Interface da diretriz terapêutica do autocateterismo vesical na perspectiva legal / Interface of therapeutic guideline for self-catheterization in the legal perspective / Interfaz de la directriz terapéutica del autocateterismo vesical...

Autores

  • Thiago Vital Barroso Universidade Federal do Amazonas - UFAM
  • Hadelândia Milon de Oliveira Universidade Federal do Amazonas - UFAM / Docente da Escola de Enfermagem de Manaus - EEM.
  • Prisca Dara Lunieres Pêgas Coêlho Universidade Federal do Amazonas - UFAM / Hospital Universitário Getúlio Vargas - HUGV.

Palavras-chave:

Bexiga Urinária Hiperativa, Bexiga Urinária Neurogênica, Cateterismo Uretral Intermitente, Enfermagem

Resumo

Objetivo: identificar as diretrizes terapêuticas do autocateterismo em pacientes acometidos por bexiga neurogênica na perspectiva legal, confrontando a proteção constitucional do direito à vida com os postulados de ordem ética e social do Enfermeiro. Método: trata-se de um ensaio teórico-reflexivo, realizado no período de maio de 2016 a janeiro de 2017, a partir de atividades de campo prático da residência multiprofissional da Universidade Federal do Amazonas. Resultados: o profissional enfermeiro desempenha um papel de grande importância em relação à assistência desde os cuidados de promoção de saúde em situações aguda e crônica da lesão medular. Com o avanço da tecnologia, o status de cuidar e as práxis de enfermagem vêm sofrendo mudanças significativas, exigindo assim novas diretrizes, ações e orientações. Considerações Finais: entende-se que a prática de autocateterismo pode ocasionar lesão na estrutura uretrovesical. Logo, higiene, conforto físico, e a reeducação vesical são imprescindíveis para a prevenção de sequelas no paciente e promoção de bem-estar. A enfermagem vem ao logo do tempo construindo e fortalecendo os seus cenários de atuações, diante disso precisamos de um novo estado reflexivo e transformador para a profissão.

Biografia do Autor

Thiago Vital Barroso, Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Mestrando no Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal do Amazonas. Pós-graduando em Docência Universitária na Faculdade Metropolitana de Manaus - FAMETRO (2016-2018). Residência em Enfermagem em Saúde Funcional/Neurofuncional no Hospital Universitário Getúlio Vargas - HUGV/UFAM (2015-2017). Bacharel em Enfermagem pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM (2015).

Hadelândia Milon de Oliveira, Universidade Federal do Amazonas - UFAM / Docente da Escola de Enfermagem de Manaus - EEM.

Doutora em Ciência na área de concentração de Saúde do Adulto pela Universidade de São Paulo (2016). Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Amazonas (2010). Atualmente é professor Adjunta da Universidade Federal do Amazonas na disciplina Saúde do Adulto e Enfermagem em Alta Complexidade. Membro no grupo de pesquisa Métodos Epidemiológicos e Análise de Situação de Saúde, nas linhas: Análise epidemiológica por meio de sistema de informação e Avaliação em Saúde. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase nos seguintes temas: enfermagem na saúde do adulto, Controle de Infecção Hospitalar e Segurança do Paciente.

Prisca Dara Lunieres Pêgas Coêlho, Universidade Federal do Amazonas - UFAM / Hospital Universitário Getúlio Vargas - HUGV.

Ensino superior completo em Enfermagem, graduada pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM/EEM), membro do Grupo de Pesquisa NIPES/UFAM - Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa em Enfermagem e Saúde. Residente Multiprofissional em Saúde do Programa de Atenção Integral na Saúde Funcional em Doenças Neurológicas do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), turma 2016-2018.

Referências

Rocha FET, Gomes CM. Bexiga neurogênica. In: Zerati Filho M, Nardozzo Júnior A e Reis RB. Urologia fundamental. São Paulo: Planmark; 2010.

Magalhãe AM, Chiochetta FV. Diagnósticos de enfermagem para pacientes portadores de bexiga neurogênica. Rev Gaúcha Enferm. 2002;23(1):6-18.

Lenz LL. Cateterismo vesical: cuidados, complicações e medidas preventivas. Arq Catarin Med. 2006;35(1):82-91.

Antônio S, Pachecoll STA, Gomes MPF, Reis AT, Rodrigues BMRD, Souza SM. Cateterismo intermitente limpo em crianças com bexiga urinária neurogênica: o cuidado do familiar no domicílio. Rev Enferm UERJ. 2015;23(2):191-6.

Tachizawa T, Mendes G. Como fazer monografia na prática. Rio de Janeiro: FGV; 2006.

Silva EL. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Florianópolis: UFSC; 2005.

Santos IS. Manual de Métodos e Técnicas de Pesquisa Científica. Niterói: Impetus; 2016.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas; 2002.

Reis RB, Zequi SC, Zeratti Filho M. Urologia Moderna. São Paulo: Lemar; 2013.

Moroóka M, Faro ACM. A técnica limpa do autocateterismo vesical intermitente: descrição do procedimento realizado pelos pacientes com lesão medular. Rev Esc Enferm USP. 2002;36(4):324-31.

Assis GM, Faro ACM. Autocateterismo vesical intermitente na lesão medular. Rev Esc Enferm USP. 2011;45(1):289-93.

Laiser NEG, Marques GQ. Cuidados adotados no cateterismo vesical intermitente limpo por usuários da Unidade Básica de Saúde Santa Marta [monografia]. Rio Grande do Sul: Universidade do Vale do Rio dos Sinos; 2013. 12 p.

Ahmed S, Paul SP. Chronic Renal Failure Secondary to Unrecognized Neurogenic Bladder in A Child with Myelodysplasia. Iran J Child Neurol. 2017;11(2):78-81.

Ministério da Saúde (BR). Diretriz de atenção à pessoa com lesão medular. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Oliveira FM. Educação continuada do enfermeiro na atenção à pessoa com lesão medular [dissertação]. Goiás: Universidade Federal de Goiás; 2015. 81 p.

Presidência da República (BR). Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 2.604, de 17 de setembro de 1955. Regula o exercício da enfermagem profissional. Brasília: Presidência da República; 1955.

Presidência da República (BR). Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem, e dá outras providências. Brasília: Presidência da República; 1986.

Presidência da República (BR). Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 94.406, de 08 de junho de 1987. Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da enfermagem, e dá outras providências. Brasília: Presidência da República; 1987.

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução Cofen nº 0450/2013. Normatiza o procedimento de Sondagem Vesical no âmbito do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem. Brasília: COFEN; 2013.

Presidência da República (BR). Subchefia para Assuntos Jurídicos. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Presidência da República; 1988.

Presidência da República (BR). Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990. Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. Brasília: Presidência da República; 1990.

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 1.820, de 13 de agosto de 2009. Dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários da saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Seth JH, Haslam C, Panicker JN. Ensuring patient adherence to clean intermittent self-catheterization. Patient Prefer Adherence. 2014;8:191–8.

Weynants L, Hervé F, Decalf V, Kumps C, Pieters R, Troyer B, Everaert K. Clean Intermittent Self-Catheterization as a Treatment Modality for Urinary Retention: Perceptions of Urologists. Int Neurourol J. 2017;21(3):189–96.

Dray EV, Clemens JQ. Recurrent urinary tract infections in patients with incomplete bladder emptying: is there a role for intravesical therapy?. Transl Androl Urol. 2017;6(2):163-70.

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução n.º 358, de 15 de outubro de 2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem. Brasília: COFEN; 2009.

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução n.º 564, de 06 de novembro de 2017. Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Brasília: COFEN; 2017.

Biaziolo CFB, Mazzo A, Martins JCA, Jorge BM, Batista RCN, Júnior ST. Validation of self - confidence scale for clean urinary intermittent self - catheterization for patients and health – caregivers. Int Braz J Urol. 2017;43(3):505-11.

Fumincelli L, Mazzo A, Martins JCA, Henriques FMD, Orlandin L. Qualidade de vida de pacientes usuários do cateterismo urinário intermitente. Rev Latinoam Enferm. 2017;25:e2906.

Downloads

Publicado

04/07/2018

Como Citar

Barroso, T. V., Oliveira, H. M. de, & Coêlho, P. D. L. P. (2018). Interface da diretriz terapêutica do autocateterismo vesical na perspectiva legal / Interface of therapeutic guideline for self-catheterization in the legal perspective / Interfaz de la directriz terapéutica del autocateterismo vesical. Journal Health NPEPS, 3(1), 268–280. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/2756

Edição

Seção

Ensaio Teórico-Reflexivo/ Reflective Analysis/ Artículo de Reflexión