ELA ERA FEIA? O CORPO RESSIGNIFICADO EM DIVANIZE CARBONIERI

Eduardo Mahon

Resumo


O presente artigo se propõe a analisar a narrativa de Divanize Carbonieri no conto “Fia”. Aspectos físicos da personagem empurram a barreira do gênero literário fantástico para outro tipo de estranhamento. A desnaturalização do corpo não descola da realidade física, mas causa o mesmo efeito das metamorfoses da literatura fantástica porque desnaturaliza a percepção prevalente. Ainda que a estratégia de distorção da realidade seja diversa, os propósitos do grotesco são os mesmos. Se, no passado, o mundo da automação humana, da opressão de regimes políticos e fracasso da noção moderna de progresso eram a tônica, agora a subordinação social e sexual são o eixo para a narrativa de Carbonieri.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (versão eletrônica): 2176-1841