Cultura de saúde e segurança dos trabalhadores de um hospital privado / Culture of health and safety of employees of a private hospital / Cultura de salud y seguridad de los trabajadores de un hospital privado

Autores

  • Renata Alessandra Evangelista Atua como docente no Curso de Enfermagem e Programa de Pós-Graduação em Gestão Organizacional da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão
  • Débora Prado Vasconcelos Programa de Pós-Graduação em Gestão Organizacional da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão
  • Alexandre Assis Bueno Doutorando do Programa de Enfermagem Fundamental da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
  • Luiz Almeida da Silva Atua no Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Goias - Regional Catalão e no Programa de Pós-Graduação em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (PPGAT)

Palavras-chave:

Risco Ocupacional, Saúde do Trabalhador, Hospital, Gestão da Segurança

Resumo

Objetivo: identificar a percepção dos trabalhadores de um hospital acerca da cultura de saúde e segurança no trabalho. Método: estudo observacional, descritivo, transversal, quantitativo, realizado em um hospital de médio porte, no interior de Goiás. O instrumento de coleta foi o Inventário de Clima Organizacional de Segurança. A coleta ocorreu no primeiro semestre de 2016. A análise foi feita através do programa SPSS 20.0. Resultados: participaram do estudo 118 colaboradores, com média de vínculo com a instituição 2,93 anos. Predominantemente do gênero feminino e com idade média de 35 anos. Foi identificado média geral de 2,92 horas de capacitação. Com relação as dimensões do inventário, a equipe de enfermagem apresentou um escore satisfatório nos itens clima de segurança, segurança como valor organizacional e envolvimento pessoal com segurança, enquanto que, nessas mesmas dimensões, a equipe de apoio se caracterizou como indiferente. Na dimensão práticas organizacionais a equipe de enfermagem, mostrou-se indiferente enquanto que a equipe de apoio se apresentou insatisfeita Conclusão: evidenciou-se diferença no envolvimento da percepção da cultura de saúde e segurança no trabalho nesse hospital, ficando evidente a necessidade de capacitação adequada para as categorias que compõem o quadro de trabalhadores.

Biografia do Autor

Renata Alessandra Evangelista, Atua como docente no Curso de Enfermagem e Programa de Pós-Graduação em Gestão Organizacional da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão

Enfermeiro. Professor Associado da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão (UFG/RC).  Doutora em Enfermagem, pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Atua no Curso de Enfermagem e Programa de Mestrado Profissional em Gestão Organizacional na UFG/RC. Líder da Rede de Pesquisa em Gestão, Ensino e Cuidado à Saúde (FAPEG). Experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Gestão em Saúde e Enfermagem, Gestão Organizacional, Qualidade de vida relacionada à Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho

Débora Prado Vasconcelos, Programa de Pós-Graduação em Gestão Organizacional da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão

Biomedica. Mestre, pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão Organizacional da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão

Alexandre Assis Bueno, Doutorando do Programa de Enfermagem Fundamental da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Enfermeiro. Professor Assistente da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão (UFG/RC).  Doutorando em Enfermagem no Programa de Enfermagem Fundamental do Departamento de Enfermagem Geral e Especializada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Atua no Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Goias - Regional Catalão - UFG/RC. Experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Gestão em Saúde e Enfermagem, Gestão Organizacional, Qualidade de vida relacionada à Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho

Luiz Almeida da Silva, Atua no Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Goias - Regional Catalão e no Programa de Pós-Graduação em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (PPGAT)

Enfermeiro, Pós-Doutorado pelo Programa de Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás, Linha Saúde do Trabalhador. Doutor em Ciências, Área Enfermagem Fundamental, Linha Saúde do Trabalhador pela EERP/USP. Professor Adjunto III da UFG - Regional Catalão, GO, linha Saúde do Adulto e Idoso. Foi Coordenador do Curso de Enfermagem (10/2013 a 10/2015). Especialista em Enfermagem do Trabalho; Auditoria em Serviços de Saúde; Docência do Ensino Superior. Bacharel em Enfermagem pela UNITRI (2006), Licenciatura pela UFMG (2012) e Técnico em Enfermagem (1998). Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Geral, Trauma e Emergência, Médico-Cirúrgica; Centro Cirúrgico, Unidade de Terapia Intensiva e banco de sangue na área de Transfusão Sanguínea e coleta de doadores. Experiência na área docente a nível de graduação e pós-graduação. Membro do Núcleo de Estudos sobre Saúde e Trabalho: NUESAT- EERP-USP. Líder do Núcleo de Estudos em Gestão e Atenção à Saúde do Trabalhador - NEGEAST- UFG-REJ; Pesquisador do NUGESTUS - Núcleo de pesquisas em gestão de serviços de saúde e enfermagem para segurança do trabalhador e usuários - UFG. Tem pesquisado atualmente sobre acidentes de trânsito e de trabalho, condições laborais e causas de adoecimento entre as diversas categorias de trabalhadores; Assistência de Enfermagem ao Adulto e Idoso com ênfase ao Paciente Crítico em Ambientes Hospitalares, prevenção de adoecimentos e agravos à Saúde dos Trabalhadores e Comunidade no Geral. Revisor de Periódicos da Revista Latino Americana de Enfermagem, Acta Paulista de Enfermagem, Educayon e Enfermería, Revista Brasileira de Epidemiologia e Revista de Enfermagem UFPE on Line. Atualmente pesquisa a influência do Monóxido de Carbono nas alterações à saúde dos trabalhadores do trânsito, em específico os mototaxistas. Professor Orientador do Mestrado Profissional em Ensino na Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde - PPGES da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás, Regional Goiânia.

