NIKETCHE: A DANÇA DAS CONFLUÊNCIAS DISCURSIVAS E TEXTUAIS DA ORALIDADE

Autores

  • ELISABETH BATTISTA
  • LUCIANA ALBERTO NASCIMENTO

Palavras-chave:

Literatura. Moçambique. Narrativa híbrida. Paulina Chiziane.

Resumo

A leitura do romance Niketche: uma história
de poligamia (2004), da escritora moçambicana Paulina
Chiziane, nos leva ao universo perceptivo e cultural
do país, a partir da consciência feminina no contexto
poligâmico. O presente artigo tem o objetivo de analisar
o caráter plural do discurso narrativo o que nos levou a
considerar as contradições que se engendram no seio
social moçambicano e os laços estreitos entre literatura
e as narrativas de tradição oral. Acreditamos que
essa relação evoca a pertença cultural dos escritores
a estas narrativas orais, bem como à tradição escrita,
configurando-se como elementos estruturantes do
romance. Nesse espaço narrativo em primeira pessoa,
descreveu-se a poligamia como uma linguagem
dramática que se moldura pela arte performática da
dança, da música, o que nos possibilitou tratarmos da
construção do romance como uma estrutura narrativa
híbrida.

Downloads

Publicado

16/10/2021 — Atualizado em 17/10/2021

Versões

Como Citar

BATTISTA, E., & ALBERTO NASCIMENTO, L. (2021). NIKETCHE: A DANÇA DAS CONFLUÊNCIAS DISCURSIVAS E TEXTUAIS DA ORALIDADE. Revista Alere, 22(2), 283–302. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/5900 (Original work published 16º de outubro de 2021)

Edição

Seção

ARTIGOS