Autoavaliação da promoção da autonomia dos idosos: um estudo Delphi/ Self-assessment of promoting the autonomy of the elderly: a Delphi study/ Autoevaluación de la promoción de la autonomía de las personas mayores: un estudio Delphi

Autores

Palavras-chave:

Autonomia Pessoal, Cuidados de Enfermagem, Promoção da Saúde, Idoso

Resumo

Objetivo: validar o conteúdo de um instrumento de autoavaliação da promoção da autonomia dos idosos. Método: estudo qualitativo, com recurso ao método Delphi, com uma amostra de 15 experts, enfermeiros especialistas em enfermagem de reabilitação, enfermagem comunitária, enfermagem de saúde mental e psiquiatria, e enfermagem médico-cirúrgica, com experiência em idosos, experiência clínica e de investigação relevante. Ocorreu no período de junho a setembro de 2020, com experts da área da saúde do norte de Portugal. Resultados: a análise dos experts confirmou a necessidade de incluir os domínios: fisico, cognitivo, emocional e social, no âmbito das intervenções de enfermagem de avaliação e as intervenções de enfermagem promotoras da autonomia dos idosos. Após a primeira rodada, foram excluídos 34 intervenções, chegando a 68 intervenções de enfermagem para a promoção da autonomia do idoso. Conclusão: este estudo Delphi revelou eficaz na validação do conteúdo desse instrumento, nomeado por Escala de Autoavaliação da Promoção da Autonomia dos Idosos, que será posteriormente testada em uma população maior.

Biografia do Autor

Andreia Maria Novo Lima, Universidade Fernando Pessoa

Enfermeira, Enfermeira Especialista e Enfermagem de Reabilitação, Pós-graduada em Psicologia da Saúde, Pós-graduada em Gestão em Enfermagem, Mestre em Enfermagem de Reabilitação, a frequentar o 4.º do Doutoramento em Ciências de Enfermagem

Maria Manuela Ferreira da Silva Martins, Professora Coordenadora na Escola Superior de Enfermagem do Porto - CINTESIS

Professora Doutora em Ciências de Enfermagem, Professora Coordenadora na Escola Superior de Enfermagem do Porto – CINTESIS

Maria Salomé Martins Ferreira, Instituto Politécnico de Viana do Castelo - Escola Superior de Saúde, UICISA

Doutora em Psicologia da Saúde, Professora Adjunta, Instituto Politécnico de Viana do Castelo

Carla Sílvia Fernandes, Escola Superior de Enfermagem do Porto – CINTESIS

Professora Doutora em Ciências de Enfermagem, Professora Adjunta na Escola Superior de Enfermagem do Porto – CINTESIS

Soraia Dornelles Schoeller, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Doutora, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Catarina

Tânia Marisa Pinto Rodrigues, Centro Hospitalar Universitário São João

Enfermeira, Enfermeira especialista em Enfermagem de Reabilitação, a frequentar o 4.ª ano do Doutoramento em Ciências de Enfermagem, Centro Hospitalar Universitário São João

Vítor Sérgio Oliveira Parola, Escola Superior de Saúde da Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal. Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Portugal.

Professor Doutor em Ciências de Enfermagem, Professor Adjunto na Escola Superior de Saúde da Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal.  Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Portugal.

Referências

Dzeng E. Habermasian communication pathologies in do-not-resuscitate discussions at the end of life: manipulation as an unintended consequence of an ideology of patient autonomy. Sociol Health Illn. 2019; 41(2):325-42.

Bouvet R. The primacy of the patient’s wishes in the medical decision-making procedure established by French law. Eur J Health Law. 2018; 25(4):426-40.

Oberstadt MCF, Esser P, Classen J, Mehnert A. Alleviation of psychological distress and the improvement of quality of life in patients with amyotrophic lateral sclerosis: Adaptation of a short-term psychotherapeutic intervention. Front Neurol. 2018; 9(APR).

Lima AMN, Martins MMPS, Ferreira MSM, Fernandes CS, Schoeller S, Coelho ARN, Parola VSO. Concept of Elderly Autonomy: Phenomenological study of the opinion of specialist nurses (in press). Porto Biomed J. 2021.

Jacobs G. Patient autonomy in home care: Nurses’ relational practices of responsibility. Nurs Ethics. 2019; 26(6):1638-53.

Bertilsson A-S, von Koch L, Tham K, Johansson U. Client-centred ADL intervention after stroke: Significant others’ experiences. Scand Occup Ther. 2015; 22(5):377-86.

Eassey D, Smith L, Reddel HK, Ryan K. The impact of severe asthma on patients’ autonomy: A qualitative study. Health Expect. 2019; 22(3):528-36.

Brown SL, Salmon P. Reconciling the theory and reality of shared decision?making: A “matching” approach to practitioner leadership. Health Expect. 2019; 22(3):275-83.

Henry LM, Rushton C, Beach MC, Faden R. Respect and dignity: a conceptual model for patients in the intensive care unit. Narrat Inq Bioeth. 2015; 5(1):5-14.

Lima AMN, Ferreira MSM, Martins MMPS, Fernandes CS, Moreira MTF, Rodrigues TMP. Independência funcional e o estado confusional de pessoas sujeitas a programa de reabilitação. J Health NPEPS. 2020; 5(2):145-60.

Passos J, Sequeira C, Fernandes L. Focos de enfermagem em pessoas mais velhas com problemas de saúde mental. Referência. 2014; Série IV(2):81-91.

