Mato Grosso: um Estado, diversos falares

Autores

  • Mariza Pereira Silva Universidade do Estado de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.30681/2594.9063.2020v4n2id5184

Resumo

O multilinguismo caracteriza a existência, no interior de um mesmo território, de diferentes comunidades linguísticas. O objetivo deste artigo é mostrar através de um percurso histórico sobre o Estado de Mato Grosso, o multilinguismo que se instaurou nesse Estado nos últimos 50 anos e as consequências que isso vem causando no sistema linguístico da região, o mosaico linguístico que vem se tornando o falar mato-grossense. Para o desenvolvimento deste estudo, focou-se nas políticas de povoamento do Estado, processos migratórios e expansão territorial pelos quais Mato Grosso passou ao longo de sua história, principalmente na onda migratória provocada pela divisão do Estado em 1979. Apresenta-se aqui a área de estudo, e, para análise, focaliza-se na política de povoamento, nas ondas migratórias, como se deram e os efeitos por elas causados no sistema linguístico do Estado e, com base em elementos que dão sustentação teórica à área da pesquisa sociolinguística, busca-se entender a atual situação do falar mato-grossense. Os resultados do estudo apontam para a expansão territorial do Estado de Mato Grosso, seguida dos processos migratórios e da expansão populacional como fatores que muito contribuíram para a formação no interior do Estado de comunidades linguísticas, que levaram ao multilinguismo na região, contribuindo para que o Estado de Mato Grosso se tornasse um Estado com diversos falares.

Referências

BAGNO, Marcos. Língua, Linguagem, Linguística: pondo os pingos nos II. 1 ed. – São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

__________ . Dicionário Crítico de Sociolinguística. 1 rd. – São Paulo: Parábola Editorial, 2017.

BLOM , J. P. & GUMPERZ J. J. 1972/1986. O Significado Social na Estrutura Linguística: Alternância de Código na Noruega. In: RIBEIRO, Branca T. & GARCEZ, Pedro M. (org.) Sociolinguística Interacional.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Nos cheguemu na escola, e agora?: sociolinguística & educação. São Paulo: Parábola Editorial 2005.

CALVET, Louis-Jean. Sociolingüística: uma introdução crítica. São Paulo: Parábola 2002.

CAMPOS, Cristina. O Falar Cuiabano. Cuiabá-MT: Carlini & Caniato Editorial, 2014.

ELIA, Sílvio. Fundamentos Histórico-Linguísticos do Português do Brasil. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003.

FERREIRA, João Carlos Vicente. Mato Grosso e Seus Municípios. Cuiabá-MT: Secretaria de Estado de Educação, 2001.

GUMPERZ, J. J. & HYMES, D. 1972/1986. Directions in sociolinguistics: The ethnografhy of communication. New York: Holt, Rinehart & Winton.

ILARI, Rodolfo & BOSCO, Renato. O português da Gente: a língua que estudamos a língua que falamos. – São Paulo: Contexto, 2006.

SEPLAN - Governo do Estado de Mato Grosso – Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral. Anuário Estatístico de Mato Grosso. Cuiabá-MT: Carrión & Carracedo – Editores Associados, 2005.

RIBEIRO, Branca T. & GARCEZ, Pedro M. (org.) Sociolinguística Interacional. – 2 ed. – São Paulo: Edições Loyola, 2013.

__________ . A dinâmica de um processo de mudança: a variação entre [ãw] e [õ] final em Mato Grosso. – Tese de Doutorado. – Rio de Janeiro: UFRJ, 2005.

SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá-MT: Entrelinhas, 2002.

Publicado

14/05/2021

Como Citar

Silva, M. P. (2021). Mato Grosso: um Estado, diversos falares. TRAÇOS DE LINGUAGEM - REVISTA DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS, 4(2). https://doi.org/10.30681/2594.9063.2020v4n2id5184