Análise epidemiológica dos casos de sífilis na gestação em Uberlândia (MG) de 2011 a 2020/ Epidemiological analysis of syphilis cases during pregnancy in Uberlândia (MG) from 2011 to 2020/ Análisis epidemiológico de casos de sífilis durante embarazo en Uberlândia (MG) de 2011 a 2020

Autores

Palavras-chave:

Sífilis, Gravidez, Cuidado Pré-Natal, Educação em Saúde

Resumo

Objetivo: analisar o perfil epidemiológico da sífilis na gestação, no período de 2011 a junho de 2020 e propor intervenções para o seu combate. Método: trata-se de um estudo epidemiológico, quantitativo, descritivo e transversal. Foram utilizados dados provenientes do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), no período de janeiro de 2011 a junho de 2020. A partir da análise epidemiológica, criou-se propostas de intervenção em educação em saúde, visando a redução dos casos de sífilis na gestação.  Resultados: observou-se, no período analisado, um total de 986 casos registrados, com tendência crescente ao longo dos anos. Além disso, há um predomínio de detecção dos casos durante o 3o trimestre de gestação, em gestantes com faixa etária entre 20 a 29 anos, de cor parda e com ensino fundamental incompleto. Conclusão: o cenário acerca da sífilis na gestação é extremamente problemático. No entanto, esse aspecto pode ser melhorado a partir de projetos de intervenção em educação sexual compreensiva e capacitação de profissionais da saúde.

Referências

Ministério da Saúde (BR). Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis. Brasília: Ministério da Saúde; 2020.

Peeling RW, Mabey D, Kamb ML, Chen XS, Radolf JD, Benzaken AS. Syphilis. Nat Rev Dis Primers. 2017; 3(1):17073.

Rowley J, Vander Hoorn S, Korenromp E, Low N, Unemo M, Abu-Raddad LJ, et al. Chlamydia, gonorrhoea, trichomoniasis and syphilis: global prevalence and incidence estimates, 2016. Bull World Health Organ. 2019; 97(8):548-562.

Costa CV, Santos IAB, Silva JM, Barcelos TF, Guerra HS. Sífilis congênita: repercussões e desafios. ACM arq catarin med. 2017; 46(3):194-201.

Beck EQ, Souza M. Fatores de risco para sífilis congênita. Discip Sci Sér Ciênc Biol Saúde. 2017; 18(2):419–32.

Barbosa DRM, Almeida MG, Silva AAO, Araújo AA, Santo AG. Perfil epidemiológico dos casos de sífilis gestacional. Rev enferm UFPE on line. 2017; 11(5):1867-1874.

Prefeitura de Uberlândia (MG). Programa IST/Aids reforça medidas de prevenção e tratamento contra sífilis. Uberlândia: Prefeitura de Uberlândia; 2019.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (BR). Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2012.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [Internet]. Projeção da População [citado em 2020 Abr 02]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9109-projecao-da-populacao.html?=&t=o-que-e

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Brasília: Ministério da Saúde; 2016.

Ministério da Saúde (BR). Boletim Epidemiológico de Sífilis 2020. Brasília: Ministério da Saúde; 2020.

Cesar VER, Camerini AV, Paulitsch RG, Terlan RJ. Não realização de teste sorológico para sífilis durante o pré-natal: prevalência e fatores associados. Rev Bras Epidemiol. 2020; 23: E200012.

Silva NCP, Carvalho KBS, Chaves KZC. Sífilis gestacional em uma maternidade pública no interior do Nordeste brasileiro. Femina. 2021; 49(1):58–64.

Manola CCV, Melo EBM, Lau YKC, Bedin LP, Oliveira MV, Almeida MAI, et al. Letramento funcional em saúde: sífilis em gestantes. Nursing (São Paulo). 2020; 23(265):4193–204.

Ozelame JÉEP, Frota OP, Ferreira Júnior MA, Teston EF. Vulnerabilidade à sífilis gestacional e congênita: uma análise de 11 anos. Rev Enferm UERJ. 2020; 29:e50487.

Ribeiro GFC, Matos AML, Ávila KM, Almeira SL, Ferreira MCMP, Lima TCA, et al. Sífilis na gravidez: uma revisão literária acerca do perfil epidemiológico, diagnóstico, tratamento e prevenção da doença. Braz J Health Rev. 2021; 4(5):23198-23209.

Figueiredo DCMM, Figueiredo AM, Souza TKB, Tavares G, Vianna RP. Relação entre oferta de diagnóstico e tratamento da sífilis na atenção básica sobre a incidência de sífilis gestacional e congênita. Cad Saúde Pública. 2020; 36(3): e00074519.

Figueiredo DCM, Figueiredo AM, Souza TKB, Tavares G, Vianna RPT. Relação entre oferta de diagnóstico e tratamento da sífilis na atenção básica sobre a incidência de sífilis gestacional e congênita. Cad Saúde Pública. 2020; 36(3):e00074519.

Silva LCVG, Teodoro CJ, Silva JK, Santos DAS, Olinda RA. Perfil dos casos de sífilis congênita em um município do sul de Mato Grosso. J Health NPEPS. 2017; 2(2):380-390.

Moreira D. Epidemiologia da sífilis congênita e materna em um hospital público do município de Carapicuíba-SP. J Health NPEPS. 2019; 4(2):200-214.

Camargos LF, Lemos PL, Martins EF, Mendes MSF. Avaliação da qualidade dos registros de cartões de pré-natal de mulheres urbanas. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2021; 25(1):1–9.

Downloads

Publicado

01/06/2022

Como Citar

Sousa, A. C. F., Rende, V. F., Almeida, D. C. de, Rezende, S. C., & Oliveira, S. V. de. (2022). Análise epidemiológica dos casos de sífilis na gestação em Uberlândia (MG) de 2011 a 2020/ Epidemiological analysis of syphilis cases during pregnancy in Uberlândia (MG) from 2011 to 2020/ Análisis epidemiológico de casos de sífilis durante embarazo en Uberlândia (MG) de 2011 a 2020. Journal Health NPEPS, 7(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/5666

Edição

Seção

Artigo Original/ Original Article/ Artículo Originale

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)