"O SABOR DO SABER” À LUZ DO APARELHO FORMAL DA ENUNCIAÇÃO

Autores

  • Sandra Regina Klafke Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
  • Patrick Alif Fertrin Batista Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v11i01.2103

Resumo

O presente artigo parte da análise do aparelho formal da enunciação (BENVENISTE, PLGII, 2006), a fim de criar uma possibilidade discursivo-analítica que dê suporte à leitura da crônica “O sabor do saber”, de Rubem Alves (2005), publicada no jornal Folha de São Paulo. A análise proposta dá relevância para a relação do locutor com sua enunciação, destacando o próprio ato enunciativo, a situação e os instrumentos de realização do ato -os índices específicos e os procedimentos acessórios. De forma geral, a análise empreendida aponta que o locutor traz à tona a importância da compaixão em um mundo que carece dela, dando a palavra ao interlocutor para que este possa se assumir como sujeito, tomando para si o aparelho formal da enunciação para, de posse dele, enunciar, evocar a língua e subjetivar.

Biografia do Autor

Sandra Regina Klafke, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Possui doutorado em Linguística Aplicada - pesquisa transdisciplinar: enunciação, filosofia e fotografia - pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos/UNISINOS, com período de doutorado sanduíche na Faculdade de Ciências da Comunicação- Universidade Fernando Pessoa (Porto/Pt), sob supervisão do Dr. Jorge Pedro Sousa. É Mestra em Linguística Aplicada (pesquisa transdisciplinar: linguística, psicanálise e literatura), pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade do Vale do Rio dos Sinos/UNISINOS e graduada em Letras/Hab. Língua Portuguesa, pela mesma universidade. Atualmente, dedica-se ao estudo da obra linguística de Émile Benveniste, da filosofia de Giorgio Agamben e da filosofia de Paul Valèry, a fim de pensar questões pertinentes à semiologia de segunda geração e ao fenômeno da linguagem (sem esgotá-lo no verbal).

Patrick Alif Fertrin Batista, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Tem experiência na área de Jornalismo, com ênfase em Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: jornalismo, criminalidade, fronteira, audiovisual e prevenção ao suicídio. Como destaque de atuação deste pesquisador, pode ser citado a participação do mesmo em um projeto que tinha como foco a temática criminalidade e foi realizado em parceria com o Ministério da Justiça no período de 2012/2013. Como consequência deste trabalho, o pesquisador desenvolveu artigos para eventos nacionais e regionais, além de focar seu Plano de Trabalho de Iniciação Cientifica de 2013/2014 na análise da criminalidade da fronteira Ponta Porã/Pedro Juan Caballero, sob a ótica dos websites da região. Já em 2014/2015, trabalhou o Projeto de Iniciação Científica com o tema: "Cotidiano e noticiabilidade na imprensa sul-mato-grossense: interfaces entre jornalistas, assessores e público". Em 2015/2016, desenvolveu o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) analisando o fenômeno suicídio, tendo o seguinte enfoque: "Suicídio como um ato de Comunicação" e o título: "Espelhos Quebrados: dor, sofrimento, vida e morte na linguagem suicida". Tal obra tem a intenção de ser mais um método preventivo para combater esta problemática de saúde pública. Neste mesmo período, o autor escreveu dois artigos científicos com esse mesmo tema, analisando como os websites campo-grandenses veiculam o suicídio em Campo Grande e um outro artigo embasado no própria obra acima referenciada.

Referências

ALVES, Rubem. Sabor do saber. São Paulo, Folha de São Paulo, 27 set. 2005, p. 22.

ARESI, F. Síntese, organização e abertura do pensamento enunciativo de Émile Benveniste: uma exegese de ‘O aparelho formal da enunciação’. Dissertação de Mestrado. Orientação: Dr. Valdir do Nascimento Flores. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

ARESI, F. Os índices específicos e os procedimentos acessórios da enunciação. ReVEL,

v. 9, n. 16, mar. 2011.

BENVENISTE, É. O aparelho formal da enunciação. In.: Problemas de Linguística Geral II. Campinas: Pontes, 2005.

FLORES, V. N.; TEIXEIRA, M. Introdução à linguística da enunciação. São Paulo: Contexto, 2005.

FLORES, V. N.; TEIXEIRA, M. Introdução à linguística da enunciação. São Paulo: Contexto, 2005.

FLORES, V. N.; SILVA, S.; LICHTENBERG, S. WEIGERT, T. Enunciação e Gramática. São Paulo: Contexto, 2005.

KLAFKE, S. R. “Da (re)criação enunciativa da experiência humana: a fotografia como testemunho”. [Tese]. Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, São Leopoldo, RS, 2016.

MELLO, V. H. D. A sintagmatização-semantização: uma proposta de análise de texto. Tese de doutorado. Orientação: Dr. Valdir do Nascimento Flores. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

Downloads

Publicado

01/08/2018

Como Citar

Klafke, S. R., & Fertrin Batista, P. A. (2018). "O SABOR DO SABER” À LUZ DO APARELHO FORMAL DA ENUNCIAÇÃO. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 11(01), 63–76. https://doi.org/10.30681/real.v11i01.2103