Produção científica brasileira sobre as tecnologias biomédicas e segurança do paciente na UTI: revisão integrativa/ Brazilian scientific production on biomedical technologies and patient safety in ICU: integrative review/ Producción científica brasileña sobre tecnologías biomédicas y seguridad del paciente en la UCI: revisión integrativa

Autores

  • Amanda Rodrigues da Silva Universidade Federal de Rondonópolis/MT - Curso de Graduação de Enfermagem.
  • Magda de Mattos Universidade Federal de Rondonópolis/MT - Curso de Graduação de Enfermagem.

Palavras-chave:

Segurança do Paciente, Unidade de Terapia Intensiva, Cuidados de Enfermagem, Tecnologia Biomédica

Resumo

Objetivo: identificar a produção científica brasileira sobre as tecnologias biomédicas e segurança do paciente na UTI. Método: revisão integrativa da literatura realizada no mês de março de 2020 mediante consulta na BDENF, Lilacs, Medline, Scielo e Pubmed. Resultados: foram encontrados 3.108 artigos sobre a temática, dos quais 10 artigos apresentaram as características de elegibilidade para a inclusão na revisão. A região Sudeste contabilizou 50% dos estudos, sendo 60% de caráter descritivo. Conclusão: o uso das tecnologias biomédicas na UTI contribui para a redução de iatrogenias, prevenção e controle de possíveis eventos adversos, e colaboram para o cuidado seguro do paciente.

Biografia do Autor

Amanda Rodrigues da Silva, Universidade Federal de Rondonópolis/MT - Curso de Graduação de Enfermagem.

Enfermeira. Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Rondonópolis,Mato Grosso, Brasil.

Magda de Mattos, Universidade Federal de Rondonópolis/MT - Curso de Graduação de Enfermagem.

Enfermeira. Doutora em Educação. Docente do curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Rondonópolis/MT.

Referências

Cavalcante AC, Rocha RC, Tolstenko LN,Avelino FVS, Rocha SS. Cuidado seguro ao paciente: contribuições da enfermagem. Rev cuba enferm. 2015; 31(4):1-7.

Minuzzi AP, Salum NC, Locks MOH. Avaliação da cultura de segurança do paciente em terapia intensiva na perspectiva da equipe de saúde. Texto & contexto enferm. 2016; 25(2):161-169.

Ministério da Saúde (BR). Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Brasil. Portaria n. 529, de 1 de abril de 2013. Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2013.

Ministério da Saúde (BR). Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Merhy EE. Em busca de ferramentas analisadoras das tecnologias em saúde: a informação e o dia a dia de um serviço, interrogando e gerindo trabalho em saúde. In: Merhy EE, Onoko R, editores. Agir em saúde: um desafio para o público. São Paulo: Hucitec; 2002.

Peres Júnior EF, Oliveira EB. Inovações tecnológicas em unidade de terapia intensiva: implicações para a saúde do trabalhador de enfermagem. Rev Enferm Atual In Derme. 2016; 77(15):327-333.

Medeiros AC, Siqueira HCH, Zamberlan C, Cecagno D, Nunes SS, Thurow MRB. Integralidade e humanização na gestão do cuidado de enfermagem na Unidade de Terapia Intensiva. Rev Esc Enferm USP. 2016; 50(5):816-822.

Aquino PS, Melo RP, Lopes MVO, Pinheiro AKB. Análise do conceito de tecnologia na enfermagem segundo o método evolucionário. Acta Paul Enferm. 2010; 23(5):690-696.

Gomes ATL, Assis YMS, Ferreira LL, Bezerril MS, Chiavone FBT, Santos VEP. Tecnologias aplicadas à segurança do paciente: uma revisão bibliométrica. Rev Enferm Cent-Oeste Min. 2017; 7:1473.

Ribeiro KRA, Borges SP, Balduino JAS, Silva FA, Ramos TMST. Dificuldades encontradas pela enfermagem para implementar a humanização na unidade de terapia intensiva. Rev Enferm UFPI. 2016; 6(2):53-55.

Ganong LH. Integrative Reviews of Nursing. Rev Nurs Health. 1987; 10(1):1-11.

Santos CMC, Pimenta CAM, Nobre MRC. The PICO strategy for the research question construction and evidence search. Rev Latinoam Enferm. 2007; 15(3):508–11.

Page MJ, Moher D. Evaluations of the uptake and impact of the Preferred Reporting Items for Systematic reviews and Meta-Analyses (PRISMA) Statement and extensions: a scoping review. Syst Rev. 2017; 6(1):263.

Agency for Healthcare Research and Quality (AHRQ). Quality Improvement and monitoring at your fingertips. Rockville: Agency for Healthcare Research and Quality; 2016.

Sousa PAF, Sasso GTMD, Barra DCC. Contribuições dos registros eletrônicos para a segurança do paciente em terapia intensiva: uma revisão integrativa. Texto & Contexto Enferm. 2012; 21(4):971-9.

Louro TQ, Silva RCL, Moura LF, Machado DA. A terapia intensiva e as tecnologias como marca registrada. Rev Pesq Cuid Fundam. 2012; 4(3):2465-82.

Tavares KFA, Torres PA, Souza NVDO, Pereira SRM, Santos DM. Tecnologia dura na unidade de terapia intensiva e a subjetividade dos trabalhadores de enfermagem.Rev fundam Care. 2013; 5(4):681-88.

Kotz M, Frizon G, Silva OM, Toniollo CL, Ascari RA. Tecnologias, humanização e o cuidado de enfermagem na unidade de terapia intensiva: uma revisão bibliográfica. Rev Uni. 2014; 18(3):50-55.

Perez Júnior EF, Oliveira LB, Dantas NVS, Lisboa MTL, Silvino ZR. Segurança no desempenho e minimização de riscos em terapia intensiva: tecnologias duras. Rev Enferm UERJ. 2014; 22(3):327-33.

Donoso MTV, Souza MAF, Mattos SS, Campos DMP, Silqueira SMF, Sharry S. A Enfermagem nas Unidades de Terapia Intensiva: o aparato tecnológico versus a humanização da assistência. Rev Enferm Cent-Oeste Min. 2017; 7:1883.

Cestari VRF, Ferreira MA, Garces TS, Moreira TMM, Pessoa VLMP, Barbosa IV. Aplicabilidade de inovações e tecnologias assistenciais para a segurança do paciente: revisão integrativa. Cogitare Enferm. 2017; 22(3):454-480.

Souza NS, Souza TSB, Chagas FRC, Silva NF. Repercussões das tecnologias do cuidar nas unidades de terapia intensiva. Rev Enferm UFPE on line. 2018; 1(10):2864-72.

Siqueira VRB, Vasconcelos WPC, Santos GM, Oliveira GKS. Contribuições da tecnologia para assistência de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva. Rev Sust. 2019; 7(1):19-31.

Silva RC, Ferreira MA, Apostolidis T, Brandão MAG. Um marco conceitual da clínica do cuidado de enfermagem na terapia intensiva. Rev Latinoam Enferm. 2015; 23(5):837-45.

Ribeiro GSR, Silva RC, Ferreira MA. Tecnologias na terapia intensiva: causas dos eventos adversos e implicações para a Enfermagem. Rev Bras Enferm. 2016; 69(5):915-23.

Alves LR, Giacomini MA, Camelo SHH, Laus AM, Leal LA, Goulart BF, et al. Evidências sobre trabalho em equipe na atenção hospitalar. J Health NPEPS. 2016; 1(2):246-262.

Ministério da Saúde (BR). CNES: Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2018.

Mendonça FD, Rocha SS, Pinheiro DLP, Oliveira SV. Região Norte do Brasil e a pandemia de COVID-19: análise socioeconômica e epidemiológica. J Health NPEPS. 2020; 5(1):20-37.

Barboza DS, Silva RGM. Sistemas de classificação de pacientes em uma unidade de terapia intensiva neurológica. J Health NPEPS. 2016; 1(2):197-207.

Downloads

Publicado

29/05/2021

Como Citar

da Silva, A. R., & de Mattos, M. (2021). Produção científica brasileira sobre as tecnologias biomédicas e segurança do paciente na UTI: revisão integrativa/ Brazilian scientific production on biomedical technologies and patient safety in ICU: integrative review/ Producción científica brasileña sobre tecnologías biomédicas y seguridad del paciente en la UCI: revisión integrativa. Journal Health NPEPS, 6(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/4696

Edição

Seção

Artigo de Revisão/ Review Article/ Artículo de Revisión

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)