ANTÍTESE DA VIDA E MORTE EM DE GADOS E HOMENS, DE ANA PAULA MAIA

Autores

  • LILIANE LENZ DOS SANTOS

Palavras-chave:

Ana Paula Maia; De gados e homens; Antítese; Obra contemporânea; Vida e morte.

Resumo

No romance De gados e homens, lançado
em 2013, a autora contemporânea Ana Paula Maia traz
várias situações com a antítese vida e a morte, tema
bastante relevante na escrita moderna. O narrador conta
a história de alguns homens que vivem a realidade de
um matadouro, onde a morte traz a vida, a sobrevivência

não só dos homens que dele dependem, mas de todas
as pessoas que são alimentadas pela carne produzida
naquele ambiente. Nesse artigo pretendemos discutir
sobre a antítese de vida e morte demonstrada no Rio das
Moscas, que deveria ser fonte de vida, mas passa a ser
condutor de morte, a vida e morte nas personalidades
de alguns personagens que tinham prazer na morte
de outrem ou demonstravam respeito em matar, por
precisar sobreviver, como também é apresentado a
antítese morte e vida na miséria que circunda a vida
das famílias que moram próximo ao matadouro, miséria
escancarada, mostrando que a vida está se esvaindo,
mas que a morte pode trazer esperança. Sendo assim,
este artigo procura proporcionar aos leitores atentos
uma reflexão sobre a vida e a morte, tendo como aporte
teórico os autores RODRIGUES (1995), VOVELLE
(1996), ARIÉS (1977), CANDIDO (1972) entre outros.

Downloads

Publicado

16/10/2021

Como Citar

LENZ DOS SANTOS, L. (2021). ANTÍTESE DA VIDA E MORTE EM DE GADOS E HOMENS, DE ANA PAULA MAIA. Revista Alere, 22(2), 263–282. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/5899

Edição

Seção

ARTIGOS