O COPROTAGONISMO DOS ANIMAIS NO ROMANCE DE GADOS E HOMENS, DE ANA PAULA MAIA

Autores

  • RAYSSA DUARTE MARQUES CABRAL

Palavras-chave:

Romance contemporâneo; coprotagonismo animal; antropocentrismo narrativo e isonomia narrativa.

Resumo

Este artigo tem como objeto de análise o
romance De gados e homens (2013), da escritora brasileira
contemporânea Ana Paula Maia. Por ser um trabalho
fruto da disciplina “O romance contemporâneo”, a leitura
e análise do corpus escolhido respaldar-se-á sobretudo
em autores como: Bakhtin (1993) e Watt (2010), a

fim de delinear uma reflexão sobre o gênero romance;
Agamben (2009), para refletir sobre o seu conceito de
contemporâneo; Bauman (1998) para compreender a
burocracia como efeito negativo da modernidade; e, para
um recorte espacial, Schøllhammer (2009) e Resende
e Finzazzi-Agro (2014), que traçam tendências do
romance brasileiro contemporâneo. Além da discussão
teórica, a obra escolhida, que poderia ser analisada pelas
mais variadas perspectivas, tem como recorte temático
o coprotagonismo dos animais, que saem da posição
tradicional de meros objetos e tornam-se sujeitos,
contribuindo diretamente para os acontecimentos
que dão origem à narrativa. Espera-se que o resultado
desta pesquisa contribua não só para a fortuna crítica a
respeito da obra de Ana Paula Maia, mas também para
reflexões sobre o romance brasileiro contemporâneo, a
escrita de autoria feminina, a literatura e cultura “de
margem” e o coprotagonismo animal na literatura.

Downloads

Publicado

16/10/2021

Como Citar

DUARTE MARQUES CABRAL, R. (2021). O COPROTAGONISMO DOS ANIMAIS NO ROMANCE DE GADOS E HOMENS, DE ANA PAULA MAIA. Revista Alere, 22(2), 361–380. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/alere/article/view/5904

Edição

Seção

ARTIGOS