EMPRÉSTIMOS LINGUÍSTICOS: UMA QUESTÃO DE FALAR DE OU EM TRADIÇÃO?

Autores

  • Clairton José Weber UNEMAT

DOI:

https://doi.org/10.30681/moinhos.v0i1.2400

Resumo

Esta pesquisa tem como corpus alguns galicismos. Escolhemos este objeto para análise por entender que melhor representa a essência do presente artigo. Os galicismos carregam a tradição linguística, a história e a cultura de um povo desde tempos remotos, mas, em especial, a partir do século XVII. Importa esclarecer alguns pontos, estabelecer diferenças e ampliar a compreensão acerca deste instrumento que transfere, muitas vezes, cultura e referentes de uma nação estrangeira. É fato que a palavra estrangeira desempenhou importante papel no processo de formação das línguas e que os empréstimos linguísticos foramfundamentaisparaamanutençãodaquelasquehojeestãovivas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-10-12

Como Citar

Weber, C. J. (2017). EMPRÉSTIMOS LINGUÍSTICOS: UMA QUESTÃO DE FALAR DE OU EM TRADIÇÃO?. Revista Moinhos, (1), 111–129. https://doi.org/10.30681/moinhos.v0i1.2400

Edição

Seção

Artigos