O uso do canto como terapêutica na reabilitação respiratória em idosos institucionalizados/ The use of singing as a therapeutic in respiratory rehabilitation in institutionalized elderly/ El uso del canto como terapéutica en la rehabilitación...

Autores

  • Jessica Mazalli Universidade do Contestado
  • Daniel Rogério Petreça Universidade do Contestado
  • Renata Campos Universidade do Contestado. Núcleo de Pesquisa em Saúde Coletiva e Meio Ambiente

Palavras-chave:

Idoso, Canto, Fisioterapia.

Resumo

Objetivo: avaliar os efeitos do canto na função respiratória, cardíaca e qualidade de vida em idosos institucionalizados. Método: pesquisa quase experimental e sem grupo controle, com a avaliação de 11 idosos institucionalizados no tempo 0 (pré aplicação) e no tempo 1 (pós aplicação) entre maio a agosto de 2017. As variáveis analisadas foram: função respiratória (capacidade inspiratória, obstrução das vias aéreas, expansibilidade torácica e saturação periférica de oxigênio), função cardíaca (pressão arterial e frequência cardíaca), função neurológica (mini exame do estado mental) e a qualidade de vida (escala de qualidade de vida de Flanagan). Resultados: houve melhora significativa na capacidade inspiratória (p= 0,001) e nos valores de obstrução das vias aéreas (p = 0,008). Conclusão: o canto é uma atividade coadjuvante no tratamento fisioterapêutico para mobilizar volumes, capacidades pulmonares e diminuir obstrução do fluxo aéreo atenuando os efeitos da senescência em idosos institucionalizados.

Biografia do Autor

Jessica Mazalli, Universidade do Contestado

Graduada em Fisioterapia. Núcleo de Pesquisa em Saúde Coletiva.

Daniel Rogério Petreça, Universidade do Contestado

Doutor em Ciências da Saúde. Departamento de Educação Física e Fisioterapia.

Renata Campos, Universidade do Contestado. Núcleo de Pesquisa em Saúde Coletiva e Meio Ambiente

Doutora em Ciências da Saúde. Departamento de Fisioterapia e ciências da Saúde.

Referências

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Índice de Envelhecimento (IE) 2000-2030. [Acesso em 2019 fev. 19] Disponível em: http://www.ibge.gov.br/apps/po pulacao/projecao/.

Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: O imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília (DF): Organização Pan-Americana de Saúde; 2012.

Oliveira TC, Araujo TL, Moreira TMM. Identificação de alterações fisiológicas em um grupo específico de idosos. Rev RENE. 2003; 4(1):78-85.

Martins RML, Mestre MA. Esperança e qualidade de vida em idosos. Millenium. 2014; 47:153- 62

Oliveira LC, Pivoto EA, Vianna PCP. Análise dos resultados de qualidade de vida em idosos praticantes de dança sênior através do SF-36. Acta Fisiatr. 2009; 16(3): 101-104.

Fernandes PV, Grangeiro ES, Silva MNSA. Banda 6.0: a experiência da música na terceira idade. Pesqui Prát Pscicossocias. 2017; 12(1):120-8.

Riberto M, Miyasaki MH, Jorge Filho D, Sakamoto H, Batistella LR. Reprodutibilidade de versão brasileira de medida de independência funcional. Acta Fisiatr. 2001;8(1):45-52

Brucki SMD, Nitrini R, Caramelli P, Bertolucci PHF, Okamoto IH. Sugestões para o uso do miniexame do estado mental no Brasil. Arq Neuropsiquiatr. 2003; 61(3- B):777-81.

Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, Juliano Y. O mini exame do estado mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arq Neuropsiquiatr. 1994; 52(1):1-7.

Gonçalves LHT, Dias MM, Liz TG. Qualidade de vida de idosos independentes segundo proposta de avaliação de Flanagan. Mundo saúde. 1999; 23(4):214-220.

Santos SR, Santos IBC, Fernandes MG, Henriques MERM. Qualidade de vida do idoso na comunidade: aplicação da escala de Flanagan. Rev Latinoam Enferm. 2002; 10(6):757-64.

Parahyba MI. Desigualdades de gênero em saúde entre os idosos no Brasil. Anais XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais; 18-22 setembro 2006; Caxambú, Brasil.

Barros JFP, Alves KCAO, Filho AVD, Rodrigues JE, Neiva HC. Avaliação da Capacidade funcional de idosos institucionalizados na cidade de Maceió – AL. Revista bras promoç saúde. 2010; 23(2):168-74.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Dados sobre o envelhecimento no Brasil. [Acesso em 2019 fev. 19] Disponível em: http://www.sdh.gov.br/assuntos/ pessoa-idosa/dadosestatisticos/Dadossobreoenvelheci mentonoBrasil.pdf

Luz LT. Musicoterapia na qualidade de vida em idosos institucionalizados. [Dissertação]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2015. 107 p.

Cerdeira DQ, Varela DSS, Aranha VLOM. Terapia com música em idosos do Sertão Central do Ceará. Fisio Bras. 2017; 18(1):19- 28.

Rosado PSV. Na senda da neuroplasticidade: musicoterapia aplicada à reabilitação neurológica (Dissertação). Lisboa (PT): Universidade Lusíada de Lisboa; 2015. 99 p.

Silva, AF, Silva EI, Cruz LR, Viana SO, Lacerda TTB. Influência da música na qualidade de vida dos idosos: o coral como ferramenta de musicalização. Sinapse Múltipla. 2016; 5(2):175-85.

Borges JBC, Santos DF, Munhoz F, Carvalho SMR. Pressões e volumes pulmonares em idosos institucionalizados. Rev bras med. 2015; 72(1/2):27-32.

Pascotini FS, Fedosse E, Ramos MC, Ribeiro VV, Trevisan ME. Força muscular respiratória, função pulmonar e expansibilidade toracoabdominal em idosos e sua relação com o estado nutricional. Fisioter pesqui. 2016; 23(4):416-22.

Cielo CA, Pascotini FS, Ribeiro VV, Gomes AM, Haeffner LSB. Fonoterapia vocal e fisioterapia respiratória com idosos saudáveis: revisão de literatura. Rev CEFAC. 2016; 2(18):533-43.

Contesini AM, Garcia Junior A, Caromano FA. Influência das variações da postura sentada na função respiratória: revisão de literatura. Fisioter Mov. 2011; 24(4):757-67.

Borges AF, Souza EL, Valente PHF, Mendonça RMC, Cunha RP, Araujo TP, et al. Influência do treinamento de força dos músculos abdominais e padrões ventilatórios nas capacidades pulmonares em idosos institucionalizados na cidade de São Luís de Montes Belos - GO. Rev fac Monte Belos. 2016; 9(2):45-141.

Kexin A, Matthew M, Huiying X, Irene J. Higginson; The Effectiveness of Singing or Playing a Wind Instrument in Improving Respiratory Function in Patients with Long-Term Neurological Conditions: A Systematic Review. J music ther. 2017; 54(1):108–131.

Oliveira M, Santos CLS, Oliveira SF, Ribas DIR. Efeitos da técnica expansiva e incentivador respiratório na força da musculatura respiratória em idosos institucionalizados. Fisioter Mov. 2013; 26(1):133-40.

Pettenon R, Milano D, Bittencourt DC, Schneider RH. Adaptação funcional do aparelho respiratório e da postura no idoso. RBCEH. 2008; 5(2):64-77.

Oliveira, JM, Ferreira SO, Bispo NNC, Concone MHVB. Alterações físicas decorrentes do envelhecimento na perspectiva de idosos institucionalizados. Rev Kairós. 2015; 18(4):197-214.

Cruz CP. Anatomofisiologia dos mecanismos voluntários e involuntários na didática vocal: uma abordagem multidisciplinar na criação de vocalizes e exercícios no canto (Dissertação). Goiânia (GO): Universidade Federal de Goiás; 2015. 54 p.

Frigo LF. Treinamento fisioterapêutico intensivo do centro de força corporal, medidas respiratórias e vocais em cantores populares: ensaio clínico randomizado (Tese). Santa Maria (RS): Universidade Federal de Santa Maria; 2016. 78 p.

Andrade SR, Fontoura DR. Interrelações entre fonoaudiologia e canto. Rev Mus Hodie. 2007; 7(1):83-98.

Barreto SSM. Volumes Pulmonares. J Pneumol. 2002; 28(supl 3):83- 94.

Canga B, Azoulay R, Raskin J, Loewy J. AIR: Advances in Respiration - Music therapy in the treatment of chronic pulmonary disease. Respir Med. 2015;109(12):1532-9.

Fechine BRA, Trompieri N. O processo de envelhecimento: as principais alterações que acontecem com o idoso com o passar dos anos. Rev Cient Int. 2012;20(1):106-32

Silva FMF, Bagnall MES, Zardo TS, Bovi A, Carvalho EM, Lopes CR. Repercussões hemodinâmicas e ventilatórias em indivíduos sadios com diferentes níveis de EPAP. Fisioter Mov. 2009; 22(3):419-26.

Downloads

Publicado

01/06/2019

Como Citar

Mazalli, J., Petreça, D. R., & Campos, R. (2019). O uso do canto como terapêutica na reabilitação respiratória em idosos institucionalizados/ The use of singing as a therapeutic in respiratory rehabilitation in institutionalized elderly/ El uso del canto como terapéutica en la rehabilitación. Journal Health NPEPS, 4(1), 31–46. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/3318

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale