HUTCHEON, L. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1991.

MDA, Z. The Madonna of Excelsior. Cape Town: Oxford University Press, 2007.

WALTER, R. Afro-América: diálogos literários na diáspora negra das Américas. Recife: Bagaço, 2009.

Downloads

Publicado

01/12/2014

Como Citar

CARBONIERI, D. (2014). A NARRATIVA PICTÓRICA COMO UMA FRONTEIRA DESLIZANTE EM THE MADONNA OF EXCELSIOR DE ZAKES MDA. Revista Alere, 8(2), 26. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/472

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)