Lima AMN, Martins MMPS, Ferreira MSM, Fernandes CS, Schoeller SD, Rodrigues TMP, et al. From the challenge of assessing autonomy to the instruments used in practice: A Scoping Review. Porto Biomed J. No prelo, 2021.

Almenara JC, Moro AI. Empleo del método Delphi y su empleo en la insvestigación en cominucation y educación. EDUTEC. 2014; 48(jun):1-16.

Godet M. Manuel de prospective stratégique -Tome 2-3ème édition-L’Art et la méthode: Dunod; 2007.

Lima AMN, Martins MMPS, Ferreira MSM, Schoeller SD , Parola VSO. O conceito multidimensional de autonomia: uma análise conceptual recorrendo a uma scoping review (in press). Referência; 2021.

Lima AMN, Martins MMPS, Ferreira MSM, Coelho ARN, Schoeller SD , Parola VSO. Focos e intervenções de enfermagem promotoras da autonomia dos idosos. Rev Gaúch Enferm. No prelo, 2021.

Expósito-Vizcaíno S, Burjalés-Martí D, Miró J. Factores psicosociales en el dolor oncológico: un estudio Delphi. Rev Soc Esp Dolor. 2019; 26(1):21-30.

Marques JBV, Freitas DD. Método Delphi: caracterização e potencialidades na pesquisa em Educação. Pro-Posições. 2018; 29:389-415.

Gardona RGB, Barbosa DA. Importância da prática clínica sustentada por instrumentos de avaliação em saúde. Rev Bras Enferm. 2018; 71(4):1921-2.

Trotter G. Autonomy as self-sovereignty. HEC Forum. 2014; 26(3):237-55.

Calheiros MM, Patrício JN, Graça J. Staff and youth views on autonomy and emancipation from residential care: a participatory research study. Eval Program Plann. 2013; 39:57-66.

Guo HJ, Sapra A. Instrumental Activity of Daily Living. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021.

Clares JWB, Nóbrega MMLD, Guedes MVC, Silva, LDFD, Freitas MCD. ICNP® nursing diagnoses, outmomes and interventions for community elderly. Rev Bras Enferm. 2019; 72:191-8.

Antoniou T, Ala-Leppilampi K, Shearer D, Parsons JA, Tadrous M, Gomes T. Like being put on an ice floe and shoved away: A qualitative study of the impacts of opioid-related policy changes on people who take opioids. Int J Drug Policy. 2019; 66:15-22.

Bell JAH, Balneaves LG, Kelly MT, Richardson H. Report on a Delphi process and workshop to improve accrual to cancer clinical trials. Current Oncology. 2016; 23(2):125-30.

Santos MT, Flores-Mendoza C. Treino Cognitivp para Idosos: Uma Revisão Sistemática dos Estudos Nacionais. Psico-USF. 2017; 22:337-49.

Bennett L, Bergin M, Wells JSG. The social space of empowerment within epilepsy services: The map is not the terrain. Epilepsy Behav. 2016; 56:139-48.

Bhola P, Chaturvedi SK. Through a glass, darkly: ethics of mental health practitioner-patient relationships in traditional societies. Int J Cult Mental Health. 2017; 10(3):285-97.

Krishna LK, Watkinson DS, Beng NL. Limits to relational autonomy--the Singaporean experience. Nurs Ethics. 2015; 22(3):331-40.

Benson JJ, Parker Oliver D, Demiris G, Washington K. Accounts of Family Conflict in Home Hospice Care: The Central Role of Autonomy for Informal Caregiver Resilience. J Family Nurs. 2019; 25(2):190-218.

Lima AMN, Martins MMPS, Ferreira MSM, Coelho ARN, Schoeller SD , Parola VSO. Prática de enfermagem na promoção da autonomia dos idosos. Rev Esc Enferm USP. No prelo, 2021.

Valero IA. Autonomies in interaction: Dimensions of patient autonomy and non-adherence to treatment. Front Psychol. 2019; 10(AUG).

Reis MGM, Casa-Novas MV, Serra I, Magalhães MDDC, Sousa LMM. The importance of a training program on active aging from the perspective of elderly individuals. Rev Bras Enferm. 2021; 74:1-7.

Kirkscey R. Bioethical communication: shared decision-making and relational empathy. J Commun Health. 2018; 11(3):164-74.

Paton A. "Being Guided": What oncofertility Patients' decisions can teach us about the efficacy of autonomy, agency, and decision-making theory in the contemporary clinical encounter. Int J Fem Approaches to Bioeth. 2019; 12(2):18-35.

Roland T, Wimberger K, Amsuess S, Russold MF, Baumgartner W. An Insulated Flexible Sensor for Stable Electromyography Detection: Application to Prosthesis Control. Sensors. 2019; 19(4):961-1.

Sorinmade OA. Relevant information and the Mental Capacity Act. J Patient Saf. 2019; 24(2):71-5.

Delmar C. The interplay between autonomy and dignity: summarizing patients voices. Med Health Care Philos. 2013; 16(4):975-81.

Downloads

Publicado

29/05/2021

Como Citar

Novo Lima, A. M., Martins, M. M. F. da S., Ferreira, M. S. M., Fernandes, C. S., Schoeller, S. D., Rodrigues, T. M. P., & Parola, V. S. O. (2021). Autoavaliação da promoção da autonomia dos idosos: um estudo Delphi/ Self-assessment of promoting the autonomy of the elderly: a Delphi study/ Autoevaluación de la promoción de la autonomía de las personas mayores: un estudio Delphi. Journal Health NPEPS, 6(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/5088

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)