Referências

Bottaro BB, Pereira FMV, Reinato LAF, Canini SRMS, Malaguti-Toffano SE, Gir E. Adesão às precauções–padrão pelos profissionais de enfermagem: uma revisão da literatura. Rev enferm UFPE on line. 2016; 10(3):1137-42.

Cavaleiro MR, Ferreira A, Figueiredo J, Conde J. Estudo da sinistralidade laboral em meio hospitalar - Aspecto fundamental para a integração da segurança no trabalho na gestão de unidades de saúde. Int J WorK Conditions. 2012; (3):21-41.

Reis FRD, Kitamura S. O controle estatal em saúde e segurança no trabalho e a auditoria do programa de controle medico de saúde ocupacional. Rev Bras Med Trab. 2016; (14):52-9.

Camposa DC, Diasa MCF. A cultura de segurança no trabalho: um estudo exploratório. Sist gest. 2012; 7(4):594-604.

Silva MC, Borges LO. Condições de trabalho e clima de segurança dos operários da construção de edificações. Rev Psicol Organ Trab. 2015; 15(4):407-18.

Ribeiro PHV, Brevidelli MM, Tipple AFV, Ribeiro RP, Gir E. Clima de segurança organizacional e a adesão às precauções padrão entre dentistas. Acta Paul Enferm. 2013; 26(2):192-7.

Silva S, Lima ML, Baptista C. OSCI: an organizational and safety climate inventory. Saf sci. 2004; 42(3):205-20.

Nickhorn MM, Sellitto MA. Análise Comparativa da Aplicação de Sistemas de Gestão de Segurança em Empresas da Indústria Automotiva. GEINTEC. 2015; 5(4):2703-17.

Souza SBC, Tavares JP, Macedo ABT, Moreira PW, Lautert L. Influência do turno de trabalho e cronótipo na qualidade de vida dos trabalhadores de enfermagem. Rev Gaúch Enferm. 2012; 33(4):79-85.

Souza LL, Araújo DB, Silva DS, Bêrredo VCM. Representações de gênero na prática de enfermagem na perspectiva de estudantes. Ciênc cogn. 2014;19(2):218-32.

Santana LL, Miranda FAD, Karino ME, Baptista PCP, Felli VEA, Sarquis LMM. Cargas e desgastes de trabalho vivenciados entre trabalhadores de saúde em um hospital de ensino. Rev Gaúch Enferm. 2013; 34(1):64-70.

Alves SMP, Coelho MCR, Borges LH, Cruz CAM, Massaroni L, Maciel PMA. A flexibilização das relações de trabalho na saúde: a realidade de um Hospital Universitário Federal. Ciênc Saúde Colet. 2015; 20(10):3043-50.

Alves DFS, Almeida AO, Higa R, Jorge SA. Indicador de treinamento em educação continuada para enfermagem: análise em um hospital universitário. Rev Eletrônica SIMTEC. 2016; (6):49-53.

Silva EJ, Lima MG, Marziale MHP. O conceito de risco e os seus efeitos simbólicos nos acidentes com instrumentos perfuro cortantes. Rev Bras Enferm. 2012; 65(5):809-14.

Ribobello MCG, Carvalho REFL, Cassiani SHB, Galon T, Capucho HC, Deus NN. Clima de segurança do paciente: percepção dos profissionais de enfermagem. Acta Paul Enferm. 2012; 25(5):728-35.

Andrade AL, Silva MZ, Netto MT. Clima de Segurança no Trabalho Hospitalar: adaptação de medida (ClimaSeg-H). Aval psicol. 2015; 14(2):261-71.

Carvalho PA, Götems LBD, Pires MRGM, Oliveira MLC. Cultura de segurança no centro cirúrgico de um hospital público, na percepção dos profissionais de saúde. Rev Latino-Am de Enf. 2015; 23(6):1041-148.

Guirardello EB. Impacto do ambiente de cuidados críticos no burnout, percepção da qualidade do cuidado e atitude de segurança da equipe de enfermagem. Rev Latino-Am Enferm. 2017; 25:e2884.

Françolin L, Gabriel CS, Bernardes A, Silva AEBC, Brito MFP, Machado JP, et al. Gerenciamento da segurança do paciente sob a ótica dos enfermeiros. Rev Esc Enferm USP. 2015; 49(2):277-83.

Silveira TVL, Prado Júnior PP, Siman AG, Amaro MOF. Opinião dos enfermeiros sobre a utilização dos indicadores de qualidade na assistência de enfermagem. Rev Gaúch Enferm. 2015; 36(2):82-8.

Alves LR, Giacomini MA, Camelo SH, Laus AM, Leal LA, Goulart BF, et al. Evidências sobre o trabalho em equipe na atenção hospitalar. J Health NPEPS. 2016; 1(2):246-62.

Reatto D, Silva DA, Isidoro ML, Rodrigues NT. Prevalência da Síndrome de Burnout no setor bancário no município de Araçatuba (SP). Arch health invest. 2014; 3(2):1-8.

Dalmoro M, Vieira KM. Dilemas Na Construção De Escalas Tipo Likert: O Número De Itens E A Disposição Influenciam Nos Resultados? Rev gest org. 2013; 6(3):161-74.

Downloads

Publicado

02/07/2018

Como Citar

Evangelista, R. A., Vasconcelos, D. P., Bueno, A. A., & Almeida da Silva, L. (2018). Cultura de saúde e segurança dos trabalhadores de um hospital privado / Culture of health and safety of employees of a private hospital / Cultura de salud y seguridad de los trabajadores de un hospital privado. Journal Health NPEPS, 3(1), 118–131. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/2903

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale