RAZÃO E IMAGINAÇÃO: UM EXERCÍCIO DE SER CRIANÇA NA CRIAÇÃO LITERÁRIA DE MANOEL DE BARROS

Autores

  • Vanderluce Moreira Machado Oliveira

Resumo

Nesta leitura crítica dos livros Exercícios de ser criança (1999) e Poeminhas em língua de brincar (2007) de Manoel de Barros, ambos considerados como obras do corpus infantil do escritor,  saliento como o emprego da razão e da imaginação são indissociáveis na sua criação poética. A razão é representada por personas poéticas adultas, as quais nomeiam as coisas cientificamente, sendo assim, ao conceituá-las desfazem a imagem poética. Por outro lado, a criança, ser imaginativo, e criativo vive no reino da metáfora, é criadora de imagens, doadora de sentidos, de vidas e de mundos, tal como o poeta. Ser criança, nesta poesia equivale a ser poeta.

Downloads

Publicado

09/09/2020

Como Citar

Oliveira, V. M. M. (2020). RAZÃO E IMAGINAÇÃO: UM EXERCÍCIO DE SER CRIANÇA NA CRIAÇÃO LITERÁRIA DE MANOEL DE BARROS. Revista Alere, 21(1), 193–214. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/4842

Edição

Seção

ARTIGOS DO DOSSIÊ TEMÁTICO