Perfil dos casos de sífilis congênita em um município do sul de Mato Grosso / Profile of the cases of syphilis in a municipality the south of Mato Grosso / Perfil de los casos de sífilis en un municipio del sur de Mato Grosso

Autores

  • Liliam Carla Vieira Gimenes Silva Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Cássia Cássia de Jesus Teodoro Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Jeyce Kelly da Silva Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Débora Aparecida da Silva Santos Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Ricardo Alves de Olinda Universidade Estadual da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.30681/25261010

Palavras-chave:

Sífilis Congênita, Perfil de Saúde, Saúde Pública

Resumo

Objetivo: avaliar o perfil epidemiológico de sífilis congênita em um município do sul de Mato Grosso. Método: estudo transversal com abordagem quantitativa e descritiva. A coleta de dados foi realizada entre abril e junho de 2017 por meio do Sistema de Informações e Agravos de Notificações e do Departamento de Informação do Sistema Único de Saúde. Foram realizadas análises descritivas dos dados a partir da apuração de frequências simples absolutas e percentuais para as variáveis categóricas e organização dos resultados em tabelas. Resultados: foram notificados 153 casos de sífilis congênita, sendo as características maternas com maior predomínio da faixa etária de 16 a 20 anos, cor parda, escolaridade de 5ª a 8ª séries incompletas, sendo donas de casa. A maioria das gestantes realizaram o pré-natal, com tratamento inadequado. O perfil das crianças com sífilis predominou a faixa etária menores de um ano em 100% dos casos, 51% sexo feminino e 54% cor parda. Conclusão: desta forma, há necessidade de atualização dos profissionais para o preenchimento correto da ficha de notificação dos casos e para condutas relacionadas ao manejo do tratamento adequado.  

Biografia do Autor

Liliam Carla Vieira Gimenes Silva, Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Mestre em Atenção à Saúde. Docente da Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Universitário de Rondonópolis, Curso de Enfermagem.

Cássia Cássia de Jesus Teodoro, Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Enfermeira. Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Universitário de Rondonópolis, Curso de Enfermagem.

Jeyce Kelly da Silva, Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Enfermeira. Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Universitário de Rondonópolis, Curso de Enfermagem.

Débora Aparecida da Silva Santos, Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Enfermeira Docente. Doutora. Universidade Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Universitário de Rondonópolis, Curso de Enfermagem.

Ricardo Alves de Olinda, Universidade Estadual da Paraíba

Estatístico Docente. Doutor. Universidade Estadual da Paraíba, Departamento de Estatística-CCT.

Referências

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, AIDS e Hepatites virais. Boletim epidemiológico: Sífilis. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Prevenção da Transmissão Vertical de HIV, Sífilis e Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.

Ministério da Saúde (BR). Nota informativa nº 2-SEI/2017. DIAHV/SVS/MS. Altera os Critérios de Definição de Casos para notificação de Sífilis Adquirida, Sífilis em Gestantes e Sífilis Congênita. Brasília: Ministério da Saúde; 2017.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Boletim epidemiológico: Sífilis. Brasília: Ministério da Saúde; 2017.

Ibge. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades: Rondonópolis, Mato Grosso, 2017. Disponível em < http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=510760> Acesso em 20 jun. 2017.

Costa CC, Freitas LV, Sousa DMN, de Oliveira LL, Chagas ACMA, Lopes MVO, Damasceno AKC. Congenital syphilis in Ceará: epidemiological analysis of one decade. Rev esc enferm USP. 2013; 47(1):152-9.

Cavalcante PAM, Pereira RBL, Castro JGD. Syphilis in pregnancy and congenital syphilis in Palmas,Tocantins State, Brazil, 2007-2014. Epidemiol Serv Saude. 2017; 26(2):1-10.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Belda JW, Shiratsu R, Pinto V. Abordagem nas Doenças sexualmente transmissíveis. An bras dermatol. 2009; 84(2):151-9.

Nonato SM, Melo APS, Guimarães MDC. Syphilis in pregnancy and factors associated with congenital syphilis in Belo Horizonte-MG, Brazil, 2010-2013. Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(4):681-94.

Serafim AS, Moretti GP, Serafim GS, Niero CV, Rosa MI, Pires MMS, et al. Incidence of congenital syphilis in the South Region of Brazil. Rev Soc Bras Med Trop. 2014; 47(2):170-8.

Almeida PD, Araújo Filho ACA, Araújo AKL, Carvalho ML, Silva MG P, Araújo TME. Análise epidemiológica da sífilis congênita no Piauí. Rev Interd. 2015; 8(1):62-70.

Santos TD, Lock NC, Lnza SS, Santos AB, Beck ST, Anversa ETR, Ramos LS, Rosa VP. Perfil da Sífilis Gestacional e Congênita no Município de Santa Maria-RS: vivências multidisciplinares para trocas de saberes. Rev Saúde (Santa Maria). 2016; 42(2):215-24.

Domingues RMSM, Szwarcwald CL, Souza Junior PRB, Leal MC. Prevalência de sífilis na gestação e testagem pré-natal: estudo Nascer no Brasil. Rev Saúde Pública. 2014; 48(5):766-74.

Alves WA, Cavalcanti GR, Nunes FA, Teodoro WR, Carvalho LM, Domingos RS. Sífilis Congênita: epidemiologia dos casos notificados em Alagoas, Brasil, 2007 a 2011. Rev port saúde soc. 2016; 1(1):27-41.

Teixeira MA, Santos PP, Santos PN, Araújo RT, Souz AGJ. Perfil Epidemiológico e sociodemográfico das crianças infectadas por sífilis congênita no município de Jequié/Bahia. Rev sáude.com. 2015; 11(3):303-13.

Moreira KFA, Oliveira DM, Alencar LN, Cavalcante DFB, Pinheiro AS, Orfão NH. Perfil dos casos notificados de sífilis congenita. Cogitare enferm. 2017; (22)2: e48949.

Chiumento DA, Griep R. Perfil Epidemiológico da Sífilis Congênita no Município de Cacavel/PR nos Anos de 2010 a 2014. Thema Scientia. 2015; 5(2):106-11.

Downloads

Publicado

28/12/2017

Como Citar

Vieira Gimenes Silva, L. C., Cássia de Jesus Teodoro, C., da Silva, J. K., da Silva Santos, D. A., & Alves de Olinda, R. (2017). Perfil dos casos de sífilis congênita em um município do sul de Mato Grosso / Profile of the cases of syphilis in a municipality the south of Mato Grosso / Perfil de los casos de sífilis en un municipio del sur de Mato Grosso. Journal Health NPEPS, 2(2), 380–390. https://doi.org/10.30681/25261010

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale