Análise descritiva dos casos confirmados de leptospirose em humanos no Brasil, período de 2010-2019/ Descriptive analysis of confirmed cases of leptospirosis in humans in Brazil from 2010-2019/ Análisis descriptivo de casos confirmados de leptospirosis en humanos em Brasil de 2010-2019

Autores

  • Flávio Aparecido da Cruz Magalhães UNIVERSIDADE DE CUIABÁ (UNIC) FACULDADE FASIPE CPA
  • Rayniel de Moraes Mendes UNIVERSIDADE DE CUIABÁ (UNIC)
  • Andréia Lima Tomé Melo UNIVERSIDADE DE CUIABÁ (UNIC)

Palavras-chave:

Leptospira, Humanos, Zoonoses

Resumo

Objetivo: descrever o número populacional de casos confirmados de leptospirose em humanos no Brasil no período de 2010 a 2019. Método: estudo transversal, pautado em dados secundários, disponíveis no Sistema de Informação de Agravos de Notificação. As variáveis consideradas foram número de casos confirmados por Unidade da Federação, capital, mês, ano de notificação, sexo, faixa etária, etnia/cor, escolaridade, área/local de infecção, ambiente de infecção, critério de confirmação e evolução do agravo. Optou-se por calcular a incidência média por Unidade da Federação e capitais, e os dados foram apresentados de forma agrupada. Resultados: em relação aos estados, oito se destacaram pela alta incidência. Em relação ao sexo, o predomínio foi de homens (79,6%), na faixa etária de 20 a 59 anos (72,4%), especificamente aqueles entre 20 e 39 anos (39,6%), brancos (44,8%), com baixo nível de escolaridade (58,9%). A ocorrência dos casos foi em região urbana (54,9%) e contágio domiciliar (41%). Em relação ao acesso aos serviços de saúde, diagnóstico e tratamento, prevaleceu diagnóstico clínico laboratorial (86,8%), com a maioria dos casos evoluindo para a cura (83,1%). Conclusão: a leptospirose apresenta um comportamento endêmico no Brasil.

Biografia do Autor

Flávio Aparecido da Cruz Magalhães, UNIVERSIDADE DE CUIABÁ (UNIC) FACULDADE FASIPE CPA

Biomédico. Doutorando do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biociência Animal da Universidade de Cuiabá (UNIC). Docente do Curso de Graduação em Biomedicina, Universidade de Cuiabá (UNIC) e da Faculdade Fasipe CPA (Cuiabá), Mato Grosso, Brasil.

Rayniel de Moraes Mendes, UNIVERSIDADE DE CUIABÁ (UNIC)

Graduando do 7º Semestre do curso de Biomedicina pela Universidade de Cuiabá - UNIC. Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Andréia Lima Tomé Melo, UNIVERSIDADE DE CUIABÁ (UNIC)

Médica Veterinária. Doutora em Ciências Veterinárias. Docente do Curso de Graduação em Medicina Veterinária, Universidade de Cuiabá (UNIC). Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biociência Animal da Universidade de Cuiabá (UNIC). Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Referências

Magalhaes VS, Acosta LMW. Leptospirose humana em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, de 2007 a 2013: caracterização dos casos confirmados e distribuição espacial. Epidemiol Serv Saúde. 2019; 28(2):e2018192.

Chideroli RT, Gonçalves DD, Suphoronski AS, Alfieri AF, Alfieri AA, Oliveira AG, et al. Culture Strategies for Isolation of Fastidious Leptospira Serovar Hardjo and Molecular Differentiation of Genotypes Hardjobovis and Hardjoprajitno. Front microbiol. 2017; 8:2155.

Lara MCCSH, Villalobos EMC, Cunha SEM, Oliveira JV, Castro V, Nassar AFC. Occurrence of antibodies against Leptospira spp. in donkeys of São Paulo state. Arq Inst Biol. 2019; 86:e0582018.

Pinto-Ferreira F, Pasquali AKS, Thomas-Soccol V, Mitsuka-Breganó R, Caldart ET, Leandro AS, et al. Epidemiological relevance of dogs for the prevention of Toxoplasma gondii, Neospora caninum and Leptospira spp. Rev brap Parasitol vet. 2019; 3(28):383-394.

Martins MHM, Spink MJP. A leptospirose humana como doença duplamente negligenciada no Brasil. Ciênc Saúde colet. 2020; 3(25):919-928.

Santos CVB, Mathias LA, Feitosa PJS, Oliveira JMB, Pinheiro JJW, Brandespim DF. Risk factors associated with leptospirosis in swine in state of Pernambuco, Brazil. Arq Inst Biol. 2019; 86:e0632017.

Souza IPO, Uberti MS, Tassinari WS. Geoprocessamento e análise espacial para identificação de áreas de risco para leptospirose: uma revisão sistemática. Rev inst med trop. 2020; 35(62).

Rodrigues CM. O círculo vicioso da negligência da leptospirose no Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz. 2017; 76(único):1-11.

Schneider MC, Leonel DG, Hamrick PN, Caldas EP, Velasquez RT, Paez FAM, et al. Leptospirose na América Latina: explorando o primeiro conjunto de dados regionais. Rev panam saúde pública. 2017; 41.

Mottola C, Alho AM, Rafael T, Gonçalves T, Seixas R. Leptospirose em Portugal: Situação actual e importância das medidas de controlo no contexto da Saúde Pública. Rev electrónica vet. 2015; 16(4).

Scialfa E, Bolpe J, Bardón JC, Ridao G, Gentile J, Gallicchi O. Isolation of Leptospira interrogans from suburban rats in Tandil, Buenos Aires, Argentina. Rev argent microbiol. 2010; 42(2):126-8.

Oliveira DSC, Guimarães MBJ, Medeiros Z. Modelo Produtivo Para Leptospirose. Rev patol trop. 2009; 38(1):17-26.

Pavan MA, Cairó F, Pettinari MMJ, Samartino L, Brihuega B. Genotyping of Leptospira interrogans strains from Argentina by Multiple-Locus Variable-number tandem repeat Analysis (MLVA). Comp Immunol Microbiol Infect Dis. 2011; 34(2):135-41.

Ataya GE, Bernal AMP, Vargas DC, Romero LY, Bernal CPJ, Castellanos NAM. Anticorpos anti-Leptospira spp. em distribuidores de carne na cidade de Tunja, Boyacá, Colômbia. J Bras Patol Med Lab. 2019; 55(2):122-135.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). População estimada (Brasil). Rio de Janeiro: IBGE. [internet] 2019 [acesso em 2020 jul 01]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados.html?view=municipio

Souza EP, Oliveira WTGH, Santos JPC, Toledo JP, Ferreira IPS, Esashika SNGS, et al. Doenças infecciosas e parasitárias no Brasil de 2010 a 2017: aspectos para vigilância em saúde. Rev panam saúde pública. 2020; 44:e10.

Cerveira RA, Ferreira LO, Oliveira EF, Felipe HKS, Almeida MCA, Lima SS, et al. Análise espaço-temporal da leptospirose na Amazônia Oriental, Estado do Pará, Brasil. Rev bras epidemiol. 2020; 23:e200041.

Chaiblich JV, Lima MLS, Oliveira RF, Monken M, Penna MLF. Estudo espacial de riscos à leptospirose no município do Rio de Janeiro (RJ). Saúde debate. 2017; (41):225-240.

Gonçalves NV, Araújo EM, Souza JAS, Pereira WMM, Miranda CSC, Campos PSS. Distribuição espaço-temporal da leptospirose e fatores de risco em Belém, Pará, Brasil. Ciênc saúde colet. 2016; 12(21):3947-3955.

Petrakovsky J, Bianchi A, Fisun H, Nájera-Aguilar P, Pereira MM. Animal Leptospirosis in Latin America and the Caribbean countries: Reported outbreaks and literature review (2002-2014). Int j environ res public health (Online). 2014; 11(10):10770-10789.

Silva AEP, Conceição GMS, Chiaravalloti Neto F. Spatial analysis and factors associated with leptospirosis in Santa Catarina, Brazil, 2001-2015. Rev Soc Bras Med Trop. 2020; 53:e20200466.

Núñez-González S, Gault C, Granja P, Simancas-Racines D. Spatial patterns of leptospirosis in Ecuador, 2013-2018. Trans R Soc Trop Med Hyg. 2020; 114(7):545-548.

Gutierrez JD. Effects of meteorological factors on human leptospirosis in Colombia. Int J Biometeorol. 2021; 65(2):257-263.

Oliveira HH, Rodrigues MAM, Santos IS, Francischetti CN. Perfil epidemiológico e socioeconômico da ocorrência de casos de leptospirose em municípios da Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, Brasil. Enciclopédia Biosfera. 2016; 13(23):1479-1491.

Rodrigues AL. Perfil epidemiológico de pacientes acometidos por leptospirose em um estado brasileiro na Amazônia Ocidental. Rev SUSTINERE. 2019; 7(1):32-45.

Calado EJR, Oliveira VS, Dias FCF, Lopes AB, Oliveira AA, Santana VMX, et al. Leptospirose na região norte do Brasil: uma revisão da literatura e perfil epidemiológico comparativo. Rev Patol Tocantins. 2017; 4(2):65-71.

Threeswaran R, De Silva NL, Gooneratne L, Arya R, Handunnetti SM, Rajapakse S. Hemostatic derangement in leptospirosis: A prospective cross-sectional study. Int J Crit Illn Inj Sci. 2020; 10(Suppl 1):28-32.

Munoz-Zanzi C, Groene E, Morawski BM, Bonner K, Costa F, Bertherat E, et al. A systematic literature review of leptospirosis outbreaks worldwide, 1970-2012. Rev Panam Salud Publica. 2020; 44:e78.

Downloads

Publicado

29/05/2021

Como Citar

Magalhães, F. A. da C., Mendes, R. de M., & Melo, A. L. T. (2021). Análise descritiva dos casos confirmados de leptospirose em humanos no Brasil, período de 2010-2019/ Descriptive analysis of confirmed cases of leptospirosis in humans in Brazil from 2010-2019/ Análisis descriptivo de casos confirmados de leptospirosis en humanos em Brasil de 2010-2019. Journal Health NPEPS, 6(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/4697

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale